Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Turismo de saúde

por Correio da Guarda, em 23.12.12

 

 

     O Turismo de Saúde e Bem-Estar tem vindo a suscitar uma nova atenção por parte de empresários investigadores que reconhecem como necessária a rentabilização das potencialidades existentes no nosso país, e mormente nesta região do interior.

     Como tem sido sublinhado em encontros e debates sobre a referida temática, este é um mercado a desenvolver; aliás, em termos mundiais, estima-se que o sector atinja, no corrente ano, 100 biliões de dólares.

     Valorizar o posicionamento turístico do destino Portugal – considerado um dos países da Europa mais rico em águas termais – e promover a sua internacionalização são dois dos objetivos do Cluster do Turismo de Saúde e Bem-Estar de Portugal. A sua comissão instaladora, formalizada há alguns meses atrás (composta por docentes do ensino superior, investigadores e empresários) fez notar que nos principais destinos de turismo de saúde e bem-estar se destacam os segmentos de termalismo, talassoterapia, turismo médico e turismo estético.

     O documento que fundamentou a consolidação deste Cluster destaca importância do turismo da saúde e bem-estar na sociedade hodierna, bem como a diversidade das regiões turísticas de Portugal e a “saudável concorrência entre destinos turísticos às escalas regional e global”; por outro lado, alerta para a “indispensabilidade do enquadramento científico, designadamente ao nível de linhas de investigação por patologias e por terapias harmonizadas e validadas, que permitam assegurar a excelência dos tratamentos e a segurança dos utentes”.

    A evolução deste setor passa, também, por ministrar preparação adequada aos profissionais de saúde e turismo que trabalham ou pretendam vir a desenvolver a sua atividade neste segmento turístico; daí que seja defendido o incremento da formação e investigação no âmbito do turismo de saúde e bem-estar.

     Refira-se que em Portugal existem 36 estabelecimentos termais em atividade, 20 dos quais localizados na região centro, onde têm surgido iniciativas orientadas para a adesão de novos utentes, dentro dos vários escalões etários. Algumas estâncias termais lançaram já ações tendentes a fomentar o termalismo júnior, em especial para destinatários com problemas respiratórios, uma ação que procura preparar o futuro, com a criação de hábitos junto dos mais novos e potenciais utilizadores no futuro. As termas não proporcionam apenas tratamentos mas oferecem igualmente espaço de repouso e lazer, na generalidade dos casos rodeado de relaxante cenário natural e ambiental.

     Evidenciar o tratamento termal como alternativa ao uso de anti-inflamatórios e de outros tratamentos “globalmente mais vantajosa, sem efeitos nocivos secundários no organismo e que garante uma melhor qualidade de vida” foi o objetivo de algumas iniciativas que decorreram nos últimos dois anos, nomeadamente nas Termas de São Pedro do Sul.

     A diminuição do consumo de fármacos e dos dias de baixa por doença pode aplicar-se a várias patologias, como demonstram, inequivocamente, alguns estudos feitos em vários países.

    A oferta das termas portuguesas é variada, sendo indicadas para diferentes tipos de doenças, como, por exemplo, do foro osteoarticular, respiratório, digestivo e dermatológico. A composição específica das águas minerais naturais e a sua temperatura, em articulação com o ambiente termal e técnicas adequadas, respondem, com eficácia comprovada, a um vasto conjunto de situações, sempre sob orientação médica.

     Atendendo ao número de estâncias termais na nossa região, o turismo de saúde e bem-estar poderá assumir um eminente papel no desenvolvimento económico e social das localidades onde brotam “águas da saúde”. Esta rentabilização passa, necessariamente, e à semelhança do que se verifica noutros países, por um trabalho e cooperação interdisciplinar; por uma estratégia conjunta e pela definição, objetiva, de especificidades e complementaridades.

     E este é um desafio para ser assumido, de imediato. (H.S.)

 

       In O Interior, 20Dez2012

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:28

Cluster do Turismo de Saúde

por Correio da Guarda, em 28.11.11

 

    

      O Instituto Politécnico da Guarda IPG) é uma das instituições que integra a Comissão Instaladora do Cluster do Turismo de Saúde e Bem-Estar de Portugal.

     O referido Cluster tem como objetivo a valorização e o posicionamento turístico do destino Portugal; a promoção, modernização, inovação e internacionalização de Portugal num todo, como destino turístico de excelência, em Turismo de Saúde e Bem-Estar; contribuir para a elaboração de regulamentação técnica, normas de qualidade/excelência, de segurança e para o enquadramento legislativo dos vários subprodutos/segmentos de Turismo de Saúde e Bem-Estar, em Portugal, pugnando pela sua certificação; incrementar o desenvolvimento sustentável do Turismo de Saúde e Bem-Estar em Portugal e incentivar a formação e investigação no âmbito do Turismo de Saúde e Bem-Estar, quer ao nível do ensino superior (licenciatura, pós-graduações, mestrados, doutoramentos), quer do ensino técnico-profissional (massoterapeutas e hidroterapeutas).

    Nos planos deste Cluster está, ainda, a preparação e publicação do Livro Branco do Turismo de Saúde e Bem-Estar», em Portugal.

As instituições envolvidas no projeto consideram que o Turismo de Saúde e Bem-Estar, não é apenas mais um produto/segmento turístico que possa ser abordado somente na perspetiva económica e empresarial. “É, sobretudo, um produto compósito, de saúde e bem-estar” pelo que na formatação do cluster subjacente “é preciso “mobilizar a colaboração das principais instituições e organizações de saúde, em Portugal que direta e indiretamente se dedicam à promoção da medicina termal e hidrologia clínica, bem como, ao turismo médico e estético”.

    Assim, defendem que Cluster TURSBE Portugal deve ser representativo da realidade existente no nosso País, no que concerne ao turismo de saúde e bem-estar, atendendo à relevância do turismo de saúde e bem-estar na atualidade e à existência de cinco principais subprodutos de turismo de saúde e bem-estar, como sejam o termalismo; talassoterapia; SPAs de água para consumo humano; turismo médico; e turismo estético.

     Neste contexto, sublinham, também, a indispensabilidade do enquadramento científico, designadamente ao nível de linhas de investigação por patologias e por terapias harmonizadas e validadas, que permitam assegurar a excelência dos tratamentos e a segurança dos utentes, a par da necessidade de ser assegurada uma formação, adequada, aos profissionais de Saúde e de Turismo, que trabalham ou pretendam vir a desenvolver as suas atividades profissionais neste segmento turístico.

     A Comissão Instaladora do Cluster do Turismo de Saúde e Bem-Estar de Portugal terá um mandato de quinze meses, no decorrer do qual, entre outras incumbências, apresentará uma proposta de estatutos e convocará as eleições para os futuros órgãos sociais.

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:33

Termalismo e Turismo de Saúde na Guarda

por Correio da Guarda, em 04.10.11

 

     O Instituto Politécnico da Guarda tem abertas, até ao próximo dia 21 de outubro, as candidaturas para uma pós-graduação em Termalismo e Turismo de Saúde.

     A pós-graduação tem como objetivo fundamental a profissionalização, qualificação e especialização de técnicos superiores de saúde na prestação de serviços diferenciados, contextualizados no universo dos Estabelecimentos Termais e outras Unidades Balneológicas, incluindo Médicos, Enfermeiros, Fisioterapeutas, Nutricionistas, Psicólogos Clínicos, Gerontólogos, Podólogos, Técnicos de Saúde Ambiental, entre outros, e ainda, o estabelecimento de uma linha de investigação aplicada à medicina termal e hidrologia clínica.

         Complementarmente, está formatada e desenhada para, de forma transversal e flexibilizante, dotar os seus participantes de capacidades específicas de organização, gestão e direção de Unidades Termais e/ou Complexos de Lazer e Bem-Estar.

      Esta formação especializada pretende potenciar a preparação humana e técnica de todos os seus participantes, oferecendo-lhes e disponibilizando-lhes um conhecimento conceptual e científico, atual e moderno, sobre o universo multidisciplinar de Métodos Terapêuticos Hidrológicos e, ainda, de Técnicas e Terapias Complementares Balneológicas residentes no universo termal.

     O plano pedagógico desenvolver-se-á em aulas teóricas e práticas, incluindo um conjunto de seminários/conferências tituladas por personalidades do mundo científico e empresarial com particular relevância e notoriedade no universo do termalismo e do turismo de saúde.

     Esta pós-graduação será lecionada em horário pós-laboral. Os interessados podem obter mais informações em www.ipg.pt/udi

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:52


Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.




Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D

Contacto:

correiodaguarda@sapo.pt correio.da.guarda@gmail.com



Google +