Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Festival Internacional de Cinema Ambiental

por Correio da Guarda, em 01.09.20

 

Em Seia vai decorrer de 10 a 17 de outubro a vigésima sexta edição do CineEco - Festival Internacional de Cinema Ambiental da Serra da Estrela.

O CineEco é o único festival de cinema em Portugal, dedicado à temática ambiental, no seu sentido mais abrangente. Organizado pelo município de Seia decorre anualmente, naquela cidade, desde 1995.

De acordo com a organização, a Casa Municipal da Cultura de Seia, onde irá decorrer o festival, vai estar preparada para acolher o público seguindo as regras de segurança, distanciamento e lotação das salas. Os interessados podem obter mais informações aqui.

CineECO 2020.jpg

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:38

Repensar o "espírito da Guarda"

por Correio da Guarda, em 16.07.20

 

Agendada inicialmente para junho do passado ano e posteriormente com nova marcação para 2020, a próxima cimeira luso-espanhola será realizada na Guarda (como O Interior dava conta na sua última edição), “no final de setembro, princípio de outubro”.

A “estratégia comum de desenvolvimento transfronteiriço” será um dos pontos principais da ordem de trabalhos deste encontro para o qual foi anunciada a análise de medidas que possam robustecer os territórios transfronteiriços de forma a “podermos sair desta crise”, nas palavras do primeiro-ministro português.

Curiosamente, a Guarda volta a ser palco de um encontro luso-espanhol a realizar num contexto de crise; com perfil diferente é certo, mas que reporta de novo a uma associação da cidade mais alta de Portugal à definição de novos entendimentos e rumos por parte dos dois países ibéricos.

De recordar – tal como aqui assinalámos há dois anos atrás – que a Guarda recebeu em 1976 uma importante cimeira em que estiveram os ministros dos Negócios Estrangeiros de Portugal e Espanha, respetivamente Melo Antunes e José Maria Areílza.

A cidade esteve no centro das atenções informativas, nacionais e internacionais, pois eram delicadas, à época, as relações luso-espanholas após a destruição da Embaixada em Lisboa, ocorrida em 1975.

Deste importante encontro deu conta o jornal A Guarda (este semanário e a Rádio Altitude eram os únicos órgãos de informação existentes na cidade) destacando-o na sua primeira página (edição de 20 de fevereiro de 1976) e descrevendo o ambiente que se vivia em 12 de fevereiro de 1976. “(...)O ministro espanhol foi aguardado em Vilar Formoso pelo ministro português. Eram 9,30 horas. Os dois diplomatas viajaram até à Guarda num helicóptero português que sobrevoou a cidade para logo em seguida aterrar na parada do R.I. 12 [Regimento de Infantaria 12]. (…) O encontro na Guarda fora mantido secreto até à meia-noite anterior. Até à tarde da véspera, nas duas capitais ibéricas constava que a reunião teria lugar em Estremoz. A Guarda escolhida para palco deste encontro, após os acontecimentos que toldaram as relações luso-espanholas, situa-se assim no ponto de partida de uma nova era de convivência peninsular. Já se fala, e com toda a razão, no “espírito da Guarda”. Afinal é desde há muito o “espírito” que domina as relações entre guardenses e espanhóis; espírito de concórdia e entendimento, de amizade, de compreensão mútua (…)”.

De acordo com o comunicado conjunto, divulgado após esta cimeira, “os dois ministros assinaram um acordo sobre a delimitação da plataforma continental, um acordo sobre a delimitação do mar territorial e da zona contínua, e, ainda, um protocolo adicionado ao acordo sobre o aproveitamento do troço internacional do Rio Minho. No decurso das conversações caracterizadas pelo espírito de amizade e boa vizinhança que os dois governos desejam dar às suas relações, foi passado em revista o estado das relações culturais entre os dois países (...). No domínio das questões fronteiriças, examinou-se, de modo especial o projeto de construção de uma ponte internacional sobre o Rio Guadiana entre Vila Real de Santo António e Ayamonte (...). Exprimiu-se o desejo mútuo de uma maior colaboração técnica e administrativa em matéria aduaneira, com o objectivo de facilitar o tráfego internacional entre os dois países (…)”.

Como observaria César Oliveira, “o espírito da Guarda mais não foi do que o esforço luso-espanhol para ultrapassar as tensões e a carga de potenciais conflitos entre os dois Estados, na segurança de que em Espanha parecia ser irreversível o caminho para a democracia e de que em Portugal as tentações esquerdistas e radicais estavam duradouramente afastadas”.

A Guarda ficou, desta maneira, como um marco de referência no processo de normalização das relações luso-espanholas e marcou, indubitavelmente, o segundo ano do pós-25 de Abril.

Nesta próxima cimeira o panorama político, económico e social é bem diferente, com outro tipo de problemas a exigirem uma leitura objetiva da realidade, soluções céleres, pragmatismo, cooperação e permanente solidariedade.

É mais do que tempo para terminar o esquecimento dos territórios transfronteiriços e do interior, planificando e desencadeando medidas que potenciem o seu desenvolvimento nas várias vertentes; não os reduzindo, conjuntura e estruturalmente, a meros refúgios geográficos em tempo de pandemia ou a episódicos fluxos de visitantes por insegurança noutras rotas turísticas.

GUARDA geral - cores .jpg

A nossa cidade que tem uma forte marca de cooperação, consubstanciada no Centro de Estudos Ibéricos (CEI), deverá, uma vez mais, evidenciar, “o espírito da Guarda” e olhar muito mais para além do que a sua altitude permite, aproveitando este momento para capitalizar maior projeção e protagonizar a defesa de toda uma região; sobretudo agora que (na sequência da aprovação, em 2 de setembro de 2019 da candidatura da região da Serra da Estrela) está oficializado, com a recente aprovação pelo Conselho Executivo da UNESCO, o Geopark Estrela.

Para que ocorra o robustecimento, a que aludimos nas primeiras linhas deste apontamento, é importante a decisão política, a eficácia das medidas, a perceção clara dos objetivos fundamentais e dos projetos mais adequados; mas é igualmente necessária uma permanente articulação de entidades públicas e privadas, o assumir de responsabilidades, o envolvimento de todos num período em que é primordial o empenho coletivo para se ultrapassar uma crise (com contornos ainda não definidos) para se consolidar o presente e ganhar o futuro.

Esperemos que a Guarda fique, de novo, sublinhada na história da cooperação ibérica e no desenvolvimento das regiões fronteiriças. (Hélder Sequeira)

 

In "O Interior" 16|07|2020

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:00

Estrela: Geopark Mundial da Unesco

por Correio da Guarda, em 11.07.20

GEOPARK.jpg

 

A Estrela é a partir de ontem, oficialmente, Geopark Mundial da UNESCO, integrando a lista dos 162 Geoparks Mundiais distribuídos por 44 países em todo o Mundo.

A Serra da Estrela obteve assim a sua primeira classificação UNESCO e Portugal o quinto Geopark. Localizado no centro de Portugal, o geoparque adota o nome da serra da Estrela.

No Pleistoceno, um campo de gelo desenvolveu-se no topo do planalto, criando os elementos que dotaram a região das suas características geológicas distintivas: depósitos glaciares como o campo de Moreias de Lagoa Seca, bem como aterros glaciares como o vale glaciar do Zêzere.

O geoparque apresenta também uma grande variedade de formas de alteração do granito, tais como as colunas de granito do Covão do Boi, um grande conjunto de colunas de granito natural, controladas por uma densa rede de fraturas ortogonais, bem como várias formas grandes, incluindo inselbergs (colinas isoladas ou montanhas subindo abruptamente de um plano) e formações menores em forma de cogumelo.

O Conselho Executivo da UNESCO aprovou ainda a designação de mais 14 novos geoparques mundiais da UNESCO, elevando a 161 o número de sítios participantes na Rede Mundial de Geoparques, em 44 países.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:16

Linhares da Beira

por Correio da Guarda, em 06.06.20

Linhares da Beira - Guarda - foto HS.jpg

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:16

Aves invernante da Serra da Estrela

por Correio da Guarda, em 28.12.19

Aves Invernantes .jpg

O Centro de Interpretação da Serra da Estrela (CISE) e o Centro de Ecologia, Recuperação e Vigilância de Animais Selvagens (CERVAS) vão promover nos próximos dias 8 e 9 de fevereiro de 2020 o IX Workdhop de Aves Invernantes da Serrra da Estrela.

Para os os organizadores desta iniciativa "a região da serra da Estrela representa um dos melhores locais em Portugal para observar algumas espécies de aves invernantes que noutras regiões do país são relativamente raras. Se a altitudes baixas a diversidade de aves durante o Inverno não é muito diferente da que se pode encontrar noutras zonas do país, nas zonas mais elevadas e com maiores adversidades, ocorrem espécies que estão bem adaptadas ao clima frio e à neve, como a ferreirinha-alpina e a escrevedeira-das-neves. Além destas, é possível observar o Melro-de-colar, o dom-fafe, o lugre, a petinha-ribeirinha, o tordo-zornal, o Tordo-ruivo, entre outras espécies quer residentes na região quer exclusivamente invernantes."

Deste modo, pretende-se dar a conhecer as particularidades das migrações e das adaptações ao frio e à neve e dar a conhecer alguns dos melhores locais na serra da Estrela para observar as aves invernantes. Por outro lado o curso tem por objetivo incrementar  o interesse e a sensibilidade pela observação regular de aves e pela conservação da avifauna e da natureza em Portugal.

O curso destina-se essencialmente a pessoas interessadas em conhecer as aves invernantes e as suas particularidades, a alunos de Biologia e de outras ciências naturais que pretendam obter formação nesta temática e a quem pretende conhecer os locais e as aves a observar no Inverno na região da serra da Estrela.

Os interessados podem obter mais informações aqui.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:20

Caminhos de montanha

por Correio da Guarda, em 12.12.19

O Centro de Interpretação da Serra da Estrela (CISE),  as Aldeias de Montanha e Cabeça – Aldeia Natal vão promover no próximo no dia 27 de dezembro, um percurso dirigido a todos os amantes do pedestrianism.

Este percurso utilizará  os Caminhos de Montanha da rede de percursos pedestres das Aldeias de Montanha e percorrerá a Rota dos Socalcos. No final do percurso os participantes terão a  oportunidade de passear pelas ruas da Cabeça, que desde 7 de dezembro até 1 de janeiro está  transformada em Aldeia Natal.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:15

Manteigas

por Correio da Guarda, em 10.12.19

Manteigas - HS.jpg

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:52

Geopark Estrela: UNESCO aprovou candidatura

por Correio da Guarda, em 03.09.19

Serra - Foto HS.jpg

A candidatura da região da Serra da Estrela a Geopark Mundial foi aprovada ontem, na Indonésia, pelo Conselho de Geoparks Mundiais da UNESCO.

De referir que o processo de candidatura começou a ser elaborado em 2014 e foi concretizado em 2017 com a entrega do Dossier de Candidatura à UNESCO por parte da Associação Geopark Estrela (AGE), cuja sede funciona no Instituto Politécnico da Guarda.

Agora, o processo irá aguardar o parecer do Conselho Executivo da agência das Nações Unidas.

A AGE é uma associação de direito privado, criada em 6 de maio de 2016, com o objetivo, entre outros, de promover a realização de ações tendentes a um desenvolvimento socioeconómico, cultural e ambiental, sustentável e equilibrado, dos municípios e da região da Serra da Estrela, nomeadamente através da gestão da área classificada de Geopark Mundial da Unesco.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:50

Observação de Aves

por Correio da Guarda, em 09.03.18

cartaz-passeioAves-2018.jpg

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:38

Concurso fotográfico

por Correio da Guarda, em 07.03.18

 

     Os Guardiões da Serra da Estrela, numa parceria com o Movimento de Cidadãos por uma Estrela Viva, estão a desenvolver uma campanha de sensibilização para a protecção e conservação do património natural e cultural da Serra da Estrela.
    O mote “Só podemos proteger o que conhecemos!”, está na base de um concurso totográfico, que tem como objetivo dar “imagem” a essa campanha de sensibilização para mostrar o que é necessário para  preservar a Serra da Estrela.

     O regulamento pode ser consultado aqui.

Concurso.jpg

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:41


Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.




Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2009
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2008
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D

Contacto:

correiodaguarda@sapo.pt correio.da.guarda@gmail.com