Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Exposição sobre Pinharanda Gomes

por Correio da Guarda, em 11.04.22

Jesué Pinharanda Gomes - foto HS.jpg

“Pinharanda Gomes, historiador do pensamento português” é o tema da exposição que vai estar patente na Biblioteca Nacional (NB), entre 13 de abril e 17 de setembro do corrente ano.

Esta mostra, e de acordo com a informação divulgada pela BN, é dedicada a Jesué Pinharanda Gomes (Sabugal, 1939 – Loures, 2019), pretendendo destacar o autor enquanto o maior historiador do pensamento português de todos os tempos.

Ativo numa perspetiva espiritualista e católica, estatuto que reivindica desde os primeiros livros e a que sempre se manteve fiel, Pinharanda Gomes produziu uma obra vastíssima, sobre uma inúmera multiplicidade de temas.

Autodidata, nascido em Quadrazais, Sabugal, terra raiana de contrabandistas, a que tem devotado parte importante dos seus escritos, Pinharanda Gomes só soube de ser de nacionalidade portuguesa quando iniciou a frequência do ensino primário.

Possuidor do mais vasto saber sobre a história do pensamento português, de que se destacam os três volumes da História da Filosofia Portuguesa (1981-1991), bem como sete volumes da série Pensamento Português (1969-1993), regista em todos os seus livros uma adesão viva ao modo religioso e de se tematizar as questões filosóficas.

Autor prolífico, resgatou do esquecimento histórico inúmeros autores integrados na mundividência espiritualista (Joaquim Alves da Hora, João de São Tomás, Samuel da Silva, João Lourenço Insuelas, Prudêncio Quintino Garcia, Francisco Rendeiro, Pereira de Freitas, entre outros), prestando sólida consistência à existência de uma corrente filosófica em Portugal que, em continuidade, por vezes subterraneamente, desprezada pelo racionalismo e pelo positivismo, condenada pelo modernismo, tem privilegiado, desde os alvores da nacionalidade, o espírito face à matéria, a alma face ao corpo, a transcendência face à imanência, a metafísica face à positividade empírica.

Este é, de facto e de direito, o estatuto singular de Pinharanda Gomes no seio da cultura portuguesa contemporânea: para além do seu pensamento pessoal, harmónico com a restante obra de historiógrafo da história intelectual portuguesa segundo uma visão religiosa e espiritualista, os seus estudos demarcam com clareza o fio de continuidade existente em Portugal, de um modo constitutivo, de pensadores que, ora situados no poder de Estado, ora contra este, ora a este indiferentes (os místicos), incessantemente, sem hiatos temporais, interrogaram, sem desfalecimento, segundo uma posição religiosa (não necessariamente católica e eclesiástica, como, por exemplo Amorim Viana, Sampaio Bruno e Teixeira de Pascoaes) ou apenas espiritual (por exemplo, Antero de Quental) a face de Deus e as qualificações filosóficas decorrentes: o ser, a existência, a essência, o devir, a causalidade e o determinismo, o acaso, a criação, a morte.

A mostra “Pinharanda Gomes: historiador do pensamento português” pretende homenagear esta figura, principalmente na vertente histórico-filosófica da sua obra, sem, contudo, menosprezar o pensamento original do autor e as outras contribuições dele em vários âmbitos da cultura portuguesa.

A mostra integra materiais do espólio guardado no Centro de Estudos Jesué Pinharanda Gomes,no Sabugal, assim como do acervo da Biblioteca Nacional de Portugal, instituição da qual Pinharanda Gomes foi assíduo frequentador durante a sua vida.

Esta exposição é comissariada por Miguel Real, Renato Epifânio e Fabrizio Boscaglia.

 

Fonte: Biblioteca Nacional 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:50

I Rota do Contrabando

por Correio da Guarda, em 08.04.19

 

     No próximo dia 14 de abril vai ter lugar a I Rota do Contrabando (a  cavalo) numa iniciativa  da Junta de Freguesia de Quadrazais e da Asociación Amigos del Caballo ‘A Revolera’, com o apoio do Município do Sabugal e do Ayuntamiento de Valverde del Fresno.

    Esta iniciativa pretende “agradecer conjuntamente o bem fazer dos tempos passados dos nossos pais e avós, unir dois povos irmãos com uma gíria/fala idêntica, que em tempos de contrabando era utilizada pelos dois povos de forma a comunicarem e não serem entendidos pelos Guardas ou em outras situações”, realça a organização.

    O passeio tem início na Junta de Freguesia de Quadrazais, no Largo Nuno Montemor, pelas 9 horas, em direção ao Barroco Branco e marco 60 – indicador de fronteira –, onde está marcado o encontro com “os nossos amigos espanhóis”.

   Neste local vai decorrer “um momento solene com a presença de entidades oficiais, seguido de um reforço. Depois, e em conjunto, descemos a Serra da Malcata rumo a Quadrazais, onde vai ser servido o almoço, acompanhado pela atuação do ‘Grupo Folclórico U Fresno’, ‘Cantadeiras de Quadrazais’, ‘Grupo Coral e de Cantares do Sabugal’ e ‘Grupo Etnográfico do Sabugal”.

 

   Fonte: CMSabugal

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:53

Evocação de Nuno de Montemor

por Correio da Guarda, em 02.01.14

 

     A Junta de Freguesia de Quadrazais, concelho do Sabugal, vai evocar no próximo sábado a memória do escritor Nuno de Montemor, assinalando o dia em que faleceu, há 50 anos.

     Este escritor, natural daquela freguesia raiana, faleceu em 1964, sendo o autor de vários livros de poesia e romances, tendo em “Maria Mim” uma das suas principais, e mais divulgadas, produções literárias.

     Nuno de Montemor foi o pseudónimo utilizado pelo padre Joaquim Álvares de Almeida, que, entre outras funções, desempenhou o cargo de capelão do Regimento de Infantaria 12, aquartelado, durante algumas décadas, na cidade da Guarda.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:54

Colóquio sobre obra de Pinharanda Gomes

por Correio da Guarda, em 27.03.13

 

     No próximo dia 9 de Abril vai decorrer na Faculdade de Letras da Universidade do Porto um colóquio subordinado ao tema “A Obra e o Pensamento de Pinharanda Gomes»

     Este colóquio é organizado pelo Instituto de Filosofia da Universidade do Porto e pelo Instituto Luso-Brasileiro de Filosofia.

     O programa (ver aqui) englobará um painel com a temática «Entre filosofia e cultura» e outro designado «Entre filosofia e teologia».

     Pinharanda Gomes, é uma figura incontornável da cultura portuguesa (natural de Quadrazais, concelho do Sabugal) comentava-nos, há alguns anos atrás, que, literariamente falando, é natural da Guarda; embora realizado em Lisboa, como nos dizia, foi na cidade mais alta de Portugal que lançou as primeiras raízes.

     Numa das suas muitas obras, Pinharanda Gomes escreveu que, “na esquina do tempo, e tendo saído da Guarda há muitos anos (parece que temos o destino da emigração) foi-nos concedida a graça de permanecermos fiel à mátria”.

     Essa fidelidade tem sido constante, exemplar, de uma grandeza própria de personalidades de enorme saber e erudição mas simultaneamente simples, humanas e profundamente solidárias com a sua terra de origem.

     A sua presença, frequente, em iniciativas aqui realizadas ou as intervenções proferidas sobre temáticas e personalidades ligadas à nossa região comprovam isso mesmo.

     No conjunto vasto de títulos publicados por Pinharanda Gomes avultam três áreas: os contributos na História da Filosofia; as monografias da história da Igreja e os estudos regionais.

     No decorrer da sua já longa actividade longa – que se deseja assim continue – Pinharanda Gomes, tem-se afirmado um defensor convicto, e incansável, do nosso património histórico-cultural e outrossim dos valores humanos, mormente desta zona raiana. “Sentimos quanto é longo o dever de um homem dar contas públicas do muito ou do pouco que lhe foi possível realizar pela valorização do seu património, isto é, das coisas da sua terra natal”.

    A sua obra, como escreveu João Bigotte Chorão, “bifurca-se em duas direcções aparentemente opostas: a que mergulha nas realidades sensíveis da pátria chica e a que se eleva ao céu das ideias, lá onde a filosofia, não sendo posse egoísta do saber, se assume como forma de conhecimento”.

    Recorde-se que no Sabugal foi inaugurado, no passado ano, o Centro de Estudos Pinharanda Gomes. Neste Centro está reunido todo a acervo documental particular, que o autor doou à Câmara Municipal do Sabugal, bem como cerca de 3 500 opúsculos e volumes sobre temáticas diversas.

     inharanda Gomes, é sócio fundador do Instituto de Filosofia Luso-Brasileira e membro correspondente eleito da Academia Internacional da Cultura Portuguesa e da Academia Portuguesa de História; é um intelectual que honra a Guarda, honra o país e todo o espaço da lusofonia; com o seu gesto e decisão vem enriquecer o seu concelho, o seu distrito, trazendo o seu vasto e inestimável espólio de investigador e pensador para as suas origens!...

    Um excelente exemplo para muitos...

 

   HS

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:35

Medalha de ouro para Pinharanda Gomes

por Correio da Guarda, em 02.07.12

 

     A Câmara Municipal do Sabugal decidiu, por unanimidade, atribuir a Medalha de Ouro Municipal ao ensaísta e filósofo Jesué Pinharanda Gomes, natural daquele concelho.

     A entrega deste galardão deverá ocorrer a 10 de Novembro, dia do concelho do Sabugal, onde foi, recentemente, inaugurado o Centro de Estudos Pinharanda Gomes.

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:22

Inagurado Centro de Estudos "Pinharanda Gomes"

por Correio da Guarda, em 10.06.12

 

 

     No Sabugal foi inaugurado ontem, dia 9 de Junho, o Centro de Estudos Pinharanda Gomes.

 

     Neste Centro – dedicado ao investigador, ensaísta e filósofo Jesué Pinharanda Gomes – fica reunido todo a acervo documental particular, que o autor doou à Câmara Municipal do Sabugal, bem como cerca de 3 500 opúsculos e volumes sobre temáticas diversas.

 

     Pinharanda Gomes, é sócio fundador do Instituto de Filosofia Luso-Brasileira e membro correspondente eleito da Academia Internacional da Cultura Portuguesa e da Academia Portuguesa de História

 

    Embora “tendo saído da Guarda há muitos anos (parece que temos o destino da emigração)” permanece, por vontade própria, “fiel à mátria”, firme na ideia de que “não constitui motivo de desprezo, antes motivo de ufania, dedicar alguns momentos de ócio aos assuntos regionais. Pelo estudo das partes também pode inteligir-se a feição do todo”, como ele próprio escrevia, na introdução de uma das suas muitas obras, há alguns anos atrás.

 

    Como é do domínio público, no conjunto vasto de títulos publicados por Pinharanda Gomes, avultam três áreas: os contributos para a História da Filosofia, as monografias alusivas à história da Igreja e os estudos com incidência regional ou local.

 

    Esta última vertente continua a merecer, da sua parte, atenção especial, lançando com frequência reptos para que se aprofundem os estudos da cultura portuguesa “em função da regionalidade que nos diferencia”…

 

    Pinharanda Gomes (natural de Quadrazais, concelho do Sabugal) continua também a marcar a diferença com o seu permanente labor em prol da história e dos valores do distrito da Guarda, ele que por inteira justiça e mérito próprio é um eminente vulto da filosofia e da cultura portuguesas.

 

    O programa iniciou-se pelas 15 horas, com uma sessão solene na Câmara Municipal do Sabugal, prosseguindo depois das 17 horas com a inauguração propriamente dita.

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:29

Centro de Estudos Pinharanda Gomes no Sabugal

por Correio da Guarda, em 06.06.12

 

     No Sabugal vai ser inaugurado, no próximo dia 9 de Junho, o Centro de Estudos Pinharanda Gomes.

     Neste Centro – dedicado ao investigador, ensaísta e filósofo Jesué Pinharanda Gomes – ficará reunido todo a acervo documental particular, que o autor doou à Câmara Municipal do Sabugal, bem como cerca de 3 500 opúsculos e volumes sobre temáticas diversas.

     Pinharanda Gomes, é sócio fundador do Instituto de Filosofia Luso-Brasileira e membro correspondente eleito da Academia Internacional da Cultura Portuguesa e da Academia Portuguesa de História

     Embora “tendo saído da Guarda há muitos anos (parece que temos o destino da emigração)” permanece, por vontade própria, “fiel à mátria”, firme na ideia de que “não constitui motivo de desprezo, antes motivo de ufania, dedicar alguns momentos de ócio aos assuntos regionais. Pelo estudo das partes também pode inteligir-se a feição do todo”, como ele próprio escrevia, na introdução de uma das suas muitas obras, há alguns anos atrás.

     Como é do domínio público, no conjunto vasto de títulos publicados por Pinharanda Gomes, avultam três áreas: os contributos para a História da Filosofia, as monografias alusivas à história da Igreja e os estudos com incidência regional ou local.

     Esta última vertente continua a merecer, da sua parte, atenção especial, lançando com frequência reptos para que se aprofundem os estudos da cultura portuguesa “em função da regionalidade que nos diferencia”…

     Pinharanda Gomes (natural de Quadrazais, concelho do Sabugal) continua também a marcar a diferença com o seu permanente labor em prol da história e dos valores do distrito da Guarda, ele que por inteira justiça e mérito próprio é um eminente vulto da filosofia e da cultura portuguesas.

     O programa inicia-se, pelas 15 horas, com uma sessão solene na Câmara Municipal do Sabugal.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:09

Nuno de Montemor na BMEL

por Correio da Guarda, em 12.01.12

 

     Até 31 de Janeiro decorre na Biblioteca Municipal Eduardo Lourenço (BMEL) uma mostra bibliográfica sobre Nuno de Montemor.

     Este escritor, natural de Quadrazais (concelho de Sabugal) faleceu em 1964, sendo o autor de vários livros de poesia e romances, tendo em “Maria Mim” uma das suas principais, e mais divulgadas, produções literárias.

     Nuno de Montemor foi o pseudónimo utilizado pelo padre Joaquim Álvares de Almeida, que, entre outras funções, desempenhou o cargo de capelão do Regimento de Infantaria 12, aquartelado, durante algumas décadas, na cidade da Guarda.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:19

Centro de Estudos Pinharanda Gomes

por Correio da Guarda, em 08.10.08

 

          No Sabugal vai ser criado o Centro de Estudos Pinharanda Gomes, na sequência do acordo estabelecido entre este pensador e investigador e a Câmara Municipal daquela cidade.
      Pinharanda Gomes, é uma figura incontornável da cultura portuguesa (natural de Quadrazais, concelho do Sabugal) comentava-nos, há alguns anos atrás, que, literariamente falando, é natural da Guarda; embora realizado em Lisboa, como nos dizia, foi na cidade mais alta de Portugal que lançou as primeiras raízes.
 
 
Numa das suas muitas, Pinharanda Gomes escreveu que, “na esquina do tempo, e tendo saído da Guarda há muitos anos (parece que temos o destino da emigração) foi-nos concedida a graça de permanecermos fiel à mátria”.
Essa fidelidade tem sido constante, exemplar, de uma grandeza própria de personalidades de enorme saber e erudição mas simultaneamente simples, humanas e profundamente solidárias com a sua terra de origem.
A sua presença, frequente, em iniciativas aqui realizadas ou as intervenções proferidas sobre temáticas e personalidades ligadas à nossa região comprovam isso mesmo.
         No conjunto vasto de títulos publicados por Pinharanda Gomes avultam três áreas: os contributos na História da Filosofia; as monografias da história da Igreja e os estudos regionais.
No decorrer da sua já longa actividade longa – que se deseja assim continue – Pinharanda Gomes, tem-se afirmado um defensor convicto, e incansável, do nosso património histórico-cultural e outrossim dos valores humanos, mormente desta zona raiana. “Sentimos quanto é longo o dever de um homem dar contas públicas do muito ou do pouco que lhe foi possível realizar pela valorização do seu património, isto é, das coisas da sua terra natal”.
A sua obra, como escreveu João Bigotte Chorão, “bifurca-se em duas direcções aparentemente opostas: a que mergulha nas realidades sensíveis da pátria chica e a que se eleva ao céu das ideias, lá onde a filosofia, não sendo posse egoísta do saber, se assume como forma de conhecimento”.
Pinharanda Gomes é um intelectual que honra a Guarda, honra o país e todo o espaço da lusofonia; com o seu gesto e decisão vem enriquecer o seu concelho, o seu distrito, trazendo o seu vasto e inestimável espólio de investigador e pensador para as suas origens!...Um excelente exemplo para muitos...
                                                                            Helder Sequeira
 
Para uma melhor esclarecimento, transcrevemos, com a devida vénia, do "Capeia Arraiana" uma informação mais pormenorizada.
 
 
“Após vários contactos pessoais foi estabelecido entre Mestre Pinharanda Gomes e a Câmara Municipal do Sabugal, representada pelo Presidente Manuel Rito Alves, um protocolo com validade legal que define as condições da doação do património cultural do ilustre homem de cultura quadrazenho ao concelho sabugalense.
Mestre Jesué Pinharanda Gomes oferece a sua valiosa biblioteca pessoal, pastas com correspondência particular do escritor, recortes e artigos de Imprensa sobre o autor, diplomas de instituições e a numerosa colecção de imagens de santos em que se destacam as valiosíssimas figuras em barro e outros materiais relativos à sua devoção pessoal, Santo António, padroeiro dos alfacinhas.
A Câmara Municipal do Sabugal compromete-se a aceitar o legado e a criar as condições necessárias à instalação e conservação do património doado em instalações situadas no Bairro João Paulo II, no Sabugal, ao qual deverá ser dado o nome de Centro de Estudos Pinharanda Gomes.
O Município do Sabugal vai disponibilizar um funcionário qualificado para inventariar e catalogar os livros de forma a permitir o acondicionamento e transporte de Lisbao até ao Sabugal. Quando as instalações estiverem preparadas e disponíveis a Biblioteca será aberta ao público privilegiando os estudantes e os estudiosos das disciplinas que constem dos livros constantes do legado ou que tenham em vista estudar a obra literária do escritor e a história do concelho.
O Centro de Estudos Pinharanda Gomes será um espaço privilegiado de exposição do riquíssimo património doado e irá integrar vários núcleos de investigação e estudo – unidades descentralizadas – que englobam um conjunto de investigadores interessados em áreas ou temas relacionados entre si.
Os núcleos definidos são: obras do escritor Jesué Pinharanda Gomes, arte, biografias, linguística, histórias de Portugal em diversos volumes, histórias da Igreja em diversos volumes, filosofia antiga e clássica incluindo edições bilingues (gregas e latinas), filosofia e história da filosofia em Portugal, filosofia judaica, filosofia arábica, filosofia política, teologia e mariologia e fatimologia, literatura e poesia (portuguesa e estrangeira), religião, dicionários e enciclopédias, diversas colecções de publicações periódicas e revistas, etnografia local e relações transfronteiriças.
Fomentar a acumulação de conhecimento, combinar o pluralismo analítico e metodológico com a coerência teórica e criar bases de dados que facilitem a investigação e iniciativas conjuntas com instituições públicas nacionais, regionais e locais são alguns dos objectivos do Centro de Estudos. A actividade científica será desenvolvida por uma equipa de investigadores de qualidade dando atenção particular à cooperação e às relações transfronteiriças com Espanha, à formação de jovens investigadores na área das ciências sociais e humanas, à promoção e difusão da cultura científica e ao apoio a iniciativas de cidadãos em domínios ligados às actividades do «Centro».
O processo que resulta deste protocolo deverá ficar concluído até final do ano de 2010.” In "Capeia Arraiana", 8/10/2008
 
 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:38


Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.




Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2023
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2022
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2021
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2020
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2019
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2018
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2017
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2016
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2015
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2014
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2013
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2012
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2011
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2010
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2009
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
  209. 2008
  210. J
  211. F
  212. M
  213. A
  214. M
  215. J
  216. J
  217. A
  218. S
  219. O
  220. N
  221. D

Contacto:

correio.da.guarda@gmail.com