Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Prova de Enduro BTT em Cadafaz

por Correio da Guarda, em 03.06.21

 

Enduro_ Associação Solidariedade de Cadafaz © (

                                                                                                                                                                               Foto: ASC

A aldeia de Cadafaz, no concelho de Celorico da Beira, recebe nos próximos dias 5 e 6 de junho, a prova de Enduro BTT - Aldeias de Montanha, um evento desafiante com uma forte componente solidária e ambiental. Por cada participante, há uma árvore autóctone que vai nascer.

Este evento materializa o espírito solidário e comunitário dos habitantes de Cadafaz e Rapa que, através da Associação de Solidariedade do Cadafaz, promovem ações de limpeza nos trilhos e caminhos percorridos pela prova, atuando assim enquanto agentes de mitigação do risco de incêndio florestal e contribuindo para uma melhor mobilidade nos caminhos que servem os agricultores e pastores locais.

Para as entidades envolvidas, Associação de Solidariedade de Cadafaz, o Município de Celorico da Beira, União das Freguesia de Rapa e Cadafaz e Rede de Aldeias de Montanha, esta prova de Enduro BTT - Aldeias de Montanha deve ser mais de que um mero acontecimento desportivo, apenas se concretiza na sua plenitude se estiver verdadeiramente conectada com os valores ambientais presentes, respeitando a identidade da aldeia e a biodiversidade local.

Por esse motivo, a Rede de Aldeias de Montanha, numa iniciativa aberta à comunidade e aos participantes da prova, oriundos das diversas geografias nacionais, compromete-se a plantar nos baldios da freguesia, uma árvore da flora autóctone por cada participante.

Esta é uma iniciativa que visa envolver diretamente os participantes, uma vez que na próxima primavera, todos serão convidados a participar numa ação de reflorestação, que proporcionará um dia memorável numa Aldeia de Montanha em contacto com a natureza e as suas gentes.

Enduro 2.jpg

                                                                                                                                                                              Foto: ASC

A prova de Enduro BTT - Aldeias de Montanha, que integra o programa oficial da modalidade da Federação Portuguesa de Ciclismo, acontece no BIKEPARK Cadafaz -Rapa. Este compreende vários traçados off-road que, pela sua diversidade de trilhos, morfologia do terreno e altimetria, proporcionam uma experiência disruptiva e desafiante aos participantes. O traçado realça não só as qualidades técnicas e físicas do BTT / All-Mountain, mas também as arrebatadoras paisagens da Serra da Estrela.

Apostar num turismo regenerativo, capaz de transformar por via da interação do visitante no local, com impacto no território, é o propósito da Rede de Aldeias de Montanha e das entidades que, de forma integrada, definiram este verdadeiro Plano de Ação que tem como principal objetivo acrescentar valor ao território.

Esta ação integra o Plano de Animação da Rede de Aldeias de Montanha, no âmbito da Estratégia de Eficiência Coletiva PROVERE iNATURE, cofinanciado pelo Centro 2020.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:30

Manuel Ferreira: paixão pela fotografia e pela Serra

por Correio da Guarda, em 06.05.21

 

 

De raízes nas profundezas da Serra da Estrela, Manuel Ferreira alia o gosto pelas paisagens da montanha aos registos fotográficos que vai realizando aquando das suas incursões, tendo como aliados a sua proximidade ao meio e o seu conhecimento científico, proveniente da licenciatura em geografia.

É na alma e no silêncio da serra, onde a natureza impera que Manuel Ferreira – com quem o CORREIO DA GUARDA conversou – encontra a sua inspiração, construindo dessa forma o portfólio exposto.

É um observador assumido, de olhar atento ao meio envolvente, que faz da fotografia a sua melhor forma de se expressar, refletindo um trabalho de paixão e evolução contínua, onde as redes sociais são o principal canal de divulgação e projeção.

A consagração surge através dos resultados alcançados nos diversos concursos fotográficos nacionais e internacionais, confirmando assim a qualidade dos registos efetuados. Embora não sendo a sua principal atividade, na Escola Profissional da Serra da Estrela Manuel Ferreira desempenha o papel de formador do módulo de fotografia e orienta diversos workshops no âmbito desta temática.

Fotógrafo oficial do Geopark Estrela, durante o primeiro ano da candidatura, publica em vários sites de referência na especialidade.

Manuel Ferreira - fotógrafo.jpg

Como e quando surgiu o interesse pela fotografia?

O interesse pela fotografia surge durante a formação académica, da necessidade de registar conteúdos programáticos em diversas cadeiras da Licenciatura de Geografia (2001-2005).

Entretanto, por motivos pessoais e profissionais, a fotografia passa para um segundo plano e só mais tarde no ano de 2013 volta a despertar esse meu interesse, quando numa noite por coincidência tive que ser “fotógrafo de serviço” na cobertura de um evento.

 

Que géneros de fotos prefere? Paisagem, retrato?...

Sem qualquer dúvida, paisagem e natureza com um gosto especial pela astrofotografia.

A fotografia social, tem surgido por vezes como um desafio e aprecio a oportunidade de captar as emoções e sentimentos que se fazem sentir durante os eventos.

 

A Serra da Estrela continua a ser cenário de inspiração?

A Serra da Estrela, com ou sem máquina é sempre inspiradora, pela ligação umbilical, pelas paisagens únicas, mas principalmente pela luz e a dinâmica que tem no relevo montanhoso. E claro, não esquecendo a serenidade que me transmite.

Serra - foto de Manuel Ferreira -.jpg

O que gosta mais de fotografar na Serra?

Prefiro a questão ao contrário: Só não gosto de fotografar na Serra se estiver céu totalmente azul, a luz muito intensa não permite mostrar certos detalhes.

No entanto, há duas épocas que me fascinam, o Outono pelos tons que as encostas da montanha ganham nessa altura do ano e o Inverno na expetativa que alguns dias de meteorologia mais agreste crie cenários únicos que permitam fazer trabalhos distintos de qualquer outro lugar de Portugal.

 

Qual tem sido a reação das pessoas às suas fotos?

Provavelmente as opiniões dividem-se, mas o que faço e como o mostro, é como eu o vi ou imaginei, no entanto as opiniões que me chegam são positivas e de agrado pela forma como retrato e divulgo a Serra.

 

Serra da Estrela - Fot Manuel Ferreira -2.jpg

 

Os prémios que tem recebido constituem um incentivo para novos trabalhos?

Os prémios acima de tudo geram uma maior responsabilidade, estimulam a vontade de fazer ainda mais e melhor e se forem monetários ajudam nas despesas.

 

Qual foi a distinção que mais gostou de receber?

Há sempre um sentimento especial e de gratidão em cada uma, não conseguindo distinguir, apenas diferenciar quando analiso os restantes trabalhos de outros fotógrafos que se propõem a essa distinção.

 

O digital incrementou, junto das pessoas em geral, o gosto pela fotografia?

Considero que há uma diferença entre imagens e fotografia, sendo que o digital facilitou o acesso à imagem, em relação à fotografia, o assunto é diferente, mas com certeza que estimulou um maior número de pessoas que o analógico, por ser muito mais económico e instantâneo. Mas não confundamos imagem com fotografia.

 

Fazer fotografia implica uma permanente atualização dos equipamentos?

Na minha opinião, não, metaforicamente falando, consoante o poder económico de cada indivíduo, é importante saber escolher a gama do veículo, para o género e tamanho da viagem que necessitamos de realizar.

As marcas e o mercado “criam-nos necessidades” que por vezes não temos assim tanta necessidade, é importante saber filtrar.

 

Os preços dos equipamentos são hoje mais acessíveis?

Da experiência que tenho em aquisições, os preços mantêm-se quando nos estamos a referir a equipamentos com o mesmo patamar de qualidade, ou seja os topos de gama entram no mercado com preços muito semelhantes aos lançados já anteriormente.

 

Para além das iniciativas que tem havido, na área de fotografia, o que podia ser ainda feito para aproximar o público em geral dos trabalhos fotográficos aqui produzidos?

Sem dúvida que é um grande desafio, mas passa pela sensibilização e motivação cultural das camadas mais jovens, porque na diversidade e qualidade de eventos que se realizam, não vejo motivos para existir esse afastamento.

 

Tem algum episódio curioso, ou que lhe tenha deixado boas recordações, no decorrer da sua atividade fotográfica?

Diversos, dos quais os que mais me entusiasmam são a convivência com os pastores que vou encontrando pela Serra, são pessoas cheias de histórias que me transportam para o Mundo deles, momentos esses em que troco a máquina pela conversa e me deixo levar pelas infindáveis histórias e sabedoria que me transmitem.

 

E episódio menos agradável?

Sentir que uma entidade relacionada com a Serra da Estrela com a qual colaborei na cedência de fotografias para a sua divulgação durante algum tempo, de forma gratuita, após ter conseguido financiamento, dispensaram a minha colaboração por discórdia em relação aos direitos autorais, mas que posteriormente não os verifiquei nos restantes trabalhos que divulgam.

foto de Manul Ferreira.jpg

 

Que projetos tem, no campo da fotografia?

Tenho dois a decorrer há já algum tempo, são projetos de longo prazo onde o mote principal é a componente humana relacionada com as “lides serranas”, mas que por enquanto não vou revelar.

 

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:01

Olhar...

por Correio da Guarda, em 04.10.15

 

Cão Serra da Estrela- HS -2015.jpg

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:15

Festa da Trasumância em Castelo Rodrigo

por Correio da Guarda, em 02.09.13

 

     A Câmara Municipal de Figueira de Castelo Rodrigo, em colaboração com a Associação Transumância e Natureza, vai realizar, nos próximos dias 7 e 8 de Setembro, a V Festa da Transumância.

    Este evento pretende valorizar e homenagear a transumância, bem como o sector da agricultura e da pecuária, dos mais importantes da comunidade rural da região, assim como, assinalar também a importância da criação de gado na economia local.

    Durante dois dias, a aldeia histórica de Castelo Rodrigo vai vestir-se de sons, saberes e sabores da transumância, com uma feira de produtores, workshops, música, dança, jogos tradicionais e muita diversão.

     A já habitual Rota da Transumância será dia 8 de Setembro, onde ovelhas, burros e cavalos, ao som de gaiteiros, partem numa caminhada da Freixeda do Torrão até Castelo Rodrigo.

     O primeiro dia do evento é dedicado às Memórias e o segundo dedicado aos Saberes das Transumância. O fim-de-semana começa com uma caminhada à Reserva da Faia Brava, com ponto de encontro às 9.00h em Algodres, onde os participantes deverão levar almoço, pois haverá um momento de piquenique na natureza.

     Entretanto, às 15.00h, no largo de São João em Castelo Rodrigo, dá-se início à Feira da Transumância, onde irão existir produtos em burel, artesanato tradicional e produtos agrícolas locais. A feira mantém-se até domingo ao final do dia.

     Às 16.00h será aberto o espaço de memórias, com diversas apresentações ao longo da tarde, como é o caso do projeto “Arquivo de Memória do Vale do Côa” que  fará uma apresentação de um diaporama com os pastores locais.

Rosa Pomar vai apresentar a sua recolha feita ao longo de todo o país, de tradições e ofícios da lã e Tiago Pereira vai apresentar o projeto nacional “Música portuguesa a gostar dela própria”.

    O domingo, dia 8, começará com um ponto de encontro no campo das eiras na Freixeda do Torrão, às 9.00h; dali partirá o pastor, com as suas ovelhas, que vai guiar a Rota da Transumância até Castelo Rodrigo, ao som das famosas gaitas mirandesas.

    A partir das 15h dá-se início às oficinas da transumância, onde o desafio será aprender a fazer queijo, a fiar a lã e a tecer, criando produtos tradicionais.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:02

Chocalhada de São Martinho

por Correio da Guarda, em 06.11.12

 

     Em Loriga, na noite de 10 para 11 de novembro, cumpre-se mais uma vez a tradição, os pastores tiram os chocalhos ao gado e colocam-nos nos braços e nas pernas, partindo em marcha acelerada, pelas ruas naquela que é a mais impressionante chocalhada de São Martinho.

     De tradição secular, a Chocalhada de São Martinho, encontra-se intimamente associada aos costumes e vivências dos pastores, e diz a lenda que a sua finalidade era a de afastar os males dos seus rebanhos.

    A antecipar a noite e a chocalhada, que decorre a partir das 20.30h, estão agendadas para a tarde um conjunto de jogos tradicionais, o magusto e a proposta para saborear nos restaurantes da Vila, e junto das tasquinhas improvisadas, algumas das melhores iguarias feitas com castanha.

    Os festejos continuam com a atuação de tocadores de concertinas.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:33


Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.




Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2011
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2010
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2009
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2008
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D

Contacto:

correio.da.guarda@gmail.com