Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


A propósito do Colégio do Sabugal

por Correio da Guarda, em 22.02.19

Imagem do Colégio Sabugal polaroid.jpg

     O XIII Encontro de Antigos Alunos, Professores e Funcionários do Externato Secundário do Sabugal (ESS) vai realizar-se, naquela cidade, no próximo dia 25 de maio.

    Como foi divulgado recentemente, a iniciativa – à semelhança do que tem acontecido em encontros anteriores – assume-se como interação entre antigos alunos, ex-docentes e ex-funcionários, tempo de convívio, partilha de memórias

    O Externato Secundário do Sabugal, que funcionou até 1986, foi dirigido desde 1955 por José Diamantino dos Santos, igualmente professor e proprietário daquele estabelecimento de ensino, onde estudaram milhares de jovens de sucessivas gerações.

    Embora as instituições possam evidenciar projetos e pessoas, também é certo que estas últimas contribuem, em larga medida, para a sua afirmação; foi o que aconteceu com o impulsionador e obreiro do Externato Secundário do Sabugal.

    José Diamantino dos Santos nasceu no Freixial (concelho do Fundão) em 1930; frequentou a escola primária de Vilar Maior (Sabugal) e depois de uma passagem pelo Seminário Menor de Beja e pelo Seminário Maior dos Olivais terminaria os seus estudos na Universidade de Salamanca.

Dr. José Diamantino dos Santos.jpg

    Regressado ao Sabugal (onde viria a ter uma ativa intervenção na vida política e social, ao longo de décadas) empenhou-se em erguer ali um projeto formativo, pedagógico e cultural; simultaneamente um espaço de convívio, prática desportiva, de permanente acompanhamento dos alunos, quer dos residentes na sede do concelho, quer de todos quantos diariamente se deslocavam das suas aldeias.

   Emblemática instituição daquele concelho, o Externato Secundário do Sabugal possibilitou a sequências dos estudos a um elevado número de jovens que, por motivos diversificados – mormente de ordem económica – não tinham ao seu alcance a opção por outros centros urbanos; aliavam, na frequência deste estabelecimento de ensino, a vantagem de não ficarem afastados das suas famílias e terras de origem.

    Num concelho fortemente marcado, nessas décadas, pela emigração, muitos dos alunos podiam ter desta forma o acompanhamento direto por parte dos seus familiares (avós, tios, etc.) que continuaram a residir nesta região raiana, travando o despovoamento, resistindo estoicamente às dificuldades de um interior ostracizado e longínquo dos centros de decisão, mantendo vivências e tradições, salvaguardando traços identitários.

   O Colégio do Sabugal, como era também designada esta instituição de ensino secundário, consolidou a preparação dos seus alunos para novas fases de formação académica e outrossim para a vida, imprimindo-lhe a sua matriz, independentemente das opções posteriores, dos rumos profissionais seguidos, das diferentes escolhas geográficas para trabalharem.

    Este encontro, dinamizado anualmente por sucessivas comissões de diferentes escalões etários, não se resume, contudo, ao momento festivo ou ao ritual de um assumido compromisso de calendário; é uma homenagem a quem soube guindar um projeto formativo e cultural, a quantos transmitiram o seu saber e alicerçaram a atividade letiva, é o reconhecimento do importante papel da referida instituição no desenvolvimento do tecido comercial e no incremento da economia local e concelhia; é também tempo de reencontro.

   Como escreveu Vergílio Ferreira, “o que mais importa não é o novo que se vê mas o que se vê de novo no que já tínhamos visto”.

   Encontros desta natureza, para além da importância que assumem enquanto iniciativa de festejo da amizade e reforço de laços afetivos, representam igualmente uma proposta de reflexão em torno da necessidade de um estudo sobre a história dos estabelecimentos de ensino desta região do interior; dos existentes e sobretudo daqueles que existiram...para memória futura. (Helder Sequeira)

 

     In O Interior, 21 fev 2019

 

    

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:05


Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.




Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D

Contacto:

correiodaguarda@sapo.pt correio.da.guarda@gmail.com



Google +