Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Jornal A Guarda comemora 120º aniversário

por Correio da Guarda, em 15.05.24

 

O Secretariado Diocesano da Cultura e Comunicação (SDCC) vai assinalar hoje o 120º aniversário do jornal A Guarda.

“120 anos de homens e letras - A Guarda e os seus construtores” é a designação do seminário que sublinhará a efeméride, decorrendo a partir das 15 horas na Biblioteca Municipal Eduardo Lourenço, Guarda.

O programa integra uma intervenção do Bispo da Diocese da Guarda, D. Manuel Felício, seguindo-se a contextualização desta iniciativa por Dulce Helena Borges, coordenadora do Secretariado Diocesano da Cultura e Comunicação.

“A imprensa religiosa em Portugal” é o tema da comunicação a apresentar por Fernando Sousa e Anabela Matias irá intervir com uma apresentação intitulada “Sanches de Carvalho, um humanista para o nosso tempo".

“O papel das mulheres num jornal centenário: o caso do jornal A Guarda” é o título da intervenção de Liliana Carona que antecederá a comunicação de Henrique Santos que incidirá sobre “A revista Horizonte, fonte de cultura ao tempo de Sanches de Carvalho”.

Semanário A GUARDA.jpg

Para Dulce Helena Borges, “o Secretariado Diocesano da Cultura e Comunicação não poderia deixar de assinalar os 120 anos do jornal A Guarda e o pioneirismo do distrito em termos da imprensa regional e, sobretudo, da imprensa católica”.

A responsável pelo SDCC referiu ainda, a propósito deste seminário que “a importância deste semanário nunca se circunscreveu ao território da diocese, e marca a história da imprensa religiosa portuguesa”.

Este seminário é aberto a todas as pessoas interessadas, tendo entrada livre.

No Espaço ExpoEcclesia, na Guarda, será inaugurada hoje, pelas às 18 horas, uma exposição, intitulada “Jornais Centenários do Brasil e de Portugal: Um Legado Cultural”.

A exposição integra-se no programa comemorativo dos 120 anos do jornal A Guarda.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:20

Um referência na Imprensa Religiosa

por Correio da Guarda, em 08.05.24

 

O Secretariado Diocesano da Cultura e Comunicação (SDCC) vai assinalar, no próximo dia 15 de maio, o 120º aniversário do jornal A Guarda.

“120 anos de homens e letras - A Guarda e os seus construtores” é a designação do seminário que sublinhará a efeméride, decorrendo a partir das 15 horas na Biblioteca Municipal Eduardo Lourenço, Guarda.

O programa integra uma intervenção do Bispo da Diocese da Guarda, D. Manuel Felício, seguindo-se a contextualização desta iniciativa por Dulce Helena Borges, coordenadora do Secretariado Diocesano da Cultura e Comunicação.

“A imprensa religiosa em Portugal” é o tema da comunicação a apresentar por Fernando Sousa e Anabela Matias irá intervir com uma apresentação intitulada “Sanches de Carvalho, um humanista para o nosso tempo".

“O papel das mulheres num jornal centenário: o caso do jornal A Guarda” é o título da intervenção de Liliana Carona que antecederá a comunicação de Henrique Santos que incidirá sobre “A revista Horizonte, fonte de cultura ao tempo de Sanches de Carvalho”. 

Para Dulce Helena Borges, “o Secretariado Diocesano da Cultura e Comunicação não poderia deixar de assinalar os 120 anos do jornal A Guarda e o pioneirismo do distrito em termos da imprensa regional e, sobretudo, da imprensa católica”.

A responsável pelo SDCC referiu ainda, a propósito deste seminário que “a importância deste semanário nunca se circunscreveu ao território da diocese, e marca a história da imprensa religiosa portuguesa”.

Este seminário é aberto a todas as pessoas interessadas, tendo entrada livre.

Semanário A GUARDA.jpg

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:52

Jornais centenários em exposição

por Correio da Guarda, em 05.03.24

 

Na Biblioteca Municipal Vergílio Ferreira, em Gouveia, vai ser inaugurada no dia 9 de março, pelas 15 horas, a exposição “Jornais Centenários de Portugal e do Brasil: Um legado cultural”.

Esta iniciativa pretende assinalar a passagem do 110º aniversário do “Notícias da Gouveia” e os 50 anos do 25 de abril. Trata-se de uma rara coleção de 56 jornais centenários de Portugal e do Brasil, publicados ininterruptamente desde 1835 e 1825, os quais testemunham a história do jornalismo, da imprensa e da língua portuguesa, bem como a evolução cruzada dos dois países no contexto da formação política, ideológica, social, económica, cultural e científica do mundo desde o século XIX até aos dias atuais.

Em Portugal, esta exposição esteve já patente já esteve no distrito de Évora, no Porto, em Aveiro e em Lisboa), tendo também decorrido no Brasil (Pernambuco) e no Parlamento Europeu (Bruxelas).

No mesmo dia, e após a inauguração da exposição, terá lugar um debate subordinado ao tema “Desertos de notícias. Desertos de Liberdade?”

O estudo dos desertos de notícias, coordenado pelo investigador Pedro Jerónimo da LabCom (Universidade da Beira Interior), aponta que 25% dos concelhos em Portugal não tem qualquer órgão de comunicação, e que mais de 50% estão em algum nível de risco, ou seja, que se podem tornar num deserto de notícias.

 O jornal Notícias de Gouveia (NG), fundado a 12 de fevereiro de 1914, apresenta neste seu aniversário novas rubricas, além da renovação do programa de literacia mediática, que oferece a assinatura a estudantes do agrupamento local escolar.

Notícias de Gouveia_.jpg

Durante os primeiros três anos da sua existência o NG intitulou-se Semanário Evolucionista, na linha das confissões políticas que animavam os seus fundadores. Até ao número 17, a redação e a administração situavam-se na Rua do Ouvinho, sendo proprietário João Pinto de Sousa e diretor Afonso Xavier de Oliveira Fonseca.

Sucedeu-lhe, no cargo, José de Almeida Motta, que passou a ser o novo proprietário e reconhecido fundador do Notícias de Gouveia, a partir da publicação no13, a 7 de maio de 1914. Em 1916, José de Almeida Motta abandonou a designação de Semanário Evolucionista e o jornal passou a proclamar-se “Defensor dos Interesses da Região”. Mais tarde, viria a assumir funções, Carlos Gomes de Almeida Motta, seu filho, nomeado subdiretor em maio de 1954 e mais tarde diretor em junho de 1970.

Em outubro de 1995, o jornal passou para a titularidade da Associação de Beneficência Popular de Gouveia (ABPG), tendo Carlos Gomes de Almeida Motta sido substituído, no cargo de diretor, por Hercílio Azevedo Ribeiro. Em julho de 2007, por força de imperativos de ordem legal firmados na nova legislação que veio regular o sector, alterou a sua periodicidade de semanal para trimensal Atualmente o jornal é dirigido por Liliana Carona.

A exposição “Jornais Centenários de Portugal e do Brasil: Um legado cultural” poderá ser visitada na Biblioteca Municipal Vergílio Ferreira (Gouveia) no seu horário de funcionamento. A entrada é livre.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:12

O papel das mulheres na Imprensa Regional

por Correio da Guarda, em 14.12.23

 

A feminização do jornalismo regional em contexto português: o caso dos jornais centenários” é o título da tese de doutoramento que a jornalista Liliana Carona defendeu recentemente na universidade de Coimbra. A investigação contemplou a análise documental dos 40 jornais regionais centenários (localizados maioritariamente no norte do país) a aplicação de um inquérito a profissionais da imprensa regional, e a realização de entrevistas em profundidade.

Este trabalho permitiu concluir que a composição destes jornais reflete “uma evidente desigualdade de género, nomeadamente no que diz respeito ao número de mulheres a desempenhar cargos de chefia”.

Como foi sublinhado, “apenas 6 jornais têm diretoras mulheres (15%); 40% dos jornais são editados unicamente em papel, ou seja, a maioria tem presença no digital, mas com evidentes dificuldades de modernização tecnológica. Plataformas obsoletas ou não atualizadas”. De referir que 40% destes jornais são semanários e 11 (27,5%) são associados da AIC - Associação de Imprensa de Inspiração Cristã.

No que diz respeito aos resultados do Inquérito feito a profissionais da imprensa regional, “olhando ao total de respostas do inquérito realizado a profissionais da imprensa regional, concluímos que cerca de metade da amostra (44,3%) em análise, é a favor da inclusão de uma alínea/diretriz, dedicada exclusivamente à igualdade de género, no Código Deontológico dos jornalistas”, adiantou Liliana Carona.

Relativamente aos profissionais da imprensa regional, verifica-se uma população maioritariamente feminina (58,8%), com predomínio dos que possuem 41-50 anos (36,1%), havendo mais mulheres com grau de escolaridade de ensino superior (licenciatura, mestrado, doutoramento): 48,3% homens com licenciatura, 66,1% mulheres.

Jornalista_foto Helder Sequeira_ .JPG

A autora desta tese de doutoramento destaca ainda que “em comparação com as mulheres, um maior número de homens afirma refletir sobre igualdade de género no jornalismo, sendo que do total de respostas, 7% admite nunca ter pensado no tema. 6,7% de homens garantem pensar ‘sempre’ sobre o tema, por oposto a 6,3% de mulheres a indicarem a mesma resposta”.

Os homens ‘concordam totalmente’ (8%) que jornalistas mulheres, em geral, têm mais aptidão para escrever assuntos relacionados com mulheres. As mulheres ‘concordam totalmente’ nessa afirmação, numa percentagem inferior (7%); já 28% dos homens desempenham o cargo de direção editorial, número superior às profissionais do género feminino na função de diretora da publicação (16% de mulheres).

A propósito desta investigação, Liliana Carona acrescentou que as mulheres consideram ter sido mais vezes alvo de discriminação de género, constatando-se uma média mais elevada para as mulheres. Nenhum homem referiu ter sido ‘muitas vezes’ alvo de discriminação por causa do género. 5% das mulheres indica ter sido alvo de discriminação ‘muitas vezes’. De salientar, e de acordo com o estudo em referência, que as mulheres são mais afetadas pela precariedade no jornalismo (24,2% das mulheres afirma ter contrato temporário de trabalho, face a 7% de homens).

Nesta tese é recomendada a definição, no âmbito da Carteira Profissional de Jornalista, do título de jornalista de imprensa regional, apresentando-se também a necessidade de inclusão de alínea específica e exclusiva, no Código Deontológico dos Jornalistas, dedicada à igualdade de género, no que diz respeito às fontes ouvidas.

Nas sugestões apresentadas pela jornalista autora deste trabalho académico, está ainda acentuada a necessidade urgente de “debater e analisar o tratamento desigual nas redações da imprensa regional, que é ocultado e negado”, bem como a importância da aposta na formação e redefinição e clarificação das normas de acesso à profissão.

A implementação de planos para a igualdade de género adaptados ao contexto dos media e jornalismo e o investimento na digitalização dos arquivos dos jornais centenários são outras medidas defendidas.

Liliana Carona, integra o grupo R/COM (Renascença) há 13 anos, enquanto jornalista correspondente na região interior centro, sendo também diretora do jornal Notícias de Gouveia (desde 2015); exerce ainda funções docentes Escola Superior de Educação de Viseu e na Escola Superior de Educação, Comunicação e Desporto da Guarda.

 

HS/CGuarda

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:57


Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.




Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2023
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2022
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2021
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2020
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2019
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2018
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2017
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2016
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2015
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2014
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2013
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2012
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2011
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2010
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2009
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
  209. 2008
  210. J
  211. F
  212. M
  213. A
  214. M
  215. J
  216. J
  217. A
  218. S
  219. O
  220. N
  221. D

Contacto:

correio.da.guarda@gmail.com