Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Pensar o desenvolvimento global

por Correio da Guarda, em 16.08.19

 

Ao longo dos anos a sobreposição, nas mesmas datas, de eventos culturais, desportivos ou musicais tem sido evidente, com reflexos negativos ao nível de potenciais participações ou da fixação de visitantes, durante mais dias.

Reeditamos, uma vez mais, esta questão por considerarmos ser importante o desenvolvimento de um trabalho, planificado com antecedência e num verdadeiro espírito de cooperação e diálogo, por parte das autarquias, agentes culturais ou desportivos, instituições e coletividades.

O conhecimento prévio da calendarização de eventos na nossa zona incrementará um maior envolvimento dos residentes e dos forasteiros, pela possibilidade de equacionarem a sua participação e de elaborarem o roteiro mais adequado com os seus gostos.

Guarda - Foto Helder Sequeira.jpg

Salvaguardando as datas âncora tradicionalmente reservadas para certames que estão consolidados no distrito, o cuidado dos organizadores deve passar pela recíproca troca de informações passíveis de permitirem o desejado alargamento temporal de eventos, distribuídos por dias diferentes; desta forma, as pessoas terão a possibilidade de participar em diferentes iniciativas, programadas para locais distintos.

Um visitante que venha à Guarda numa determinada data para assistir a um espetáculo não terá, certamente, a possibilidade de participar noutro evento (até com perfil diferente) que decorra, no mesmo dia, em Seia, Trancoso, Pinhel ou no Sabugal, por exemplo; oferecer, com a refletida e acordada distribuição, vários eventos no período de visita dessas pessoas terá toda a vantagem em termos de rentabilização da viagem, do conhecimento da região, das receitas da restauração e hotelaria, da dinamização social e melhor conhecimento das localidade.

Esta planificação, pelo que se tem verificado em termos de estratégias concelhias, não será fácil mas é fundamental abrir caminho a uma agenda comum enquadrada num objetivo e empenhado trabalho em rede; capaz de contemplar o máximo de propostas, muito para além de eventos, alargando a novos roteiros motivadores da heterogeneidade de públicos alvo. De recordar que, há algumas décadas atrás, e já no período pós-25 de abril, as reuniões periódicas de presidentes das câmaras municipais do distrito fomentavam um interessante diálogo que permitia o entendimento em várias matérias e eficazes fórmulas de cooperação, benéficas para a evolução dos territórios.

Os castelos, as praias fluviais, a cultura, os solares, as igrejas, a gastronomia, os trilhos, as atividades de montanha, a Serra da Estrela, a flora, os museus, os monumentos e sítios arqueológicos, as tradições, os festivais, o artesanato, as aldeias da meseta ou da Serra, as recriações históricas, as feiras, a observação das aves, os vinhos, os roteiros sobre escritores, o teatro religioso, as águas cristalinas e as múltiplas e encantadoras paisagens que temos para (re)descobrir e oferecer, a quantos nos queiram visitar, é um vasto conjunto de áreas potenciadoras de novas vias de desenvolvimento.

Atualmente, com o a disponibilização de novas tecnologias – o que não afasta uma edição impressa da agenda distrital – não é difícil a organização e sistematização de uma informação (regular e eficazmente atualizada) sobre a oferta distrital ao nível de eventos, locais a visitar, hotelaria, restauração, imprensa local, transportes, roteiros turísticos, locais de lazer, formação, bibliotecas e arquivos, unidades de saúde e contactos úteis.

A criação (envolvendo contributos multidisciplinares) de uma aplicação para equipamentos móveis, usados por todos no dia a dia, uma via desejável, conciliando-a com outros suportes informativos que não olvidem, igualmente, a síntese e qualidade dos textos, o cuidado na apresentação, a qualidade fotográfica e a facilidade de consulta.

Existem, na nossa zona, conhecimentos, recursos e meios; falta a decisão, o entendimento e o empenho em se pensar numa estratégia global para esta região do interior, divulgando a sua realidade, promovendo as suas potencialidades, captando novos visitantes e investimentos.

Hélder Sequeira (in O Interior, 15|8|2019)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:55

Combater a desinformação

por Correio da Guarda, em 19.07.19

 

     A necessidade de combater a desinformação tem sido acentuada nos últimos tempos, com a União Europeia a pedir aos estados membros para tomarem as medidas adequadas. Uma larga percentagem das “fake news” é suportada pelas plataformas digitais e, assim, não é de estranhar, que só no passado mês de março o Facebook bloqueou, na EU, mais de 600 mil anúncios, considerados como “enganosos”.

   O Google lançou, entretanto, o curso Be Internet Awesome vocacionado para crianças entre 7 e 12 anos de idade; embora não seja um projeto propriamente novo (pois tem alguns anos de existência e era dirigido para ministrar preparação aos mais jovens sobre os cuidados a ter com o mundo mediático), a Google decidiu, este ano, aperfeiçoar essa ferramenta de alfabetização mediática, disponível em português.

    Assim, são facultadas indicações para a deteção de informações falsificadas e como atuar perante as várias situações detetadas, entre outras coisas. Seja Incrível Na Internet (Be Internet Awesome) “ensina às crianças os conceitos básicos de segurança e cidadania digital para que elas possam explorar o mundo on-line com confiança”, como é referido na página específica deste projeto.

    O Google já no início de 2018 tinha anunciado uma série de medidas para travar “fake news”, a que Portugal não escapa, como ficou bem explícito numa série de reportagens da autoria do jornalista Paulo Pena, publicadas no Diário de NotíciasNa passada semana, este jornalista esteve na Guarda para falar da urgência em lutar contra a desinformação, no âmbito da iniciativa Media Veritas Talks.

   O Media Veritas é um programa de combate à iliteracia mediática, contra a manipulação jornalística e a desinformação promovido pela Associação Portuguesa de Imprensa em parceria com o Google.org; o objetivo é desenvolver, em Portugal, a Literacia dos Media junto das comunidades mais vulneráveis ao longo de dois eixos (adolescentes e jovens e seniores), assegurando igualmente uma base para garantir a sua continuidade. Com o Media Veritas pretendemos contribuir para uma sociedade mais livre, informada e democrática; dotar os mais vulneráveis consumidores de informação, designadamente os adolescentes/jovens e seniores, a nível local e regional, de ferramentas que os habilitem a estar melhor informados e assim garantir a construção de um país mais justo e equilibrado; promover o desenvolvimento do pensamento crítico e do uso de fontes de informação credíveis e apoiar os órgãos de comunicação social, contribuindo para garantir a fiabilidade dos respetivos conteúdos”. Esclarece a Associação Portuguesa de Imprensa, cujo presidente, João Palmeiro, foi outro dos intervenientes na sessão que decorreu na Biblioteca Municipal da Guarda.

    Mostrar aquilo que é a desinformação, a iliteracia mediática e a manipulação jornalística e como pode ser combatida serviu de mote para o Media Veritas Talks, na Guarda, que deveria ter merecido uma maior atenção por parte da comunidade e mormente de que tem responsabilidades educativas,  informativas e editoriais.

    Paulo Pena falou da existência, em Portugal, de vários sites de notícias falsas que acabam por ser partilhadas nas redes socias, validadas de forma inconsciente pelas pessoas; estas, “não valorizando o efeito da mentira” colocam “em risco” os pilares da democracia. Deste modo, é fundamental a garantia de que a informação, nos media, é tratada “de uma maneira profissional”, obedecendo a regras, códigos e à ética.

    No passado ano, na Guarda (e numa comunicação subordinada ao tema Jornalismo e Democracia, António José Teixeira afirmou que “vivemos – dizem-nos – no tempo da pós-verdade. Há algumas décadas, a Filosofia queria convencer-nos de que não havia verdade, mas apenas interpretação. Hoje, a verdade parece coisa do passado, o relativismo confunde-se com crença ou convicção. Tudo pode vir à Rede. Tornou-se mais difícil discernir o que é verdadeiro do que é falso. As fake news tornaram-se armas de arremesso. Não são apenas falsas, são inventadas para serem verosímeis, para confundirem e manipularem os menos cépticos. São tantas, e de tão repetidas, difíceis de combater.

    Neste cenário acrescentava que “talvez nunca como hoje o jornalismo tenha tido tanta razão de ser. Para vivermos, para tomarmos decisões fundamentadas, para distinguirmos o trigo do joio, precisamos de notícias credíveis, que nos digam o que se passa, não apenas onde, quando, quem, mas também como, porquê e em que contexto”.

   A sessão Media Veritas Talks, realizada na Guarda, sublinhou a importância de ser credibilizado o jornalismo, reforçado o seu papel de modo que os leitores/ouvintes possam aquilatar que a informação transmitida é rigorosa, verificada e deixem caminho aberto à tomada de posições por parte dos cidadãos. Incrementando o espírito crítico e democrático. (H.S.)

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:00

Talk Media Veritas na Guarda

por Correio da Guarda, em 10.07.19

 

    Na Guarda vai decorrer amanhã, a partir das 14h30, a ação “Talk Media Veritas”, centrada sobre a luta contra a iliteracia mediática, manipulação jornalística e desinformação.

    Trata-se de uma iniciativa da Associação Portuguesa de Imprensa (API) em parceria com o semanário “A Guarda” que terá lugar na Biblioteca Municipal Eduardo Lourenço, com intervenções de João Palmeiro, Paulo Pena e Hélder Sequeira.

   O Media Veritas é um programa de combate à iliteracia mediática, contra a manipulação jornalística e a desinformação promovido pela APImprensa - Associação Portuguesa de Imprensa em parceria com o Google.org e financiado pela Fundação Tides (uma entidade filantrópica norte americana).

  Refira-se que este programa tem por finalidade, “no âmbito nacional, a Literacia dos Media junto das comunidades mais vulneráveis ao longo de dois eixos (adolescentes e jovens e seniores) mas assegurando também uma base para garantir a sua continuidade.”

  Através do Media Veritas, e segundo a APImprensa, pretende-se “contribuir para uma sociedade mais livre, informada e democrática; dotar os mais vulneráveis consumidores de informação, designadamente os adolescentes/jovens e seniores, a nível local e regional, de ferramentas que os habilitem a estar melhor informados e assim garantir a construção de um país mais justo e equilibrado; promover o desenvolvimento do pensamento crítico e do uso de fontes de informação credíveis e apoiar os órgãos de comunicação social, contribuindo para garantir a fiabilidade dos respetivos conteúdos.”

Literacia dos Media .jpg

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:00

Prémio Eduardo Lourenço

por Correio da Guarda, em 03.04.19

 

     O prazo de envio das candidaturas ao Prémio Eduardo Lourenço termina amanhã, dia 4 de Abril.

     Recorde-se que este prémio, instituído pelo Centro de Estudos Ibéricos (CEI) tem por objetivo galardoar personalidades ou instituições com intervenção relevante no âmbito da cooperação e da cultura ibérica.

    O regulamento pode ser consultado aqui.

Prémio EDUARDO LOURENÇO.jpg

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:00

Feliz Ano Novo

por Correio da Guarda, em 31.12.18

Feliz 2019 - Correio da Guarda.jpg

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 01:02

Jornadas de Educação na Guarda

por Correio da Guarda, em 18.06.18

 

     A Escola Superior de Educação, Comunicação e Desporto do Instituto Politécnico da Guarda vai promover, nos dias 6 e 7 de novembro de 2018, as III Jornadas de Educação intituladas: "Desafios, Práticas e Reflexões".

     Estas jornadas têm como objetivo fundamental criar um espaço de partilha de conhecimento em torno de temáticas relacionadas com a educação sexual ao longo da vida, a iniciação da leitura e da escrita, o Referencial de Educação para o desenvolvimento na formação inicial de educadores/professores e os maus tratos em crianças e jovens.

   Os participantes terão a oportunidade de assistir a conferências, painéis, que envolverão oradores de reconhecido mérito. O programa das jornadas é aberto à apresentação de comunicações livres e posters.

      Os interessados podem obter mais informações aqui.

cartaz III Jornadas.jpg

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:00

O segredo e a informação estratégica em democracia

por Correio da Guarda, em 26.06.16

 

    Jorge Silva Carvalho, ex-diretor do Serviço de Informações Estratégicas de Defesa (SIED) vai proferir na Guarda, no próximo dia 1 de Julho, uma conferência subordinada ao tema “O segredo e a informação estratégica em Democracia”. Esta iniciativa surge no âmbito da comemoração do aniversário da Cápsula do Tempo.
    O programa que anualmente, desde 2013, evoca o encerramento da Cápsula do Tempo está desta vez a cargo da Rádio Altitude (a organização é rotativa entre os parceiros do projeto), que convidou o conhecido consultor em inteligência, segurança e defesa.
     Especialista em estratégia, informações e inteligência económica e competitiva, antigo quadro dirigente do Serviço de Informações e Segurança (SIS) e ex-diretor do Serviço de Informações Estratégicas de Defesa (SIED), Jorge Silva Carvalho acedeu ao convite da rádio local mais antiga de Portugal e dos restantes promotores da iniciativa para estar na Guarda, no dia 1 de Julho, sexta-feira, onde falará do papel dos serviços de informações em Democracia e da inteligência geoestratégica.

     A conferência decorrerá a partir das 18h00 no auditório da Associação Comercial da Guarda, um dos parceiros do projeto Cápsula do Tempo da Guarda. Antes, às 17h30, o historiador e investigador Manuel Luís dos Santos será a personalidade da Guarda convidada para cinzelar a laje em granito referente ao ano 2016, no momento simbólico na Encosta do Tempo (o local onde se encontra enterrada a Cápsula do Tempo, junto à Torre de Menagem, no ponto mais elevado da cidade), onde será também plantada mais uma árvore.
     O programa do dia 1 de Julho incluirá ainda o lançamento de mais uma chávena de coleção da autoria do arquitecto António Saraiva. O tema da chávena é também o segredo.
     Recorde-se que a Cápsula do Tempo Guarda 2050 é um projecto que assinalou os 40 anos do Programa Escape Livre e os 65 Anos da Rádio Altitude, em Julho de 2013. Na Encosta do Tempo, junto à Torre de Menagem da Guarda, foi enterrado um depósito que reúne os testemunhos, as fotografias e alguns objetos de 40 personalidades de diversas áreas profissionais e de algumas entidades, empresas e turmas de escolas.

    A Cápsula do Tempo será reaberta a 1 de Julho de 2050. Além da Rádio Altitude e do Programa Escape Livre, o Instituto Politécnico da Guarda é outro parceiro desde o primeiro momento, aos quais se juntaria também a Associação de Comércio e Serviços do Distrito da Guarda.

 

    Fonte: Rádio Altitude

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:01

Natal 2015

por Correio da Guarda, em 20.12.15

Postal BF - Correio da Guarda-2015.jpg

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:58

Agradecimento

por Correio da Guarda, em 30.07.15

CG - Agradecimento 7º aniv.jpg

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:00

Sete anos...

por Correio da Guarda, em 29.07.15

CG - 7 aniversário.jpg

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:00


Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.




Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D

Contacto:

correiodaguarda@sapo.pt correio.da.guarda@gmail.com



Google +