Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


A propósito da Cimeira luso-espanhola...

por Correio da Guarda, em 25.11.18

 

     A cidade da Guarda irá receber, em junho de 2019, a próxima Cimeira Luso-Espanhola. Um encontro que nos suscita a evocação da cimeira realizada na cidade mais alta de Portugal, em 1976.

    A Cimeira entre os ministros dos Negócios Estrangeiros de Portugal e Espanha, respetivamente Melo Antunes e José Maria Areílza, colocou a Guarda no centro das atenções informativas, nacionais e internacionais, pois eram delicadas, então, as relações luso-espanholas após a destruição da Embaixada em Lisboa, ocorrida em 1975.

    Deste importante encontro deu conta o jornal A Guarda (este semanário e a Rádio Altitude eram os únicos órgãos de informação existentes na cidade) destacando-o na sua primeira página (edição de 20 de fevereiro de 1976) e descrevendo o ambiente que se vivia em 12 de fevereiro de 1976. (...) Manhã de sol claro e vento muito frio. O ministro espanhol foi aguardado em Vilar Formoso pelo ministro português. Eram 9,30 horas. Os dois diplomatas viajaram até à Guarda num helicóptero português que sobrevoou a cidade para logo em seguida aterrar na parada do R.I. 12. Os jornalistas não foram autorizados a entrar no quartel, aguardando à porta de armas onde estava montado um dispositivo de segurança, a saída das comitivas.

    O encontro na Guarda fora mantido secreto até à meia-noite anterior. Até à tarde da véspera, nas duas capitais ibéricas constava que a reunião teria lugar em Estremoz. A Guarda escolhida para palco deste encontro, após os acontecimentos que toldaram as relações luso-espanholas, situa-se assim no ponto de partida de uma nova era de convivência peninsular. Já se fala, e com toda a razão, no “espírito da Guarda”. Afinal é desde há muito o “espírito” que domina as relações entre guardenses e espanhóis; espírito de concórdia e entendimento, de amizade, de compreensão mútua. A Guarda, por estas razões, deve ter sido intencionalmente escolhida para este encontro, aliás muito contestado no país vizinho, tanto pelas direitas como pelas esquerdas”.

   De acordo com o comunicado conjunto, divulgado após esta cimeira, “os dois ministros assinaram um acordo sobre a delimitação da plataforma continental, um acordo sobre a delimitação do mar territorial e da zona contínua, e, ainda, um Protocolo adicionado ao acordo sobre o aproveitamento do troço internacional do Rio Minho.

    No decurso das conversações caracterizadas pelo espírito de amizade e boa vizinhança que os dois governos desejam dar às suas relações, foi passado em revista o estado das relações culturais entre os dois países (...). No domínio das questões fronteiriças, examinou-se, de modo especial o projeto de construção de uma ponte internacional sobre o Rio Guadiana entre Vila Real de Santo António e Ayamonte (...). Exprimiu-se o desejo mútuo de uma maior colaboração técnica e administrativa em matéria aduaneira, com o objectivo de facilitar o tráfego internacional entre os dois países (…)”.

   Como observaria César Oliveira “o espírito da Guarda mais não foi do que o esforço luso-espanhol para ultrapassar as tensões e a carga de potenciais conflitos entre os dois Estados, na segurança de que em Espanha parecia ser irreversível o caminho para a democracia e de que em Portugal as tentações esquerdistas e radicais estavam duradouramente afastadas”.

  A Guarda ficou, desta maneira, como um marco de referência no processo de normalização das relações luso-espanholas e marcou, indubitavelmente, o segundo ano do pós-25 de Abril. (Hélder Sequeira)

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:30

CEI leva "Transversalidades" a Salamanca

por Correio da Guarda, em 15.02.18

Afetos - fot A. Bacelar Vilar.jpg

      "Afetos", Foto de António Jorge Feio Bacelar Vilar (Portugal)

 

     O Centro de Estudos Ibéricos (CEI) vai levar a mostra fotográfica que esteve até ao final de janeiro exposta na Galeria de Arte do TMG, no âmbito da iniciativa Transversalidades 2017, até Salamanca.

    A exposição vai estar patente entre 16 de fevereiro e 9 de março, na Universidade salamantina (USAL). A inauguração acontece às 12h00 na Faculdade de Geografia e História da USAL e contará com a presença de representantes do CEI, das Universidades de Coimbra e de Salamanca, do Instituto Politécnico da Guarda e da Câmara Municipal da Guarda. 

   As cerca de 350 candidaturas, provenientes de 27 países, submetidas ao Transversalidades 2017 – Fotografia sem Fronteiras "permitiram visionar perto de 2.000 imagens que mostram como continuam a ser um auxiliar importante para (des)escrever o mundo que nos rodeia, dar visibilidade a territórios e notoriedade a pessoas, de quebrar o isolamento das mais excluídas e integrar as mais marginalizadas. Os portefólios candidatos espelham as melhores práticas e tendências que percorrem a fotografia contemporânea."

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 07:10

Projeto EuroAGE

por Correio da Guarda, em 18.07.17

 

     No Instituto Politécnico da Guarda decorreu, recentemente, a segunda reunião do grupo de trabalho do projeto EuroAGE - Iniciativas inovadoras para el impulso del envejecimiento activo en la región EuroACE (Alentejo, Centro e Extremadura-Espanha).

    Esta reunião contou com a presença de mais de uma dezena de investigadores oriundos de instituições espanholas (Centro de Cirugía de Mínima Invasión Jesús Usón, Universidad de Extremadura, Cluster sócio sanitário da Extremadura) e portuguesas (Instituto Politécnico da Guarda, Instituto Politécnico de Castelo branco e Universidade de Coimbra).

    Na agenda de trabalhos estiveram assuntos relativos à análise e discussão das estratégias em vigor para promoção do envelhecimento ativo na região euroACE e às diferenças de contexto, de leis e normativas existentes entre Portugal e Espanha no que concerne aos direitos, proteção e apoio ao idoso. No decorrer deste encontro foram ainda discutidos os desafios a ultrapassar na implementação de novas tecnologias como instrumentos auxiliadores na prevenção do declínio físico cognitivo e social observado nos idosos.

    “Os resultados desta reunião foram fundamentais para traçar o desenvolvimento das próximas ações em estreita relação com os agentes que se encontram no terreno”, como adiantou Carolina Chã, investigadora do IPG ligada a este projeto.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:41

Feira Ibérica de Turismo na Guarda

por Correio da Guarda, em 04.05.16

 

    Na Guarda vai decorrer a partir de amanhã, e até domingo, a Feira Ibérica de Turismo (FIT), que reunirá no Parque do Rio Diz mais de cem expositores.

    De acordo com a informação distribuída pela Câmara Municipal da Guarda, entidade organizadora, a feira cresceu, nesta terceira edição, para os 7 500 metros quadrados de área coberta, “estando também fortalecida a participação espanhola que contará com mais entidades e empresas vindas do país vizinho. A Comunidade Autónoma de Castilla y León é, nesta edição, a região convidada.”

   De referir que a participação nacional neste certame também cresceu, com mais regiões do país presentes na FIT. A organização introduziu ainda uma outra novidade no certame, a da participação de um país convidado. “Este ano será o Brasil que estará na FIT a promover as suas potencialidades turísticas bem como os Jogos Olímpicos de 2016. Estas ações estarão a cargo da Embaixada do Brasil, com o apoio da Embratur – Instituto de Turismo Brasileiro”, refere a autarquia guardense.

fit.jpg

     A Feira Ibérica do Turismo abre portas amanhã, pelas 17 horas, sendo inaugurada oficialmente pelas 19 horas, numa sessão que contará com a presença do Primeiro-Ministro, António Costa.

    Através desta feira a Câmara Municipal da Guarda pretende promover a “troca de experiências, abrindo as portas a novos mercados, bem como a produtos turísticos diferenciadores, e ainda dar a conhecer o património natural e histórico e a gastronomia, atraindo turistas, visitantes e também investidores.”

    Regiões de Turismo, agências de viagens, hotéis, termas, associações de municípios, autarquias, empresas ligadas ao desporto de aventura, gastronomia ou artesanato destacam-se entre a lista de expositores da edição deste ano.

   A feira funcionará de quinta a domingo, entre as 12h00 e as 24h00; contudo, como se referiu anteriormente, no primeiro dia, o certame abre ao público às 17h00 e no último, 8 de maio, a FIT (recinto de exposição) encerra às 20h00 mas a área de Restauração e de animação encerra às 24 horas.

     Os bilhetes para a feira estarão à venda no local (Parque Urbano do Rio Diz). Na edição de 2016 o ingresso diário custa 2 euros e o geral - para os quatro dias - custa 5 euros. As crianças até aos 12 anos têm entrada gratuita.

    Para além da oferta turística variada, o público que visita a feira poderá ainda usufruir de um programa diversificado que contempla concertos, show cooking, atividades desportivas ao ar livre, workshops, caminhadas, entre muitas outras propostas. Paralelamente ao programa da feira decorrerão também atividades complementares organizadas pelos expositores.

 

   Fonte: CMG

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:31

Festa do Almendro em Barca d'Alva

por Correio da Guarda, em 27.02.13

 

     Em Barca d’Alva, concelho de Figueira de Castelo Rodrigo vai realizar-se, no próximo dia 3 de Março, a tradicional Festa do Almendro.

     “É um dia de convívio, onde se estreitam laços de amizade, ao mesmo tempo que se partilham histórias, tradições e provam-se os sabores tão típicos da região como a gastronomia que é tão rica nos dois lados da fronteira luso-espanhola”. Elucida uma nota informativa da Câmara Municipal de Figueira de Castelo Rodrigo.

     Em simultâneo com esta festa – que costuma juntar largas centenas de portugueses e espanhóis – realiza-se uma feira, com produtos da região, que se estende entre o cais turístico-fluvial e a antiga estação de caminho-de-ferro de Barca d’Alva.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:03

Encontro ibérico sobre arquitectura

por Correio da Guarda, em 02.06.12

 

     A Câmara Municipal de Figueira de Castelo Rodrigo vai promover, de 30 de Junho a 7 de Julho, o I Encontro Ibérico de Arquitectura,

    Esta iniciativa, realizada no âmbito da estratégia de eficiência colectiva das Aldeias Históricas de Portugal, tem como objectivo abordar a temática do património e analisar intervenções de arquitectura.

    Para o efeito foram convidados a participar arquitectos e especialistas de Portugal e Espanha.

    Este encontro ibérico, centrado no tema Re_Habitar sustentável em Meios Rurais, tem como premissa fundamental, contribuir para a divulgação, sensibilização e valorização do Património. Trata-se, segundo a organização, de “um tema vital e bastante actual, capaz de gerar uma reflexão e debate sobre estratégias de intervenção para o futuro do património”.

   Durante as manhãs terão lugar visitas guiadas; vão ser, também, realizados percursos capazes de promover os lugares e escarpas que se habitam com profundo sentido poético. “Assim, proporcionar-se-á a aproximação das pessoas ao Património local”.

   As visitas e conferências serão complementadas por actividades, animação e divulgação artística. Arquitectura, Paisagem, Património, História e Arqueologia estarão na ordem desta iniciativa. Reflectir sobre o futuro do nosso Património é, aliás, um tema de forte interesse para a nossa sustentabilidade e para Re_Habitar as nossas aldeias históricas.

    A entrada será livre e integrará também outras actividades paralelas às visitas e conferências como: exposições, filmes, fados, moda e festas.

    O I Encontro Ibérico de Arquitectura decorrerá entre a aldeia histórica de Castelo Rodrigo e na Vila de Figueira de Castelo Rodrigo.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:58

Evelina Coelho na Galeria de Arte do TMG

por Correio da Guarda, em 04.09.11

 

     Na Galeria de Arte do Teatro Municipal da Guarda (TMG) vai estar patente, de 10 de Setembro a 30 de Outubro, a exposição de pintura "A Memória. Os Contos. Os Sonhos", de Evelina Coelho.

     Nesta exposição a pintora guardense vai apresentar obras inspiradas no universo dos contos e histórias infantis.

     Evelina Coelho tem o curso de pintura da Escola de Belas Artes de Lisboa. Realizou mais de cem exposições em Portugal, Espanha, França, Bélgica, Suíça, Alemanha, Canadá e Brasil.

    É “Accademica Corrispondente” e “Cavaliere Ufficiale Accademico” da Academia Internacional de Greci-Marino, na Itália. Foi distinguida na Bélgica pela Fundação Europeia com o grau de Comendadora e Grande Oficial.

     Recebeu várias medalhas e condecorações, figurando no Dicionário de Arte Internacional “Who’s who in International Art”, no “Dicionário de pintores e escultores portugueses, bem como no “Livro de ouro da arte contemporânea em Portugal”, na publicação “Arte no Feminino” e também no livro “O Figurativo nas Artes Plásticas em Portugal no séc. XXI”.

    De recordar que Evelina Coelho está representada em colecções públicas e privadas, em Portugal e no Estrangeiro.

    A inauguração desta exposição, que pode ser visitada de terça a domingo (com entrada é livre), terá lugar no próximo sábado, 10 de Setembro, pelas 18 horas.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:06

Prémio Eduardo Lourenço

por Correio da Guarda, em 18.08.10

    

       No Centro de Estudos Ibéricos (CEI) estão abertas, até ao próximo dia 22 de Setembro, as candidaturas para a sexta edição do Prémio Eduardo Lourenço.

     Instituído pelo CEI, com sede na Guarda, este galardão pretende distinguir personalidades ou instituições, de língua portuguesa ou espanhola, que tenham sido protagonistas de uma intervenção relevante e inovadora no âmbito da cooperação e no domínio das identidades, das culturas e das comunidades ibéricas.

 

    

      O prémio, no montante de dez mil euros, será atribuído por um júri constituído pelos membros da Direcção do Centro de Estudos Ibéricos) e por mais oito personalidades sendo, no presente ano, presidido pelo Reitor da Universidade de Salamanca.

     Recorde-se que na primeira edição o Prémio Eduardo Lourenço foi entregue à docente universitária e ensaísta Maria Helena da Rocha Pereira, “pela sua intensa actividade pedagógica e científica nas áreas da Cultura Clássica Greco-Latina e enquanto promotora da identidade e da cultura das comunidades ibéricas”.

     Em 2006, o Prémio foi atribuído ao jornalista Agustín Remesal, atendendo ao seu trabalho literário e profissional ligado a Portugal e a Espanha, incidindo nas culturas e identidades fronteiriças.

     No ano seguinte este galardão foi atribuído à pianista Maria João Pires, considerando a sua “dimensão criativa e percurso artístico, pelo trabalho na divulgação da música, pela dimensão humanista, pelo empenho em causas sociais, as preocupações educativas e o interesse que tem demonstrado na cooperação e intercâmbio cultural” entre Portugal e Espanha, através do desenvolvimento de projectos comuns, com particular realce para os que têm tido lugar na região raiana.

     O Poeta Ángel Campos Pámpano seria o galardoado de 2008 enquanto no passado ano, o Prémio foi atribuído ao Prof. Jorge Figueiredo Dias (Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra).

     Os interessados podem consultar o regulamento deste Prémio em www.cei.pt.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:17

CEI assina protocolo com Fundação Duques de Soria

por Correio da Guarda, em 20.04.10

    

     O Centro de Estudos Ibéricos (CEI) e a Fundação Duques de Soria (Espanha) assinaram ontem, na Guarda, um protocolo de cooperação.

     Através deste documento pretende estabelecer-se um quadro de cooperação entre as duas instituições, que vai passar pelo desenvolvimento de acções conjuntas tendo em vista o estudo, conservação, valorização e divulgação do património cultural, material e imaterial, dos territórios de ambos lados da fronteira entre Portugal e Espanha.

     De salientar que as duas instituições, sem fins lucrativos, prosseguem objectivos e finalidades similares no âmbito da promoção do estudo e investigação das realidades portuguesa e espanhola, procurando contribuir para a difusão da cultura ibérica e para o desenvolvimento dos territórios de fronteira.

     A Fundação Duques de Soria é uma instituição cultural, criada em 1989, por iniciativa e sob a presidência honorária da Infanta Margarita de Borbón e de D. Carlos Zurita, Duques de Soria.

     No que respeita ao relacionamento com Portugal, a Fundação criou, em 1994, a Cátedra Don Juan de Borbón, Conde de Barcelona, sob o patrocínio conjunto do Presidente da República Portuguesa e do Rei de Espanha.

     A referida cátedra promove e incentiva o intercâmbio e o conhecimento das realidades culturais e socioeconómicas de Portugal e de Espanha, principalmente através da organização de encontros luso-espanhóis.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:02

Ordem de Mérito para Eduardo Lourenço

por Correio da Guarda, em 11.12.09

 

O ensaísta Eduardo Lourenço recebeu, na Embaixada de Espanha em Lisboa, a Comenda da Ordem do Mérito Civil, outorgada pelo Rei Juan Carlos. Esta distinção foi entregue pelo Embaixador de Espanha em Lisboa.
Natural de São Pedro de Rio Seco, concelho de Almeida, Eduardo Lourenço foi o mentor do Centro de Estudos Ibéricos, de que é Presidente Honorário.
No decorrer desta cerimónia, realizada na passada, aquele conhecido pensador aproveitou para recordar a sua infância na zona raiana e manifestou o seu agrado pela presença de muitos conterrâneos da Guarda, que considera a sua cidade.
Na sua intervenção, Eduardo Lourenço classificou esta comenda espanhola como um reconhecimento pelo interesse que tem manifestado “em relação à cultura peninsular em geral e à espanhola enquanto tal”.
Segundo este ensaísta, Portugal e Espanha têm um “destino comum” no contexto europeu e que sempre lutou por uma “compreensão maior” entre as duas culturas.
Eduardo Lourenço acrescentou ter lutado sempre por “uma compreensão maior entre as nossas duas culturas e agora, que estamos no contexto da Europa, Portugal e Espanha têm um destino ainda mais comum”.
A entrega desta distinção foi, na sua perspectiva, “um momento de aproximação entre aquilo que há de melhor em Espanha, que é a cultura deles, e aquilo que há de melhor entre nós, que é a nossa própria cultura”, referindo que somos ibéricos “há muito tempo, mesmo antes do aparecimento das nacionalidades que estão hoje na Península. Somos ibéricos por geografia e porque pertencemos a uma civilização que a romanidade instaurou”.
 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:15


Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.




Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D

Contacto:

correiodaguarda@sapo.pt correio.da.guarda@gmail.com



Google +


Referenciar citações

Protected by Copyscape Website Copyright Protection