Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Fundo Emergência Abem COVID-19.

por Correio da Guarda, em 02.05.20

Emergência abem COVID-19.png

Seia é o primeiro concelho do distrito da Guarda a integrar o grupo de autarquias e IPSS que ativaram o Fundo Emergência Abem COVID-19. Um total de vinte seis até ao momento.

Em tempo de pandemia e antecipando as dificuldades específicas de muitas famílias portuguesas, o Fundo Emergência Abem COVID-19 já está a ajudar famílias que se viram privadas do acesso aos medicamentos. A expetativa é de crescimento exponencial de beneficiários nas próximas semanas, em face do agravamento de situações de desemprego e situações de lay-off em empresas.

As entidades de terreno estão a identificar cidadãos que devido à pandemia do novo coronavírus apresentem necessidades específicas para serem apoiados no acesso a medicamentos, produtos e serviços de saúde.

«A pandemia COVID-19 vai levar muitas famílias a situações de carência económica que precisam da ajuda de todos nós para aceder a bens essenciais como os medicamentos. Por outro lado, há doentes de risco que necessitam de receber em casa os medicamentos hospitalares evitando deslocações a hospitais. Com a solidariedade de todos, a Emergência Abem COVID-19 vem dar resposta a quem mais precisa», refere Maria de Belém Roseira, embaixadora da Associação Dignitude, entidade promotora da iniciativa.

Este movimento solidário abre portas a todas entidades que se queiram juntar e apoiar os mais vulneráveis.  A distribuição dos medicamentos hospitalares, entregues por mais de 20 hospitais, é assegurada pelo Fundo Emergência Abem COVID-19 o que permite aos cidadãos recebê-los nas suas casas ou, caso prefiram, numa farmácia local, evitando deslocações que coloquem em risco a sua saúde.

Os interassados podem obter mais informação aqui.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:24

Bispo da Guarda alerta para a grave crise social

por Correio da Guarda, em 24.12.08

 

O Bispo da Guarda, D. Manuel Felício, salientou que a “lição do Natal é a receita de que continuamos a precisar para combater a grave crise social em que estamos mergulhados.”
O prelado egitaniense refere na sua mensagem natalícia que “cresce o número de pobres e excluídos; aparecem novas formas de pobreza que se manifestam em pessoas, grupos de pessoas e também em regiões desfavorecidas como a nossa.”
Para o Bispo da Guarda, “os sintomas da grave crise que atravessamos são muitos. São o desemprego e o emprego precário, por causa das condições de inviabilidade que afectam muitas das nossas empresas e desincentivam a criação de outras. É o analfabetismo, sobretudo entendido como incapacidade generalizada de as pessoas tirarem partido dos conhecimentos adquiridos para entrarem no processo geral do desenvolvimento.”
D. Manuel Felício chama igualmente a atenção para “a marginalidade nos nossos meios; marginalidade ligada a hábitos e a formas de cultura que não se adaptam ao quadro das leis vigentes ou não prevenida através de uma educação bem conduzida”.
Outro factor preocupante, para o Bispo da Guarda, é a solidão, “determinada principalmente pelo crescente número de idosos nos nossos meios e a necessidade de seus familiares mais próximos partiram para outras terras à procura das condições de vida que aqui não têm”.
Na mensagem de Natal, D. Manuel Felício comenta que esta é “uma solidão que cresce também e se prolonga na vida de outras pessoas que se isolam e cortam as relações mais elementares com a família, os amigos e as suas tradições de origem, quase sempre porque lhes são fechadas todas as portas normais de acesso à integração social.

            Para o Bispo da Guarda, “estas quatro novas formas de pobreza são apenas alguns dos sintomas da realidade social dos nossos meios que estão a pedir medidas eficazes para corrigir o processo de empobrecimento progressivo das nossas gentes.”

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:45


Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.




Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2009
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2008
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D

Contacto:

correiodaguarda@sapo.pt correio.da.guarda@gmail.com