Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Fundo Emergência Abem COVID-19.

por Correio da Guarda, em 02.05.20

Emergência abem COVID-19.png

Seia é o primeiro concelho do distrito da Guarda a integrar o grupo de autarquias e IPSS que ativaram o Fundo Emergência Abem COVID-19. Um total de vinte seis até ao momento.

Em tempo de pandemia e antecipando as dificuldades específicas de muitas famílias portuguesas, o Fundo Emergência Abem COVID-19 já está a ajudar famílias que se viram privadas do acesso aos medicamentos. A expetativa é de crescimento exponencial de beneficiários nas próximas semanas, em face do agravamento de situações de desemprego e situações de lay-off em empresas.

As entidades de terreno estão a identificar cidadãos que devido à pandemia do novo coronavírus apresentem necessidades específicas para serem apoiados no acesso a medicamentos, produtos e serviços de saúde.

«A pandemia COVID-19 vai levar muitas famílias a situações de carência económica que precisam da ajuda de todos nós para aceder a bens essenciais como os medicamentos. Por outro lado, há doentes de risco que necessitam de receber em casa os medicamentos hospitalares evitando deslocações a hospitais. Com a solidariedade de todos, a Emergência Abem COVID-19 vem dar resposta a quem mais precisa», refere Maria de Belém Roseira, embaixadora da Associação Dignitude, entidade promotora da iniciativa.

Este movimento solidário abre portas a todas entidades que se queiram juntar e apoiar os mais vulneráveis.  A distribuição dos medicamentos hospitalares, entregues por mais de 20 hospitais, é assegurada pelo Fundo Emergência Abem COVID-19 o que permite aos cidadãos recebê-los nas suas casas ou, caso prefiram, numa farmácia local, evitando deslocações que coloquem em risco a sua saúde.

Os interassados podem obter mais informação aqui.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:24

Aplicação de aluno do IPG indica risco de contágio

por Correio da Guarda, em 29.04.20

 

Pedro Gomes, aluno do Instituto Politécnico da Guarda (IPG) criou uma aplicação informática que permite aferir o risco de contágio com COVID-19 nos espaços públicos.

Pedro Gomes - IPG - foto Helder Sequeira.jpg

Esta aplicação é destinada ao uso por parte de entidades públicas e privadas, com movimentação de pessoas no seu espaço, sendo o seu principal objetivo a deteção de comportamentos de risco e a combinação dos mesmos com variáveis ambientais e geográficas; isto de modo a determinar precisamente o risco de contágio naquele local.

Como foi adiantado, a aplicação é compatível com qualquer dispositivo de recolha de imagem digital fixo, “podendo ser instalado de forma simples nos edifícios existentes”. Este projeto – apresentado no Hackathon Pan-Europeu, realizado no passado fim de semana – foi designado de Camlion (Camera Learning Vision), considerando que está a trabalhar com Machine Learning e Computer Vision.

Além de Pedro Gomes, mentos da ideia, fazem parte da equipa Fernando Melo Rodrigues e Filipe Caetano (docentes no Instituto Politécnico da Guarda), Pedro Coelho (aluno no Instituto Superior Técnico e responsável técnico), Clarissa Pereira e Dimeji Mudele (especialistas em Computer Vision) e Leticia Lucero (investigadora de biologia molecular e celular).

Fernando Melo Rodrigues, docente do IPG (e professor de Pedro Gomes) escreveu (no seu perfil de uma rede social) que “a partir das imagens dos sistemas de video-vigilância já instalados são identificadas as pessoas através de tecnologia de Machine Learning. Munidos destes dados e de parâmetros ambientais determina-se o risco do espaço e representa-se o mesmo no plano. Estes dados são armazenados numa base de dados para se analisar a evolução histórica do risco.

Aplicação.jpg

Com uma ferramenta como esta, os facility managers podem conhecer para além do risco de contágio, uma série de outros parâmetros que se podem revelar uteis na gestão diária dos espaços públicos.” Este docente do IPG sublinhou que Pedro Gomes “construiu e liderou uma equipa fantástica” tendo “num curto espaço de tempo” desenhado e implementado o protótipo. O vídeo do "Pitch" da competição pode ser visto aqui.

De referir que de entre as preocupações da equipa sobressai o esforço no sentido de ser garantida a privacidade e assegurado que o software “não guarda qualquer dado pessoal ou tipo de identificação”, sendo que o sistema tanto se adapta a um smartphone como a computador, gerando alertas sempre que é verificado um significativo aglomerado de pessoas ou indiciado um risco elevado de contágio no espaço em causa.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:52

Unidade Móvel Covid-19 na Guarda

por Correio da Guarda, em 25.03.20

 

A Unidade Local de Saúde (ULS) da Guarda e a Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários Egitanienses colocaram hoje a funcionar a primeira Unidade Móvel COVID -19,  na área de abrangência da ULS. 

Este posto móvel irá deslocar-se aos locais onde for necessário proceder à realização de testes diagnósticos ao coronavírus.

A viatura, devidamente identificada, poderá deslocar-se a lares, instituições de pessoas com necessidades especiais ou ao domicílio de utentes com dificuldade de deslocação; de acordo com a informação divulgada pela ULS da Guarda,  "poderá também ter de se deslocar à residência de doentes COVID em isolamento domiciliário para confirmação de cura".

Unidade Móvel.JPG

Recorde-se que, com aqui já referimos, no Quartel dos Bombeiros da Guarda está também a funcionar um Centro de Testes ao COVID19 (Drive Thru).

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:28

Centro de Testes ao Covid19 nos Bombeiros da Guarda

por Correio da Guarda, em 24.03.20

 

No quartel dos Bombeiros Voluntários da Guarda está a funcionar, em colaboração com a ULS, um Centro de Testes ao Covid19.

De acordo com a informação divulgada, apenas têm acesso ao referido centro as pessoas indicadas e confirmadas pela Unidade Local de Saúde da Guarda.

Os Bombeiros Voluntários da Guarda esclarecem que são regras fundamentais de segurança para a aceder ao Centro a entrada junto à fonte (assinalada na foto); não sair do veículo, uma vez que, o teste é efetuado com as pessoas no seu interior; não passar para fora da zona limitada ao centro de testes. De acrescentar que “por questões de segurança as restantes áreas do quartel estão interditas”.

Bombeiros da Guarda.jpg

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:26

Obrigatoriedade de isolamento profilático

por Correio da Guarda, em 24.03.20

 

A Delegada de Saúde Coordenadora da Unidade de Saúde Pública a ULS da Guarda determinou hoje obrigatoriedade de isolamento profilático, de 14 dias para cidadãos portugueses que regressem a esta zona provenientes do estrangeiro e/ou de outras regiões do país.

Esta decisão é tomada como mecanismo de resposta rápida perante a situação epidemiológica de infeção por COVID-19.

ISOLAMENTO.jpg

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:55

Descodificar a realidade...

por Correio da Guarda, em 20.03.20

 

Estamos a viver um tempo de incerteza, angústia e de novas experiências, mas também de afirmação de valores solidários face a uma ameaça real, inquietante, mortífera.

Há algumas semanas atrás, enquanto a presença do Covid 19 não se manifestava ainda em território nacional, alguns meios de comunicação enveredaram por um lamentável histerismo e ânsia de registo de casos, em vez de optarem por uma atitude pedagógica que servisse de alerta para os previsíveis cenários, suscitasse uma análise atenta das medidas a implementar, reduzisse a propagação do alarmismo.

Essa exagerada obsessão conduziu, desde logo, a uma inflamação noticiosa, arrastada, consequentemente, para as redes sociais; nestas, cresceu, diariamente, o número de especialistas em coisa nenhuma, debitando alarvidade e protagonizando dúbios e inconfessáveis aproveitamentos de uma realidade que merece uma abordagem diferenciada, serena, adequada.

A sensatez, o rigor e o equilíbrio informativo são fundamentais nesta como noutras situações de instabilidade, ameaça e perigo em que a credibilidade e objetividade das notícias devem constituir uma permanente preocupação de quem está nos media com verdadeiro sentido ético, deontológico e profissional.

Atitude que estabeleça uma fronteira precisa das falsas notícias veiculadas pelas redes sociais onde se ampliam a mesquinhez, a má formação, os ódios, a insolência, a preocupante falta de formação moral e cultural de muitas pessoas, tantas vezes escondidas atrás de um perfil falso; claro que há igualmente (e até em maior percentagem) posturas corretas, indicações insuspeitas, exemplos louváveis, iniciativas oportunas às quais, perante a quantidade de informação e comentários nem sempre é dada a atenção devida.

Redes Sociais -.jpg

Neste contexto de proliferação de falsas notícias é fundamental que os tradicionais meios de comunicação sublinhem a sua importante social e assumam, também nessas plataformas digitais, o seu papel de forma que o público os veja como referência informativa, credível.

É justo referir que no contexto local e regional tem existido essa preocupação, reconhecida pelo público mais atento aos textos produzidos. Contudo, as fake news, não sendo um fenómeno novo, nunca assumiram, como hoje, um contágio tão devastador que atinge mesmos os grandes e conceituados meios de comunicação; a natural tendência em dar em “primeira mão” uma notícia, antecipando-se à sua concorrência mais direta, leva à difusão de informação errónea…

Não é por acaso que tem vindo a aumentar por parte de instituições de ensino a preocupação em desenvolverem iniciativas destinadas a um melhor conhecimento dos mecanismos de informação e desinformação nas plataformas digitais, assim como a permitirem o uso de aplicações que viabilizam a validação da informação e descodificação das notícias falsas.

Assim, em situações como a que estamos a atravessar, com consequências ainda imprevisíveis, os media tradicionais lidam com dificuldades e responsabilidades acrescidas, tanto mais quanto por parte das estruturas/entidades nacionais nem sempre a gestão da comunicação tem sido a melhor, de forma a facilitar a recolha de dados precisos.

Sendo certo que a atual pandemia deve ser objeto de fundamentada preocupação, e suscitar as medidas e cuidados que exige, o alarmismo social deverá ser evitado. A comunicação social tem um papel importante a desempenhar, servindo esta experiência para se reformularem procedimentos e estratégias. (Hélder Sequeira)

in O Interior, 19|03|2020

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:55

Desinfeção em algumas zonas da Guarda.

por Correio da Guarda, em 19.03.20

Desinfeção 1.jpg

A Câmara Municipal e a Junta de Freguesia da Guarda vão proceder, a partir de amanhã, 20 de março, à desinfeção com hipoclorito de sódio, das zonas da cidade com maior afluência de população.

Esta desinfeção é justificada pela situação pandémica provocada pelo COVID-19 e atendendo ao perigo de contágio, muito elevado neste vírus. O objetivo desta ação conjunta é a higienização dos principais locais da cidade, de forma a restaurar, o mais rapidamente possível, a Saúde Pública

Entre  as zonas que serão alvo desta intervenção está o Parque da Saúde da Guarda (ULS). 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:06

Transportes urbanos com novos horários

por Correio da Guarda, em 19.03.20

Autocarros - Guarda.jpg

Os transportes urbanos da Guarda passam a ter, a partir de hoje, novos horários, deu a conhecer a Câmara Municipal.

Considerando a “atual situação de pandemia causada pelo vírus Covid-19, e no seguimento da declaração de estado de emergência, procedeu-se, conjuntamente com a empresa operadora dos Transportes Urbanos da Guarda e a Câmara Municipal da Guarda” a esta alteração a nova alteração dos horários dos transportes urbanos os quais que se manterão por "período indeterminado", adianta a informação da autarquia guardense.

MAPA.jpg

Os interessados podem contar a operadora de transportes urbanos através do telefone 225 100 100 (entre as 9h e as 19h) ou consultar o sítio da empresa na internet, aqui.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:13

aerea IPG-1A2.jpg

O Instituto Politécnico da Guarda (IPG)  suspendeu hoje, e por tempo indeterminado,  as suas atividades letivas presenciais.

À semelhança do vai vai acontecer com as instituições de ensino, esta medida insere-se nas orientações governamentais tendentes ao controlo  do surto pandémico do COVID-19. 

Entretanto uma nota distribuída à comunicação social, pelo Gabinete de Imprensa do Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, clarifica que  "no caso das instituições de ensino superior e no quadro dos respetivos períodos escolares, não se aplica a referência ao período de 15 dias incluído nas medidas extraordinárias divulgadas no âmbito do comunicado do Conselho de Ministros para as escolas", acrescentando que "devem ser promovidos todos os esforços para estimular processos de ensino-aprendizagem a distância, mantendo as atividades escolares através da interação por via digital entre estudantes e docentes; (...) as unidades de I&D, os laboratórios e serviços das instituições de ensino Superior devem permanecer abertos e adotar todas as medidas já divulgadas de prevenção de contágio pelo vírus, evitando a concentração de utentes e garantindo as medidas de higiene e saúde publica já publicitadas, assim como estabelecer limitações de frequência para assegurar a manutenção de distância de segurança."

No caso dos serviços "deve ser privilegiado o atendimento com recurso a meios digitais e telefónicos, sempre que assim seja possível; (...) No caso das cantinas, devem ser reduzidas as lotações máximas e evitada a concentração de estudantes e outros utentes, devendo ser estimulada, sempre que possível, a entrega individual de refeições; no caso das residências, devem ser garantidos todos os serviços aos estudantes, bem como o respetivo funcionamento no quadro das medidas de prevenção agora divulgadas (...)".

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:24

ULS da Guarda adotou medidas preventivas

por Correio da Guarda, em 10.03.20

 

O Conselho de Administração da ULS da Guarda, atendendo à evolução dos dados epidemiológicos de infeção por COVID-19, deliberou adotar as medidas preventivas que que serão colocadas em prática a partir de hoje, 10 de março.

Como noticiámos anteriormente, o Hospital Sousa Martins foi indicado como Hospital de «segunda linha» para a contenção da infeção pelo Covid-19 há uma semana, "atendendo às condições adequadas de instalações, equipamentos existentes no denominado Pavilhão Novo, à capacitação do seu Laboratório de Patologia Clínica e ao reconhecimento da competência técnica e profissionalismo dos seus recursos humanos."

Uma equipa multidisciplinar dedicada a esta situação, coordenada pelo Diretor do Serviço de Pneumologia, Luís Ferreira encontra-se em plenas funções; até esta data, e de acordo com informação divulgada pela ULS da Guarda, deram entrada 9 utentes (2 homens e 7 mulheres) suspeitos de infeção por COVID – 19, não se tendo registado nenhum caso positivo.

Os utentes em causa eram provenientes dos distritos de Viseu, Aveiro, Castelo Branco, Guarda e foi ainda assistida uma utente do distrito Lisboa que se encontrava em trânsito na região.

Hospital da Guarda - Visitas.jpg

No que diz respeito às Visitas aos doentes a Administração da ULS determinou que cada doente adulto internado só pode ter a visita de uma pessoa, tendo sido limitada a 30 minutos a duração de cada período de visita.

Nos serviços de Neonatologia e Pediatria apenas é permitida a entrada de pai e mãe, sem limitação de horário; no serviço de Obstetrícia só é permitida a entrada do pai ou acompanhante designado no período entre as 12h00 e as 20h00.

No serviço de Cuidados Paliativos mantém-se a autorização de permanência do acompanhante de referência de cada doente, sem limitação de horário, podendo ser autorizadas, caso a caso, o alargamento do número de visitas permitidas por doente em cada período.

Ainda de acordo com a informação divulgada, a ULS da Guarda “reserva-se o direito de proibir a entrada de visitas que apresentem sintomas de infeção respiratória (febre, tosse, expetoração e/ou falta de ar) e desaconselha vivamente a visita a doentes a quem tenha regressado recentemente do estrangeiro.” Antes e depois da visita o visitante deverá proceder à desinfecção das mãos.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:01


Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.




Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2009
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2008
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D

Contacto:

correiodaguarda@sapo.pt correio.da.guarda@gmail.com