Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Incrementar a cooperação

por Correio da Guarda, em 17.01.20

 

Ao longo do ano são múltiplos, e diversificados no perfil, os eventos que ocorrem nesta região do interior; iniciativas que incrementam, sem dúvida, fluxos de visitantes e contribuem para animação e desenvolvimento da economia regional.

Contudo, e tendo em conta, os indicadores das últimas décadas, a marca deixada por estas realizações poderia ser mais ampla se tivessem referenciada uma estratégia global, pensada a partir de um entendimento sério das organizações com vista a um trabalho em rede, objetiva e empenhadamente delineado.

A conjugação de esforços e de sinergias, as cedências necessárias para um planeamento consensual, a rentabilização de recursos humanos e financeiros, a rotatividade de algumas iniciativas, a promoção conjunta do território, a afirmação da matriz regional, a predisposição em pensar a construção do futuro, entre outras atitudes, permitiria um cenário substancialmente diferente; ao nível da procura da região, cativando novos visitantes, incentivando a sua permanência nas nossas terras por um período mais longo; assegurando argumentos sólidos e persuasivos…

Por várias vezes, e também aqui neste jornal, sublinhámos que continua a subsistir a tendência para pensar no imediato, circunscrevendo-o a áreas limitadas e numa lógica centrípeta de interesses pessoais, locais ou concelhios, teimosamente enfeudada no desconhecimento do que se passa nos territórios circunvizinhos; é certo que há alguns exemplos de boas práticas de cooperação mas, infelizmente, são raros e por vezes a sua desejada continuidade é interrompida.

Sem colocar em causa a prevalência de eventos que constituem cartazes dos centros urbanos onde são realizados, os quais têm demonstrado um contínuo crescimento e inequívoca adesão dos públicos a quem se destinam, será de equacionar um entendimento ao nível da calendarização, de forma a permitir uma maior abrangência dos projetos e realizações.

Todos os anos, e nomeadamente em épocas perfeitamente identificadas (o ciclo das feiras do queijo da serra pode ser um exemplo), se verifica uma pulverização de iniciativas, coincidindo com frequência nas mesmas datas e muito próximas geograficamente.

A implementação de uma agenda regional bilingue – alcançado que fosse o entendimento imprescindível para um equilibrado e eficaz planeamento – reunindo o máximo de contributos institucionais, associativos, pessoais resultaria num eficaz contributo para uma publicação onde estivesse, em cada ano, uma informação o mais completa possível dos eventos culturais, desportivos, económicos, sociais, científicos; a par de uma indicação clara de roteiros turísticos, locais a visitar, sabores a apreciar, unidades hoteleiras ao dispor, livros sobre a região/escritores ligados a esta zona, órgãos de comunicação existentes, museus, artesanato local, praias fluviais, tradições, coletividades, etc…

Embora o suporte tradicional – agenda impressa – seja adequado à distribuição em pontos estratégicos, nos eixos de circulação de visitantes nacionais ou estrangeiros, postos de turismo, unidades hoteleiras, feiras de promoção turística, o atual contexto tecnológico permite outras formas de consulta e disponibilização, mormente através de uma aplicação pensada para o telemóvel. A reunião e simplificação da informação facilitará a procura por parte dos vários escalões etários.

Nos tempos de hoje, a velha máxima de que “a união faz a força” tem mais sentido e o interior deve, urgentemente, acentuar a coesão se quiser superar os desafios do presente, reivindicar medidas de apoio, combater a ausências e o abandono de terras e lugares, onde prevalecem memórias, uma vasta riqueza patrimonial, cultural e paisagística.

É preciso passar, sem delongas, dos discursos retóricos sobre a importância da cooperação para compromissos sólidos e medidas práticas; visíveis e consequentes.

Naturalmente que neste processo de valorização do nosso território deverá estar, sempre, presente, a participação do cidadão, numa demonstração clara do seu empenho em intervir na promoção e desenvolvimento; não adianta ter manifestações enérgicas e palavras críticas nas redes sociais (como se elas fossem a solução…) e quando desafiado a colaborar remete-se à indiferença, ao afastamento, ao derrotismo…

Desejamos que 2020 seja um período de novos e profícuos entendimentos, da abertura de novos caminhos para a cooperação, para o desenvolvimento global e sustentado de uma região com muitas potencialidades por explorar. (Hélder Sequeira)

 

In "O Interior", 16/1/2020

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:00

Pensar o desenvolvimento global

por Correio da Guarda, em 16.08.19

 

Ao longo dos anos a sobreposição, nas mesmas datas, de eventos culturais, desportivos ou musicais tem sido evidente, com reflexos negativos ao nível de potenciais participações ou da fixação de visitantes, durante mais dias.

Reeditamos, uma vez mais, esta questão por considerarmos ser importante o desenvolvimento de um trabalho, planificado com antecedência e num verdadeiro espírito de cooperação e diálogo, por parte das autarquias, agentes culturais ou desportivos, instituições e coletividades.

O conhecimento prévio da calendarização de eventos na nossa zona incrementará um maior envolvimento dos residentes e dos forasteiros, pela possibilidade de equacionarem a sua participação e de elaborarem o roteiro mais adequado com os seus gostos.

Guarda - Foto Helder Sequeira.jpg

Salvaguardando as datas âncora tradicionalmente reservadas para certames que estão consolidados no distrito, o cuidado dos organizadores deve passar pela recíproca troca de informações passíveis de permitirem o desejado alargamento temporal de eventos, distribuídos por dias diferentes; desta forma, as pessoas terão a possibilidade de participar em diferentes iniciativas, programadas para locais distintos.

Um visitante que venha à Guarda numa determinada data para assistir a um espetáculo não terá, certamente, a possibilidade de participar noutro evento (até com perfil diferente) que decorra, no mesmo dia, em Seia, Trancoso, Pinhel ou no Sabugal, por exemplo; oferecer, com a refletida e acordada distribuição, vários eventos no período de visita dessas pessoas terá toda a vantagem em termos de rentabilização da viagem, do conhecimento da região, das receitas da restauração e hotelaria, da dinamização social e melhor conhecimento das localidade.

Esta planificação, pelo que se tem verificado em termos de estratégias concelhias, não será fácil mas é fundamental abrir caminho a uma agenda comum enquadrada num objetivo e empenhado trabalho em rede; capaz de contemplar o máximo de propostas, muito para além de eventos, alargando a novos roteiros motivadores da heterogeneidade de públicos alvo. De recordar que, há algumas décadas atrás, e já no período pós-25 de abril, as reuniões periódicas de presidentes das câmaras municipais do distrito fomentavam um interessante diálogo que permitia o entendimento em várias matérias e eficazes fórmulas de cooperação, benéficas para a evolução dos territórios.

Os castelos, as praias fluviais, a cultura, os solares, as igrejas, a gastronomia, os trilhos, as atividades de montanha, a Serra da Estrela, a flora, os museus, os monumentos e sítios arqueológicos, as tradições, os festivais, o artesanato, as aldeias da meseta ou da Serra, as recriações históricas, as feiras, a observação das aves, os vinhos, os roteiros sobre escritores, o teatro religioso, as águas cristalinas e as múltiplas e encantadoras paisagens que temos para (re)descobrir e oferecer, a quantos nos queiram visitar, é um vasto conjunto de áreas potenciadoras de novas vias de desenvolvimento.

Atualmente, com o a disponibilização de novas tecnologias – o que não afasta uma edição impressa da agenda distrital – não é difícil a organização e sistematização de uma informação (regular e eficazmente atualizada) sobre a oferta distrital ao nível de eventos, locais a visitar, hotelaria, restauração, imprensa local, transportes, roteiros turísticos, locais de lazer, formação, bibliotecas e arquivos, unidades de saúde e contactos úteis.

A criação (envolvendo contributos multidisciplinares) de uma aplicação para equipamentos móveis, usados por todos no dia a dia, uma via desejável, conciliando-a com outros suportes informativos que não olvidem, igualmente, a síntese e qualidade dos textos, o cuidado na apresentação, a qualidade fotográfica e a facilidade de consulta.

Existem, na nossa zona, conhecimentos, recursos e meios; falta a decisão, o entendimento e o empenho em se pensar numa estratégia global para esta região do interior, divulgando a sua realidade, promovendo as suas potencialidades, captando novos visitantes e investimentos.

Hélder Sequeira (in O Interior, 15|8|2019)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:55

CEI promove Curso de Verão

por Correio da Guarda, em 25.06.19

     O Centro de Estudos Ibéricos (CEI) vai promover, de 1 a 6 de julho,  a XIX Edição do Curso de Verão que será subordinada ao título genérico “Novas fronteiras, outros diálogos: cooperação e desenvolvimento”.

Curso de Verão - cartaz.jpg

    Este curso tem por objetivos incentivar o diálogo entre saberes, investigadores e parceiros do espaço ibérico, europeu, africano e latino-americano, afirmando como centro de transferência de conhecimento designadamente entre os países de língua portuguesa; identificar e valorizar os recursos do território, naturais e humanos, materiais e intangíveis, enquanto fatores críticos e estratégicos do desenvolvimento (património cultural, paisagem, cultura, etc.); analisar comparativamente dinâmicas económicas e sociais em diferentes contextos espaciais, estimulando a apresentação e o debate de programas, iniciativas e boas práticas que concorram para a coesão económica, social e territorial; valorizar o trabalho de campo como estratégia pedagógica e de promoção do património natural e cultural, sobretudo o localizado em geografias e contextos regionais mais remotos como são os do interior raiano.

   Os interessados podem obter mais informações aqui

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:17

Cooperação com a Guiné Bissau

por Correio da Guarda, em 07.08.18

 

     O Instituto Politécnico da Guarda (IPG) e o Ministério da Educação, Ensino Superior, Juventude e Desporto da República da Guiné Bissau assinaram um protocolo de cooperação.

    O Ministério da Educação da Guiné foi representado pelo Embaixador Extraordinário e Plenipotenciário da República da Guiné-Bissau em Portugal, Hélder Jorge Lopes.

Assinatura de Protocolo  IPG - Guiné Bissau.jpg

 

    O presente protocolo de cooperação tem como objetivo ajudar a promover a formação e qualificação superior dos jovens da República da Guiné-Bissau, abrindo oportunidades de formação de ensino superior e profissional em Cursos Técnicos Superiores Profissionais, Licenciaturas e Mestrados.

    O Ministério da Educação, Ensino Superior, Juventude, Cultura e Desporto da República da Guine Bissau responsabilizar-se-á pela recolha documental e encaminhamento, através da Embaixada da Guiné-Bissau em Portugal, dos processos de candidatura dos estudantes ao IPG para o ingresso nos Cursos Técnicos Superiores Profissionais (CTeSP) e nos ciclos de estudos de Licenciatura e de Mestrado.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:00

Tecnologia e Saúde

por Correio da Guarda, em 19.03.15

 

cartaz2015.jpg

      O Instituto Politécnico da Guarda (IPG) vai promover, no dia 17 de Abril de 2015, nesta cidade, as VIII Jornadas Nacionais sobre Tecnologia e Saúde. Este ano as jornadas são subordinadas ao tema “Saúde Pública, Cooperação e Inovação”, englobando o programa vários eixos temáticos.

     “Tecnologias de acesso a Smartphones”, “Novas Tecnologias em Educação para a Saúde”, “nurSUsTOOLKIT: A Teaching and Learning Resource for Sustainability in Nursing”, “Técnicas de inteligência computacional na previsão de crises epilépticas”, “Eficácia de um programa sensorial em ambiente Snoezelen com idosos” e “WCARE - Sistema de teleassistência e monitorização” e “Plataformas de interações medicamentosas online ao serviço dos profissionais dos Cuidados de Saúde” são algumas das comunicações a apresentar.

    Os interessados em participar devem efetuar a sua inscrição em http://www.ipg.pt/tecnologia-saude2015

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:37

IX Edição do Prémio Eduardo Lourenço

por Correio da Guarda, em 16.02.13

 

     Até ao próximo mês de Abril decorre o prazo de candidaturas  à 9ª edição do Prémio Eduardo Lourenço, galardão instituído pelo Centro de Estudos Ibéricos destinado a premiar personalidades ou instituições com intervenção relevante no âmbito da cultura, cidadania e cooperação ibéricas

     O Prémio, no montante de 10.000,00€ (dez mil euros), será atribuído por um júri constituído pelos membros da Direcção do Centro de Estudos Ibéricos (Reitor da Universidade de Coimbra, Reitor da Universidade de Salamanca e Presidente da Câmara Municipal da Guarda) e por mais oito personalidades sendo, no presente ano, presidido pelo Reitor da Universidade de Coimbra.

   Personalidades de relevo de Portugal e Espanha já foram galardoadas nas anteriores edições: Maria Helena da Rocha Pereira, Professora Catedrática de Cultura Greco-Latina (2004), Agustín Remesal, Jornalista (2006), Maria João Pires, Pianista (2007), Ángel Campos Pámpano, Poeta (2008), Jorge Figueiredo Dias, Professor Catedrático de Direito Penal (2009) e César António Molina, Escritor (2010), Mia Couto, Escritor (2011) e José María Martín Patino, Teólogo (2012).

    Qualquer instituição ou pessoa pode enviar propostas de candidatura até 12 de abril de 2013 para o Centro de Estudos Ibéricos, podendo o Regulamento ser consultado em www.cei.pt

 

Fonte: CEI

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:43

Guarda: Diálogos Ibéricos e Cooperação

por Correio da Guarda, em 04.07.11

 

    Na Guarda vai iniciar-se na próxima quarta-feira, 6 de Julho, a décima primeira edição dos Cursos de Verão, promovidos pelo Centro de Estudos Ibéricos (CEI).

    Subordinado ao tema “Diálogos Ibéricos e Cooperação: terras, gentes, culturas”, o curso deste ano visa aprofundar o conhecimento do Património dos territórios fronteiriços enquanto recursos potenciadores da organização de rotas culturais e do desenvolvimento da actividade turística, e debater a Cooperação, os novos desafios e as potencialidades que encerra para promover a coesão social e territorial.

 

   

    Estruturado em painéis de debate e trabalhos de campo, o curso alia a vertente teórica às componentes prática e lúdica, o que tem resultado numa mais-valia e factor de atractividade para os participantes.

    Os trabalhos de campo, realizados sob a égide de Orlando Ribeiro, cuja vida e obra será evocada no ano do centenário do seu nascimento, visam conhecer diferentes iniciativas de valorização dos recursos locais, materiais e intangíveis, em curso de um lado e outro da fronteira, e debater, em painéis específicos, várias estratégias de desenvolvimento territorial.

    À semelhança de edições anteriores, o Curso é creditado pela Universidade de Salamanca com 3 créditos de “libre elección” e faz parte da oferta de Cursos de Verão daquela universidade espanhola.

    A sessão de abertura terá lugar quarta-feira, pelas 9h30m, na Sala Tempo e Poesia da Biblioteca Municipal Eduardo Lourenço. No dia 8 de Julho, pelas 16h30m, será lançado o 18º volume da Colecção Iberografias, intitulado «Efeito Barreira e Cooperação Transfronteiriça na Raia Ibérica. Impactes Territoriais do INTERREG-A», de Eduardo José Rocha Medeiros.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:44

Congresso do SPCE realiza-se na Guarda

por Correio da Guarda, em 17.06.11

 

     No Instituto Politécnico da Guarda (IPG) vai decorrer nos dias 30 de junho e 1 e 2 de julho o XI Congresso da Sociedade Portuguesa de Ciências da Educação.

     O programa deste congresso, subordinado ao tema “Investigar, Inovar e Desenvolver: desafios das ciências da Educação, integra uma conferência de abertura (pelas 11 horas) a proferir por Licínio Lima, enquanto que a comunicação de encerramento (12h30, do dia 2 de julho) ficará a cargo de Rui Costa (cientista na área da neurociência da Fundação Champalimaud, e natural da Guarda) que irá abordar o tema “O que é que o estudo do cérebro nos pode dizer sobre a aprendizagem e a educação?”.

     De referir a realização de quatro mesas redondas com especialistas nacionais e estrangeiros, sobre temas como “Desafios e Mudanças no Ensino Superior”, “Políticas e Dilemas da Formação”, “Trabalho Docente, Para onde vão as Ciências da Educação” e “Investigação: Agendas e Financiamentos”.

      A sessão de abertura terá lugar no dia 30 de junho, a partir das 10 horas, no Auditório dos Serviços Centrais do Instituto Politécnico da Guarda, decorrendo os painéis de comunicações na Escola Superior de Educação, Comunicação e Desporto/IPG.

    “Este congresso é promovido anualmente pela Sociedade Portuguesa das Ciências da Educação (SPCE) que encarrega uma instituição de ensino superior – universitária ou politécnica – de organizar localmente um encontro de dimensão nacional. O XI Congresso da SPCE decorrerá no Instituto Politécnico da Guarda na sequência de uma candidatura apresentada à SPCE por altura do X Congresso que teve lugar em Bragança”, referiu o Diretor da Escola Superior de Educação, Comunicação e Desporto do IPG, Carlos Reis.

    De acordo com aquele responsável, este evento “aglutina todos os que trabalham, lecionam e investigam a Educação e as Ciências da Educação.

    O Congresso consubstancia o objetivo da Sociedade Portuguesa das Ciências de Educação de contribuir para o levantamento e resolução de problemas educativos através do desenvolvimento da investigação e do ensino, bem como facilitar a cooperação entre os diversos intervenientes nesta área”

    Foram submetidos para apresentação ao congresso 274 trabalhos, correspondendo a 435 autores de cinco países – Portugal, Espanha, Brasil, Cabo Verde e Estados Unidos da América.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:18

Prémio Eduardo Lourenço

por Correio da Guarda, em 18.08.10

    

       No Centro de Estudos Ibéricos (CEI) estão abertas, até ao próximo dia 22 de Setembro, as candidaturas para a sexta edição do Prémio Eduardo Lourenço.

     Instituído pelo CEI, com sede na Guarda, este galardão pretende distinguir personalidades ou instituições, de língua portuguesa ou espanhola, que tenham sido protagonistas de uma intervenção relevante e inovadora no âmbito da cooperação e no domínio das identidades, das culturas e das comunidades ibéricas.

 

    

      O prémio, no montante de dez mil euros, será atribuído por um júri constituído pelos membros da Direcção do Centro de Estudos Ibéricos) e por mais oito personalidades sendo, no presente ano, presidido pelo Reitor da Universidade de Salamanca.

     Recorde-se que na primeira edição o Prémio Eduardo Lourenço foi entregue à docente universitária e ensaísta Maria Helena da Rocha Pereira, “pela sua intensa actividade pedagógica e científica nas áreas da Cultura Clássica Greco-Latina e enquanto promotora da identidade e da cultura das comunidades ibéricas”.

     Em 2006, o Prémio foi atribuído ao jornalista Agustín Remesal, atendendo ao seu trabalho literário e profissional ligado a Portugal e a Espanha, incidindo nas culturas e identidades fronteiriças.

     No ano seguinte este galardão foi atribuído à pianista Maria João Pires, considerando a sua “dimensão criativa e percurso artístico, pelo trabalho na divulgação da música, pela dimensão humanista, pelo empenho em causas sociais, as preocupações educativas e o interesse que tem demonstrado na cooperação e intercâmbio cultural” entre Portugal e Espanha, através do desenvolvimento de projectos comuns, com particular realce para os que têm tido lugar na região raiana.

     O Poeta Ángel Campos Pámpano seria o galardoado de 2008 enquanto no passado ano, o Prémio foi atribuído ao Prof. Jorge Figueiredo Dias (Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra).

     Os interessados podem consultar o regulamento deste Prémio em www.cei.pt.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:17

CEI assina protocolo com Fundação Duques de Soria

por Correio da Guarda, em 20.04.10

    

     O Centro de Estudos Ibéricos (CEI) e a Fundação Duques de Soria (Espanha) assinaram ontem, na Guarda, um protocolo de cooperação.

     Através deste documento pretende estabelecer-se um quadro de cooperação entre as duas instituições, que vai passar pelo desenvolvimento de acções conjuntas tendo em vista o estudo, conservação, valorização e divulgação do património cultural, material e imaterial, dos territórios de ambos lados da fronteira entre Portugal e Espanha.

     De salientar que as duas instituições, sem fins lucrativos, prosseguem objectivos e finalidades similares no âmbito da promoção do estudo e investigação das realidades portuguesa e espanhola, procurando contribuir para a difusão da cultura ibérica e para o desenvolvimento dos territórios de fronteira.

     A Fundação Duques de Soria é uma instituição cultural, criada em 1989, por iniciativa e sob a presidência honorária da Infanta Margarita de Borbón e de D. Carlos Zurita, Duques de Soria.

     No que respeita ao relacionamento com Portugal, a Fundação criou, em 1994, a Cátedra Don Juan de Borbón, Conde de Barcelona, sob o patrocínio conjunto do Presidente da República Portuguesa e do Rei de Espanha.

     A referida cátedra promove e incentiva o intercâmbio e o conhecimento das realidades culturais e socioeconómicas de Portugal e de Espanha, principalmente através da organização de encontros luso-espanhóis.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:02


Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.




Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2009
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2008
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D

Contacto:

correiodaguarda@sapo.pt correio.da.guarda@gmail.com