Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Contradizer com Muyassar Kurdi

por Correio da Guarda, em 04.10.18

Muya.jpg

     A associação Calafrio vai promover, no próximo dia 8 de Outubro, pelas 21h30, mais uma sessão do ciclo contradizer, dedicada à obra de Muyassar Kurdi.

    Esta artista norte americana vai realizar na Guarda uma performance e mostrar um dos seus filmes no Espaço do Calafrio, situado na antiga Escola Primária do Rio Diz, na Rua do Futuro, na Guarda,

   A artista de Chicago, que reside atualmente em Nova Iorque, coloca em simultâneo na mesma performance o seu trabalho sonoro, coreográfico e fílmico, ficando patente a sua capacidade de mobilizar abordagens e técnicas muito distintas, fruto de um percurso que a tem levado aos estudos da voz com Meredith Monk, da dança Butô com Tadashi Endo e às colaborações com músicos como Laraaji e Ben Lamar Gay.

    O seu trabalho incorpora o som, técnicas vocais estendidas, arte performativas, o movimento, a fotografia e o cinema.

    Versátil improvisadora, Muyassar compôs e executou música para voz, harmónio, piano, lira, auto-harpa e theremin, para actuações a solo quer em colaboração.

   Atualmente a sua pesquisa foca-se na integração de instrumentos eletrónicos DIY e escultura nas suas performances de voz e dança, estimulando uma infinidade de emoções no público através de ruídos violentos, cantos ritualísticos e movimentos meditativos.

 

    (Fonte: Calafrio)

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:01

Contradizer na Guarda

por Correio da Guarda, em 22.12.17

contradizer21.jpg

    A Calafrio vai realizar, amanhã, a vigésima primeira sessão do ciclo Contradizer.

    Esta nova iniciativa terá lugar na Biblioteca Municipal Eduardo Lourenço, na Guarda, a partir das 15 horas. A sessão intitula-se “na véspera da véspera” e nela participam poetas, músicos, artistas plásticos e investigadores, todos ligados à associação CalaFrio e à cidade da Guarda.

    A forte adesão à iniciativa revela a força criativa e organizativa da associação que ainda há dias estreou um novo espectáculo de teatro. O actor Luciano Amarelo contará algumas “Lendas de Oriente”; o músico José Tavares interpretará a composição da sua autoria “Boomerang”; o ator e encenador Américo Rodrigues lerá algumas “Fábulas Fantásticas”, do escritor norte-americano Ambrose Bierce.

    O professor e escultor José Teixeira falará do seu trabalho “Gravidade”, neste momento em exposição no Museu Militar, em Lisboa; a professora Fátima Freitas dirá poemas de diversos autores. O poeta Daniel Rocha lerá o seu inédito “génesis ou quase isso”. A escritora Odete Ferreira divulgará as suas narrativas “Os Inocentes” enquanto que a musicóloga e crítica musical Cristina Fernandes fará uma pequena conferência acerca de “O distrito da Guarda nas notícias da Gazeta de Lisboa: música, dança e applausos festivos na segunda metade do séc. XVIII”.

    O jornalista e poeta Pedro Dias de Almeida revelará o seu texto inédito “Parecia que estávamos num parque temático” e o poeta Manuel A. Domingos dirá alguns poemas da sua autoria, ainda não publicados em livro.

    A organização é do CalaFrio – Associação Cultural, tendo o apoio do Município da Guarda e da Biblioteca M. Eduardo Lourenço. A entrada é livre.

 

       (Fonte: Calafrio)

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:19

Calafrio abre Festival Internacional de Teatro

por Correio da Guarda, em 20.09.17

 

     O Teatro do CalaFrio (Guarda) vai abrir o Festival Internacional de Teatro da Póvoa do Varzim, dia 22 de Setembro, com a apresentação  da sua mais recente produção teatral "OssO", de Rui Zink.

    A encenação é de Américo Rodrigues e a peça conta com a interpretação de Luciano Amarelo e Valdemar Santos. A sessão realiza-se no Cine-Teatro Garrett. Trata-se de um espectáculo tragicómico sobre um tema muito actual, o terrorismo.

    No dia 23 de Setembro, Calafrio apresenta "Contos e trovões, rezas e galináceos" no âmbito da Festa de Outono organizada pela Fundação de Serralves (Porto).

    O espectáculo tem por base canções e contos da tradição popular e é interpretado por César Prata, Américo Rodrigues e Solange Monteiro.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:02

Contos e trovões, rezas e galináceos em estreia

por Correio da Guarda, em 04.09.17

 

     “Contos e trovões, rezas e galináceos" é a nova produção oral e de canções da associação cultural Calafrio.

     A estreia deste novo trabalho terá lugar no dia 9 de Setembro, pelas 21.30h, no terraço do terceiro piso do Teatro Municipal da Guarda.

    Em agenda está já uma outra apresentação marcada para Lisboa e, no âmbito do Festival Silêncio, no dia 30 de setembro às 16 horas, na Pensão Amor (Cais do Sodré).

    “Convocamos galinhas e outras aves de capoeira (e até um canário e uma águia). Porque não temos memória de galinha, saímos da casca e abrimos o bico para dizer adivinhas, anedotas e trava-línguas. E até rezamos para afastar trovoadas! Rezamos... com galos e galinhas, claro! Naturalmente, olhamos para trás! E, assim, chegamos ao ovo! Ou será à galinha?”.

     Trata-se de uma criação coletiva de Américo Rodrigues, César Prata e Solange Monteiro, com produção da CalaFrio Associação Cultural.

Teatro do CALAFRIO.jpg

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:15

CalaFrio apresenta OssO de Rui Zink

por Correio da Guarda, em 12.05.17

 

osso8.JPG

    No Teatro Municipal da Guarda (TMG) continua em cena, até amanhã, a nova produção do Teatro do CalaFrio, OssO de Rui Zink, cuja estreia teve ontem lugar.

    De referir que a sessão do dia 13 de Maio contará com a presença do autor da peça. Após o espetáculo (que se inicia às 21h30), haverá um encontro com o escritor Rui Zink no Bar do seguindo piso do TMG. Este novo trabalho do CalaFrio tem encenação de Américo Rodrigues e interpretação de Luciano Amarelo e Valdemar Santos; a cenografia é assinada por José Teixeira e o desenho de luz é José Neves

    Esta é a sexta produção do CalaFrio, depois de “Mas era proibido roer os ossos”, a partir de dois textos de Franz Kafka (estreada em Abril de 2014); "Empresta-me um revólver até amanhã", com dois textos de Anton Tchekhov (Abril de 2015); “Bartleby”, baseada em Bartleby, o escrivão: uma história de Wall Street, de Herman Melville (Dezembro de 2015); "Diário de um louco", de Nikolai Gogol (Abril de 2016) e “O Ingénuo”, de Voltaire (Dezembro de 2016).

    “ (...) História literalmente no osso, sem corpos nem paisagem, todo o aparato da escrita reduzido ao palco de uma cela onde se digladiam duas vozes. Trata-se de uma espécie de teatro mental, por onde passam algumas das maiores tensões e angústias do nosso tempo: a retórica do medo, a intolerância, os abusos cometidos em nome da democracia, a incapacidade de compreender o outro, de respeitar quem não pensa como nós. Zink não faz do duelo entre os dois homens mero veículo para um qualquer discurso político. Em vez disso, e com muito mais eficácia, descontrai ideias feitas sobre a ameaça do fanatismo religioso e o seu reverso (a paranóia securitária) mostrando-nos como as relações de poder se podem dissolver no próprio absurdo que as sustém.” Escreveu José Mário Silva a propósito desta obra de Rui Zink.

    Escritor e professor universitário, Rui Zink enquanto escritor, é autor de vários livros, de entre os quais, ensaios e ficção, se salientam talvez os romances Hotel Lusitano (1987), Apocalipse Nau (1996), O Suplente (1999) e Os Surfistas (2001), e a novela O Anibaleitor (2006). Colaborou ainda em jornais e revistas, entre os quais o semanário O Independente (1991) e a revista K (1992). Enquanto tradutor, traduziu obras de Matt Groening, Saul Bellow e Richard Zenith.

    Rui Zink recebeu o Prémio do P.E.N. Clube Português pelo romance Dádiva Divina (2005), e representou Portugal em eventos como a Bienal de São Paulo, a Feira do Livro de Tóquio ou o Edimburgh Book Festival.

 

    Fonte: CalaFrio

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:01

CalaFrio promove Inquietação

por Correio da Guarda, em 17.04.17

CalaFrio - Guarda.jpg

     A associação CalaFrio vai promover na Guarda, no próximo dia 22 de Abril, a primeira sessão do ciclo Inquietação.

     Trata-se de uma das atividades que a referida associação se propõe realizar, dedicada ao debate de questões de cidadania.

     Esta sessão irá decorrer, a partir das 16 horas, na Biblioteca Municipal Eduardo Lourenço, na Guarda.

    A sessão será constituída pela conferência “O marketing da saúde e da doença”, a proferir por Paulo Costa, e pela apresentação do terceiro número da coleção Cadernos do CalaFrio, “A doença da saúde”, de Vasco Queiroz. Recorde-se que em Dezembro de 2016, foram apresentados os dois primeiros números desta coleção: “A porta de emergência”, de Américo Rodrigues e as “Historietas de Martim Afonso”, de Rogério C. Pires.

   Paulo Costa é médico de família na USF Serra da Lousã, assistente graduado de Medicina Geral e Familiar, membro da comissão científica para as boas práticas clínicas DGS/Ordem dos Médicos. Vasco Queiroz é médico especialista em Medicina Geral e Familiar desde 1987, médico de família na Guarda desde 1989, membro da Direção Nacional de MGF da Ordem dos Médicos de 2002 a 2015, membro da Associação Europeia de Docentes e Orientadores de Medicina Familiar (EURACT), tutor de ensino da Faculdade de Ciências da Saúde da Universidade da Beira Interior desde 2002.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:44

O Monstro e o Ermitão em Castelo Mendo

por Correio da Guarda, em 03.04.17

Castelo Mendo.jpg

    "O Monstro e o Ermitão" é o tema da visita encenada, pelo Calafrio, que decorrerá, no próximo dia 8 de Abril em Castelo Mendo, a partir das 22 horas

    Este trabalho, produzido a convite da Câmara Municipal de Almeida, tem encenação de coordenação de Américo Rodrigues, a partir de um texto de Daniel Rocha.

   Como intérpretes vão estar, entre outros, Luciano Amarelo, Américo Rodrigues, Ana Couto, Daniel Rocha e Suzete Marques, também responsável pela produção executiva.

   O alcaide de Castelo Mendo, D. Mendo, faz as honras da visita, convidando todos os visitantes a segui-lo pelas ruas da aldeia histórica, enquanto vai chamando a atenção para pormenores do seu património edificado. Pelo caminho, encontram uma donzela a cantar um rimance à janela e, a meio da visita, são introduzidos também mitos e lendas que fizeram, desde sempre, parte do imaginário dos habitantes, com maior destaque para a lenda do monstro e o ermitão.

    O espectáculo termina com a recriação da procissão dos rapazes até à ermida da Sacaparte e com a queima do monstro.

 

    Fonte e foto: Teatro do Calafrio

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:46

Calafrio assinala Dia Mundial da Poesia

por Correio da Guarda, em 16.03.17

 

    A Associação Calafrio, em parceria com a Casa de São Vicente, assinala a 21 de Março o Dia Mundial da Poesia.
    A atividade agendada terá início pelas 21h30  na própria Casa de São Vicente, localizada na Rua da Trindade, Guarda.
   Participam poetas e amantes da poesia, como sejam o caso de Américo Rodrigues, Odete Ferreira, Ana Ferreira, Ana Couto, Jos van den Hoogen, Solange Monteiro, Maria Afonso, Ana Monteiro, Alexandre Gonçalves, Tila Hewson, António José Dias de Almeida, João Mendes Rosa, Leandro Martins.
   A sessão contará também com a presença de Alé&Olé Duo, dos músicos Pedro Ospina e Olena Sokolovska.
 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:51

Calafrio promove Contradizer

por Correio da Guarda, em 08.02.17

 

     O CalaFrio vai promover no próximo dia 11 de Fevereiro, a décima oitava sessão do ciclo Contradizer, uma das actividades da associação realizadas regularmente desde 2014.

     Em cada uma das sessões têm sido promovidas diferentes manifestações de arte – literatura, música, fotografia, cinema –, em diferentes locais da Guarda, mas também noutras localidades do distrito, na maioria das vezes locais inesperados, como a garagem da BMEL ou a Adega2.5 em Caria.

     A sessão do próximo dia 11 de Fevereiro decorrerá na sede da associação – a Antiga Escola Primária do Rio Diz – situada na Rua do Futuro, na cidade da Guarda. O Contradizer 18 é dedicado à poesia erótica de Carlos Drummond de Andrade, um dos principais poetas da segunda geração do Modernismo brasileiro, considerado por muitos como o mais influente poeta brasileiro do século XX. Os poemas eróticos de Drummond estão reunidos na coletânea O Amor Natural, uma obra inquietante, que revela uma face nova, mais despojada, mas extremamente fascinante do poeta.

Contradizer.jpg

      Foto: Calafrio

 

     A sessão inicia-se pelas 21h30 com a leitura de poemas por Américo Rodrigues, Daniel Rocha, João Figueiredo, Luciano Amarelo, Suzete Marques, entre outros, acompanhados pelo guitarrista André Vaz. De seguida será exibido o documentário “O Amor Natural” de Heddy Honnigmann.

     Sobre o Calafrio de recordar que no início do ano de 2014 nasceu, na cidade da Guarda, um grupo informal de teatro, o Teatro do CalaFrio, por iniciativa de agentes culturais com um passado muito intenso na dinamização cultural da cidade. Muitos deles criaram e dinamizaram grupos como o "Aquilo" e "Luzlinar", ao mesmo tempo que ajudaram o movimento associativo do distrito a crescer e a afirmar-se.

    Em Abril de 2014, o Teatro do CalaFrio estreou no Teatro Municipal da Guarda a sua primeira produção profissional intitulada "Mas era proibido roer os ossos", a partir de textos de Franz Kafka. A peça foi depois apresentada em Castelo Branco, Lisboa e Porto. Estava dado um sinal da orientação do grupo na área do teatro: textos de grande valor literário; encenações e cenografias simples, mas ricas de significações; e interpretações de grande qualidade. Além do teatro, o grupo iniciou uma série de atividades, começando com uma sessão dedicada à poesia: "A poesia é o mistério de todas as coisas", na Casa de São Vicente na Guarda; sucedendo-se um ciclo de sessões, dedicadas essencialmente à leitura e à música, realizadas em espaços não convencionais, o Ciclo Contradizer.

     Em Março de 2015, o grupo informal transformou-se em CalaFrio - Associação Cultural, com o objetivo de alargar o leque de iniciativas e de chegar a outros públicos, mobilizando mais de uma vintena de sócios fundadores, todos com participação ativa na vida cultural e artística.   

     Seguiram-se, desde então, várias estreias e apresentações de novas produções de teatro: "Empresta-me um revólver até amanhã", com dois textos de Anton Tchekhov (estreada em Abril de 2015); “Bartleby”, baseada em Bartleby, o escrivão: uma história de Wall Street, de Herman Melville (Dezembro de 2015); "Diário de um louco", de Nikolai Gogol (Abril de 2016); e “O ingénuo” de Voltaire (Dezembro de 2016). Em Março de 2016, a associação editou a sua primeira obra, Poemas e outros Poemas de Pedro Dias de Almeida. E em Dezembro deu início à coleção “Cadernos do Calafrio”, com a edição dos dois primeiros números: A porta de emergência de Américo Rodrigues e Historietas de Martim Afonso de Rogério C. Pires.

     Ainda no ano de 2016, estreou o espetáculo "Contos e trovões, rezas e canções", baseado em elementos da cultura popular portuguesa. No dia 27 de Agosto de 2016, foi inaugurada a sede da Associação Calafrio, na Rua do Futuro (Antiga Escola Primária do Rio Diz), na Guarda.

 

     Fonte: Calafrio

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:30

Cadernos do Calafrio

por Correio da Guarda, em 08.12.16

 

     A CalaFrio – Associação Cultural vai apresentar no próximo dia 17 de Dezembro, os dois primeiros números da coleção “Cadernos do Calafrio”.

     A sessão de apresentação decorrerá, a partir das 16 horas, na Biblioteca Municipal Eduardo Lourenço, na Guarda.

    De acordo com a informação divulgada pela CalaFrio, esta coleção propõe-se editar pequenos textos “de escritores com ligação ao distrito da Guarda, cujo valor literário justifique a sua publicação.”

    Estes dois números não são uma estreia editorial, uma vez que em Março deste ano foi editado, também pelo Cafafrio, o livro de poemas de Pedro Dias de Almeida, “Poemas e outros poemas.

   “A porta de emergência” de Américo Rodrigues abre a colecção, à qual se segue “Historietas de Martim Afonso” de Rogério C. Pires.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:57


Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.




Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D

Contacto:

correiodaguarda@sapo.pt correio.da.guarda@gmail.com



Google +


Referenciar citações

Protected by Copyscape Website Copyright Protection