Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Eduardo Flor: na procura das melhores fotos

por Correio da Guarda, em 07.05.21

 

Natural da Guarda, Eduardo Flor é Técnico de Prótese Dentária há 43 anos. Contudo, desde sempre que procurou atividades para os seus tempos de lazer de forma a tornar a sua vida “menos monótona”, como disse ao CORREIO DA GUARDA.

“Pratiquei caça, pesca, tiro de competição, danças de Salão e neste momento a fotografia ocupa-me todo o tempo disponível”. Para onde quer que vá, Eduardo Flor vai sempre acompanhado de máquina fotográfica. “E na ausência dela, uso o telemóvel”, acrescenta no seu peculiar tom jovial.

Dos seus projetos não exclui fazer um catálogo com as espécies de aves existentes no distrito da Guarda.

 

Eduardo FLOR.jpg

Quando surgiu o interesse pela fotografia?

Digamos que o interesse pela fotografia surgiu logo a seguir a ter deixado a caça, sentia falta de andar pelo monte à procura de algo.

Depressa me apercebi que o podia fazer com uma máquina fotográfica. Passei então, a ter muito mais prazer em andar pela natureza a “caçar” fotograficamente sem interferir com os animais e seu ecossistema.

A emoção é a mesma, rastejo, escondo-me e espero muitas vezes horas para conseguir o meu objetivo, trazer as melhores imagens que posso ou por vezes nada...

 

Que géneros de fotos prefere? Fotografia de rua, paisagem, retrato…?

Durante muitos anos pratiquei apenas fotografia de natureza, porém, comecei a reparar que, por vezes, observava paisagens espetaculares e únicas, monumentos, pessoas dignas de um registo fotográfico.

A atividade em ambiente agrícola entre outras, que poderiam enriquecer o meu portfólio. Neste momento, se bem que o foco principal é a natureza, não deixo de aproveitar uma boa fotografia, quer seja paisagem ou retrato, não esquecendo a fotografia urbana que gosto de fazer nas grandes cidades.

 

Fotografia a cores ou a preto e branco?

Como o meu foco principal é a fotografia da Natureza, as minhas fotos são na maioria a cores, pois as aves têm cores lindíssimas que se perderiam se fosse a preto e branco; pessoas, aldeias ambiente rural e urbano prefiro o registo a preto e branco.

 

Preocupa-se com o trabalho de edição das fotografias? É um trabalho moroso?

Como faço fotos em ficheiros Raw, todas elas passam por programas de edição, primeiro, porque tenho que as passar para jpeg, que é um ficheiro em que a foto fica com menos resolução, ficando assim preparada para ser postada numa qualquer rede social ou outro, e também para dar um toque nas sombras, quando é preciso, ou para dar um jeito nos enquadramentos.

Como tenho o cuidado de ajustar as funções da câmara às condições do local onde vou permanecer para fotografar, permite-me perder pouco tempo depois na edição.

 

A zona da Guarda é a preferida para os seus trabalhos? Que outras zonas em especial?

A zona da Guarda é a zona onde fotografo mais frequentemente, não por ser a preferida, mas por ser a zona onde habito; para o tipo de fotografia que mais faço (aves) a minha zona preferida é Aveiro, onde a biodiversidade é muito rica, a espécies de aves é muito superior devido à morfologia dos terrenos e zonas marítimas.

Também gosto de ir até Espanha para fotografar Aves Rapinas e algumas vezes vou para as Lagoas de Sesimbra, aquando das migrações das aves para essa zona.

 

O que gosta mais de fotografar na Guarda?

A riqueza dos nossos monumentos, que fazem já parte do meu portfólio, mas que não me canso de procurar outras perspetivas, a realização de eventos que tragam muita gente à rua, para aí sim me deliciar a fotografar expressões.

No Inverno, quando as neblinas estão localizadas na parte mais alta da cidade, também é um prazer fotografar e quando neva na mais alta.

 

Como têm reagido as pessoas à suas fotos?

A reação no geral é muito positiva; em primeiro lugar porque muitas das aves que publico nas redes sociais não são fáceis de registar e não são vulgares, de cores lindíssimas, de uma beleza invulgar.

Sendo habitual deslocar-me a muitos locais, fora do nosso distrito, tenho uma variedade enorme de espécies. Como publico fotos em várias páginas do facebook é frequente ter fotos reconhecidas e em destaque por esses grupos, daí que o feedback me parece positivo.

Foto ave - Eduardo Flor.jpg

O digital incrementou, junto das pessoas em geral, o gosto pela fotografia?

A facilidade com que agora se pode ter a experiência de fotografar, não é a mesma de há vinte anos atrás; neste momento com um simples telemóvel se pode tirar uma fotografia e publicar nas redes sociais sem nenhum custo, tornando assim mais fácil a experiência de fotografar, porém terá de se diferenciar a arte de fotografar e a simples captura de imagem.

Também o facto de podermos visualizar a imagem no imediato, assim como a facilidade de obter a foto, vem incentivar mais pessoas a fotografar.

Penso que não havendo a necessidade de criar condições especiais para a revelação, assim como a ausência dos custos associados, são também fatores facilitadores.

 

Fazer fotografia implica uma permanente atualização dos equipamentos?

Penso que no momento de comprar o equipamento deve-se pensar o que se pretende fotografar, pois teremos de comprar uma máquina, lente ou lentes, para vários tipos de fotografia.

O meu conselho é comprar uma camara média que, no momento da compra, pode ser um pouco mais cara, mas será uma máquina que durante uns anos servirá perfeitamente para o nosso objetivo sem precisarmos de atualizar o equipamento.

Conselho, perguntar sempre opinião a alguém que fotografe, um fotógrafo experiente dará sempre bons conselhos...

 

Os preços dos equipamentos são hoje mais acessíveis?

Bastantes mais acessíveis e não só; as máquinas fotográficas, neste momento são dotadas de configurações que há meia dúzia de anos atrás ninguém sonharia, filtros interiores, edição de imagem, GPS, Bluetooth, permitem isos altíssimos sem ruído nas fotos e, muito importante, bastante mais leves.

 

Para além das iniciativas que tem havido, na área de fotografia, o que podia ser ainda feito para aproximar o público em geral dos trabalhos fotográficos aqui produzidos?

Passeios fotográficos, como fazíamos antes da pandemia. Exposições de fotografia, debates com o tema “Fotografia”, realizar oficinas com abordagem a este tema.

Ave - Foto Eduardo Flor.jpg

 

Tem algum episódio curioso, ou que lhe tenha deixado boas recordações, no decorrer da sua atividade fotográfica?

Tenho feito bastantes amigos fora do distrito da Guarda, com episódios circunstanciais engraçados.

Recordo um episódio, antes da pandemia. Fui com um colega também fotógrafo de natureza dar uma volta pela zona de Figueira Castelo Rodrigo; andámos toda a manhã a fotografar, por volta das 13 horas fomos procurar um sítio para comer qualquer coisa.

Chegamos a uma aldeia e fomos a dois cafés para ver se nos podiam fazer uma sandes, mas nem pão nem nada para comer, mais à frente perguntámos a um habitante se haveria alguma aldeia perto daquela onde conseguíssemos comer algo. Disse logo que não, por ali não havia nada, mas para irmos à Casa do Povo onde estariam a preparar uns frangos para os caçadores de uma batida aos javalis, podia ser que dispensassem algum.

Lá fomos nós e realmente lá tinham as grelhas com frangos, dirigimo-nos ao senhor que estava a tomar conta da grelha e perguntamos se nos dispensava um frango, o senhor respondeu logo que sim e passados dois minutos já tínhamos uma mesa com pão caseiro um frango e umas cervejas, conversa mais conversa, o que fazíamos, o que fotografámos,

de onde eramos, se queríamos mais carne, que conheciam uma pessoa na Guarda com o meu apelido…bem, comemos até estarmos satisfeitos e ainda me ofereceram um garrafão de azeite!...

 

E episódio menos agradável?

Dois episódios menos agradáveis: o primeiro foi no verão passado, estava num local já há umas horas à espera que aparecesse algo para fotografar; de repente vem um bando de abelharucos beber água, quando aparecem, são cinco minutos de dezenas

de mergulhos, uma coisa brutal de se ver e fotografar, azar...ficaram tão perto de mim que a minha lente não os conseguia fotografar, foi mesmo uma grande frustração.

O segundo foi há três semanas atrás, descobri uma colónia também de abelharucos, uma das espécies de pássaros mais bonitos que vêm, nesta altura para acasalamento e fazer os ninhos em buracos profundos na terra onde criarão os filhos. Estavam muito juntos e em voos rasantes junto aos ninhos; coloquei a máquina no tripé e vai de disparar dezenas de fotos. Todo contente vim para casa rever as fotos que tinha feito...uma desgraça!... a maior parte todas desfocadas pois tinha alterado os modos da máquina para outro tipo de fotos e não fiz a respetiva correção. Importante, antes de sair de casa reparar nos valores da máquina, para não acontecerem erros destes.

Foto - Eduardo Lourenço.jpg

Que projetos tem no campo da fotografia?

Fazer umas quantas exposições com a fauna que temos por aqui… E quem sabe, fazer um catálogo com as espécies de aves do nosso Distrito.

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:10

Confinamento em dia de chuva...

por Correio da Guarda, em 10.04.21

Rolas na Tília - hs.jpg

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:01

Vigilantes da Catedral...

por Correio da Guarda, em 17.07.20

Vigilantes da Catedral - HS.jpg

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:00

Pormenores de uma Catedral...

por Correio da Guarda, em 10.05.20

Pormenores de uma catedral - Helder Sequeira.jpg

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:00

Ao entardecer...

por Correio da Guarda, em 12.04.20

Aves ao entardecer - HS.jpg

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:32

Aves invernante da Serra da Estrela

por Correio da Guarda, em 28.12.19

Aves Invernantes .jpg

O Centro de Interpretação da Serra da Estrela (CISE) e o Centro de Ecologia, Recuperação e Vigilância de Animais Selvagens (CERVAS) vão promover nos próximos dias 8 e 9 de fevereiro de 2020 o IX Workdhop de Aves Invernantes da Serrra da Estrela.

Para os os organizadores desta iniciativa "a região da serra da Estrela representa um dos melhores locais em Portugal para observar algumas espécies de aves invernantes que noutras regiões do país são relativamente raras. Se a altitudes baixas a diversidade de aves durante o Inverno não é muito diferente da que se pode encontrar noutras zonas do país, nas zonas mais elevadas e com maiores adversidades, ocorrem espécies que estão bem adaptadas ao clima frio e à neve, como a ferreirinha-alpina e a escrevedeira-das-neves. Além destas, é possível observar o Melro-de-colar, o dom-fafe, o lugre, a petinha-ribeirinha, o tordo-zornal, o Tordo-ruivo, entre outras espécies quer residentes na região quer exclusivamente invernantes."

Deste modo, pretende-se dar a conhecer as particularidades das migrações e das adaptações ao frio e à neve e dar a conhecer alguns dos melhores locais na serra da Estrela para observar as aves invernantes. Por outro lado o curso tem por objetivo incrementar  o interesse e a sensibilidade pela observação regular de aves e pela conservação da avifauna e da natureza em Portugal.

O curso destina-se essencialmente a pessoas interessadas em conhecer as aves invernantes e as suas particularidades, a alunos de Biologia e de outras ciências naturais que pretendam obter formação nesta temática e a quem pretende conhecer os locais e as aves a observar no Inverno na região da serra da Estrela.

Os interessados podem obter mais informações aqui.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:20

Identificação de aves

por Correio da Guarda, em 19.06.19

 

     No concelho de Fornos de Algodres, vai ter lugar, nos próximos dias 20 e 21 de junho, nos dias uma ação de formação a todos que querem conhecer as nossas aves selvagens e contribuir para projetos de ciência-cidadã.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:56

Observação de Aves

por Correio da Guarda, em 09.03.18

cartaz-passeioAves-2018.jpg

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:38

Melro...

por Correio da Guarda, em 20.03.17

 

Melro HS.jpg

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:36

Observação de aves invernantes

por Correio da Guarda, em 01.02.17

Aves Invernantes.jpg

 

     No Centro de Interpretação da Serra da Estrela (CISE), Seia, vai decorrer nos dias 18 e 19 de Fevereiro uma ação de formação orientada para a observação de aves invernantes.

    Esta iniciativa integra várias sessões teóricas e de campo (em vários locais da Serra da Estrela) para observação de espécies, com o objetivo de proporcionar o conhecimento da diversidade de aves que, no Inverno, se deslocam para esta região. Mais informações podem ser obtidas aqui.

    Refira-se que Centro de Interpretação da Serra da Estrela (CISE) é uma estrutura do Município de Seia, orientada para o desenvolvimento de atividades de educação ambiental e de valorização do património ambiental da serra da Estrela.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:09


Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.




Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2011
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2010
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2009
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2008
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D

Contacto:

correio.da.guarda@gmail.com