Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


A Arte do Côa

por Correio da Guarda, em 11.12.12

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:24

Museu do Côa assinala primeiro aniversário

por Correio da Guarda, em 30.07.11

 

     O Museu do Côa registou, desde a sua inauguração a 30 de Julho de 2010, cerca de 40 mil visitas, um número que agrada à tutela e à comunidade local.

     Ao chegar ao Museu do Côa os visitantes são surpreendidos, positivamente, pela arquitectura e cor do edifício, enquadrado na paisagem e sobranceiro ao rio que lhe dá o nome.

    Projectado por Tiago Pimentel e Camilo Rebelo, o museu ocupa uma área de seis mil metros quadrados, desenvolvendo-se ao longo de 190 metros e dando a ideia de uma enorme pedra de xisto.

     O visitante vai encontrar, através de um percurso linear, três salas de contextualização e de introdução à temática exposta. A conjugação da tecnologia da informação, do desenho e da fotografia é um traço visível no suporte da apresentação dos conteúdos do Museu.

    Seguem-se mais quatro salas dedicadas ao tratamento monográfico da arte rupestre existente naquela zona. Ali se encontram as réplicas de quatro gravuras rupestres, duas das quais em riscos de deterioração e as restantes submersas.

    Recorde-se que a identificação das gravuras rupestres do Paleolítico, no Vale do Côa, ocorreu em 1994, nascendo a discussão em torno da não construção da barragem que iria ocultar esse património. A UNESCO viria a classificar, em 1998, as gravuras do Vale do Côa como Património da Humanidade. O lançamento de um concurso internacional de ideias para o desenho do Museu viria a ocorrer apenas em 2005.

 

    Como está inscrito num dos painéis informativos colocados no seu interior, “o Museu do Côa é o lugar de partilha de conhecimento patrimonial e artístico necessário para colocar a região a sentir que faz parte de um património que sendo da Humanidade é, em primeira instância, de quem vive na sua vizinhança”. Terá sido este sentimento que motivou já a visita de muitas pessoas do concelho, da sede e freguesias.

   Contudo, os visitantes têm chegado de vários pontos do país e do estrangeiro.

   De realçar o facto de o concelho de Vila Nova de Foz Côa ser o único do país a possuir dois Patrimónios Mundiais (Gravuras Rupestres e Douro Vinhateiro).  H.S.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:28

Parque Arqueológico do Côa no canal HISTÓRIA

por Correio da Guarda, em 28.03.09

 

O Parque Arqueológico do Vale do Côa vai estar em destaque no Canal HISTÓRIA nos próximos dias 30 (pelas 22 horas) e 31 de Abril (às 6h e às 14.00h).
Como é referido no documentário que vai ser emitido, no Vale do Côa encontra-se o maior conjunto de Arte Rupestre Paleolítico ao ar livre conhecido na actualidade.
A sua descoberta data de 1991 quando foi encontrada a primeira rocha. São conhecidos mais de vinte conjuntos de rochas gravadas, distribuídas ao longo de uma extensão de 17 km.
 Na sua maioria, trata-se de painéis decorados em época paleolítica, embora outros períodos pré-históricos, do Neolítico à Idade do Ferro, também se encontrem representados.
 
 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:54

Arte rupestre paleolítica

por Correio da Guarda, em 12.02.09

 

“Do Côa a Siega Verde” é o tema da exposição que está patente na sede do Parque Arqueológico do Vale do Côa e na Aula Arqueológica de Siega Verde.
Esta exposição tem por objectivo sublinhar a articulação entre os dois sítios com arte rupestre paleolítica de ar livre.
 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:42

Exposição "A Arte que o Côa Guarda"

por Correio da Guarda, em 03.11.08

 

No Centro Cultural de Celorico da Beira está patente, até ao dia 19 de Dezembro, uma exposição alusiva a Arte Rupestre do Vale do Côa, intitulando-se " A Arte que o Côa Guarda".
Mostrar o que é Arte Rupestre e qual a importância deste enorme legado histórico deixado pelos caçadores recolectores que viveram há cerca de 20 000 neste local é o objectivo desta exposição itinerante, promovida pelo Parque Arqueológico do Vale do Côa.
A exposição é constituída por fotografias que procuram representar alguns dos melhores motivos gravados nos painéis rochosos do Vale do Côa.
Além da componente fotográfica, a exposição possui ainda uma recriação de um habitat desse período.
 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:30


Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.




Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D

Contacto:

correiodaguarda@sapo.pt correio.da.guarda@gmail.com



Google +