Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Almeida

por Correio da Guarda, em 17.10.17

Almeida - HS.JPG

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:46

Livro sobre o concelho do Sabugal

por Correio da Guarda, em 06.09.17

LIVRO-Terras-do-Sabugal-Patrimonio.jpg

     "Terras do Sabugal - Património" é o título do livro, da autoria de José Barradas, que será apresentado no próximo dia 15 de Setembro, pelas 16 horas, no salão nobre da Câmara Municipal do Sabugal.

    “A ideia de criar uma obra onde constasse algum do mais relevante património do concelho nasceu em 2015, parti então para o terreno para fazer milhares de registos fotográficos do património edificado de toda a região”, referiu, a propósito deste livro, o seu autor.

    Segundo José Barradas, a escolha recaiu em 378 fotografias finais constantes no livro. Após esta escolha “todas as fotografias passaram por um minucioso processo de tratamento e manipulação digital, não com o objetivo de alterar ou descaracterizar qualquer monumento ou local, mas apenas para melhorar o resultado visual final de cada fotografia, para isso houve a necessidade de remover elementos que por vezes provocavam algum ruído visual, tais como cabos elétricos, sinaléticas diversas ou os habituais megafones instalados nos campanários das igrejas e capelas. Elementos tão essenciais na sociedade atual, mas que ofuscam a estética do local e dos monumentos, retirando beleza visual ao resultado final que se pretende numa obra cujo principais conteúdos são as fotografias em si e os monumentos que nelas constam.”

    O autor desta publicação acrescentou que o livro “Terras do Sabugal – Património” não tem como propósito ser um guia exaustivo do património do concelho. “O propósito principal é sobretudo que este livro sirva de ponto inicial para que cada um parta à descoberta não apenas do património edificado mas também das paisagens, das gentes, das tradições e dos muitos recantos que este concelho ímpar tem para oferecer”.

    José Barradas nasceu em Lisboa em Junho de 1973. A sua ligação ao concelho do Sabugal é por via materna. Com formação nas áreas da fotografia, vídeo e multimédia, foi sobretudo na área do jornalismo que desenvolveu a sua carreira ao longo de perto de 20 anos. Como fotojornalista passou por diversos órgãos de comunicação social nacionais, entre os quais, o jornal Record, o jornal Correio da Manhã, o jornal Diário de Notícias, o jornal O Jogo, a revista Focus, entre muitos outros. Colaborou também com diversos órgãos de comunicação social e agências fotográficas internacionais, sobretudo em Espanha, Inglaterra e Alemanha.

   Foi co-autor do primeiro website de fotojornalismo em Portugal e é atualmente autor de um website dedicado ao mundo da fotografia, o Fotografiatotal.com, onde escreve regularmente. Nos últimos anos o seu trabalho tem sido também voltado para a área da imagem. Fotografia, vídeo e multimédia são três áreas às quais se dedica atualmente, sobretudo ligado a entidades institucionais, empresariais e editoriais.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:01

Património

por Correio da Guarda, em 14.08.17

guarda (5) - HS.JPG

     Guarda 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:16

Paço da Cultura

por Correio da Guarda, em 03.06.17

guarda (1).JPG

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:29

Memória de um Sanatório...

por Correio da Guarda, em 18.05.17

 

    “O passado passou. O presente agoniza.” Estas palavras de Miguel Torga são uma legenda adequada para a imagem atual de dois dos emblemáticos pavilhões do antigo Sanatório Sousa Martins.

Sanatório - Pavilhão D. António de Lencastre -

     Neste contexto de elevação da língua e música portuguesa, e após um fim de semana de alegrias e emoções lusas, justifica-se uma breve nota sobre a importância da preservação da memória, e do património, de uma cidade que foi uma eminente âncora de esperança e futuro, na vanguarda da luta pela saúde.

    “A incompreensão do presente nasce fatalmente da ignorância do passado”, dizia o historiador Marc Bloch: daí que, uma vez mais, anotemos uma efeméride e a importância de salvaguardarmos e rentabilizarmos os edifícios de uma instituição que teve projeção nacional e internacional, associando ao facto a mais alta cidade do país.

    Hoje, 18 de Maio, ocorre a passagem do 110º aniversário da inauguração do Sanatório Sousa Martins, que foi uma das principais instituições de combate e tratamento da tuberculose, em Portugal. A designação de “Cidade da Saúde”, atribuída à Guarda, em muito se fica a dever a uma instituição que a marcou indelevelmente, ao longo de sete décadas, no século passado.

   A Guarda foi, nessa época, uma das cidades mais procuradas de Portugal, afluência que deixou inúmeros reflexos na sua vida económica, social e cultural; a sua apologia como localidade “eficaz no tratamento da doença” foi feita por distintas figuras da época, pois era “a montanha mágica” junto à Serra.

   Muitas pessoas (provenientes de todo o país e mesmo do estrangeiro) subiam à cidade mais alta de Portugal com o objetivo de usufruírem do clima de montanha, praticando, assim, uma cura livre, não sendo seguidas ou apoiadas em cuidados médicos. As deslocações para zonas propícias à terapêutica “de ares”, e a consequente permanência, contribuíram para o aparecimento de hotéis e pensões, dado não haver, de início, as indispensáveis e adequadas unidades de tratamento; situação que desencadeou fortes preocupações nas entidades oficiais da época.

    Já no primeiro Congresso Português sobre Tuberculose, Lopo de Carvalho (que viria a ser o primeiro Director do Sanatório Sousa Martins, e pai de outro conceituado clínico) destacou os processos profiláticos usados na Guarda; este médico foi um dos mais fervorosos defensores da criação do Sanatório que seria inaugurado a 18 de Maio de 1907 – completam-se hoje 110 anos – com a presença do rei D. Carlos e da Rainha D. Amélia.

   O fluxo de tuberculosos superou, largamente, as previsões, fazendo com que os pavilhões do Sanatório Sousa Martins (a autoria do projeto dos edifícios pertence a Raul Lino) se tornassem insuficientes perante a procura; o Pavilhão 1 (designado também de Lopo de Carvalho, onde está atualmente instalada a administração da ULS da Guarda) teve de ser aumentado um ano depois, duplicando a sua capacidade.

    Um novo pavilhão, que se juntou aos três já existentes, foi inaugurado em 31 de Maio de 1953; com este novo edifício (que ladeia a atual Avenida Rainha D. Amélia) o Sanatório Sousa Martins ganhou maior dimensão e capacidade de tratamento dos doentes.

    Anotar a passagem dos 110 anos após a inauguração do Sanatório Sousa Martins não é cair em exercício de memória ritualista mas sublinhar o estado em que se encontra o património físico de uma instituição, indissociável da História da Medicina Portuguesa, da solidariedade social, da cultura (pelos projetos que criou e desenvolveu) e da radiodifusão sonora portuguesa.

    É já tempo de novo tempo para ações concretas em prol da reabilitação e aproveitamento desta memória, agonizante, da Guarda do século passado...

 

                                                                                                                Hélder Sequeira

 

    (in O Interior, 18 Maio 2017)

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 07:45

O Monstro e o Ermitão em Castelo Mendo

por Correio da Guarda, em 03.04.17

Castelo Mendo.jpg

    "O Monstro e o Ermitão" é o tema da visita encenada, pelo Calafrio, que decorrerá, no próximo dia 8 de Abril em Castelo Mendo, a partir das 22 horas

    Este trabalho, produzido a convite da Câmara Municipal de Almeida, tem encenação de coordenação de Américo Rodrigues, a partir de um texto de Daniel Rocha.

   Como intérpretes vão estar, entre outros, Luciano Amarelo, Américo Rodrigues, Ana Couto, Daniel Rocha e Suzete Marques, também responsável pela produção executiva.

   O alcaide de Castelo Mendo, D. Mendo, faz as honras da visita, convidando todos os visitantes a segui-lo pelas ruas da aldeia histórica, enquanto vai chamando a atenção para pormenores do seu património edificado. Pelo caminho, encontram uma donzela a cantar um rimance à janela e, a meio da visita, são introduzidos também mitos e lendas que fizeram, desde sempre, parte do imaginário dos habitantes, com maior destaque para a lenda do monstro e o ermitão.

    O espectáculo termina com a recriação da procissão dos rapazes até à ermida da Sacaparte e com a queima do monstro.

 

    Fonte e foto: Teatro do Calafrio

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:46

Pela cidade...

por Correio da Guarda, em 29.03.17

 

Pela cidade da Guarda.jpg

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:11

Brasão

por Correio da Guarda, em 17.03.17

Brasão - Guarda.jpg

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:55

Património e Paisagem

por Correio da Guarda, em 19.02.17

 

     A Associação Geoparque Estrela vai promover, a 22 e 23 de Abril, um percurso interpretativo designado “Património e Paisagem”.

    Trata-se de uma atividade no âmbito do Ano Internacional do Turismo Sustentável para o Desenvolvimento.

percurso.jpg

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:04

Sistemas de Informação Geográfica e Geoturismo

por Correio da Guarda, em 06.02.17

 

 

     A Associação Geopark Estrela vai promover, nos dias 11, 18 e 25 de Março de 2017, na Guarda, um curso em sistemas de Informação Geográfica e Geoturismo.

     Este curso pretende, para além de uma formação base na utilização de diferentes ferramentas SIG, dar a conhecer as potencialidades dos SIG para os trabalhos em Geoturismo.

     De referir que o Geoturismo se assume como um conjunto de práticas turísticas, de base territorial, assentes no potencial endógenos dos territórios onde ocorre, nomeadamente nos seus recursos abióticos, bióticos e culturais. Esta abordagem holística do território e do turismo fazem deste conceito uma nova oportunidade para muitas geografias. Neste sentido, o planeamento da atividade, a inventariação dos recursos disponíveis e a sua promoção são fatores determinantes para o sucesso destas estratégias, assentes no carácter geográfico dos lugares.

    Os Sistemas de Informação Geográfica constituem uma ferramenta importante de gestão, inventariação e representação da informação geográfica. A sua utilização no turismo em geral, e no geoturismo em particular, constitui uma mais-valia técnica e metodológica a utilizar por todos aqueles que trabalham, estudam e promovam territórios de geoturismo.

    O curso é destinado a Técnicos da área do turismo, património e desenvolvimento territorial; Técnicos de Geologia, Geografia e Biologia; Estudantes de Licenciaturas, Mestrados e Doutoramento; Técnicos de Geoparques Mundiais da UNESCO.  Mais informações aqui.

    O Aspiring Geopark Estrela constitui a candidatura da Serra da Estrela a Geopark Mundial da UNESCO, num território que inclui 9 municípios.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:10


Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Error running style: Style code didn't finish running in a timely fashion. Possible causes: