Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Na Guarda dos estudantes...

por Correio da Guarda, em 21.09.18

Benção das pastas IPG 2018.jpg

    

    A importância da existência de ensino superior na Guarda é evidente, inquestionável, e pode ser analisada em várias vertentes, sempre com indicador positivo.

    Contudo, para além  do que se poderia dizer sobre a mais-valia do Politécnico para a cidade e região (do seu impacto económico, social, cultural e científico), gostaríamos de anotar, nestas breves e despretensiosas palavras, o papel desempenhado pelos seus alunos na divulgação da Guarda (global e territorialmente entendida).

    Desde o início, têm chegado aqui jovens das mais diversificadas proveniências geográficas, os quais cimentaram relações afetivas com a instituição e outrossim com a mais alta cidade de Portugal, para muitos desconhecida até à sua entrada num novo ciclo formativo.

    Concluídos os cursos, os estudantes do Politécnico levam para a vida “segredos desta cidade”, como sugestiva e emocionalmente se canta numa conhecida balada de despedida; levam na memória a Guarda do ensino, do saber, da hospitalidade, da história, das tradições, da amizade, do convívio, da juventude e da alegria, afirmam-se como embaixadores desta terra no país e no mundo.

    Por outro lado, nos últimos anos, o reforço na estratégia de internacionalização do Politécnico da Guarda tem trazido a esta cidade um crescente número de alunos europeus e de países africanos de língua oficial portuguesa, acentuando o panorama de multiculturalidade; este é particularmente evidenciado pelos testemunhos de alunos brasileiros, outro grupo significativo na área dos estudantes internacionais.

    Aqui encontram, no contexto académico, a possibilidade de convívio com colegas de diferentes línguas e culturas, assinalando e reconhecendo a Guarda como marco perene no seu processo formativo; evidenciando o que a cidade tem de diferente e de bom...

   Registar as suas apreciações é perceber melhor o significado desta presença e da aprendizagem na cidade portuguesa que escolheram para dar sequência aos seus estudos (mercê dos contactos, acordos ou protocolos existentes) e onde protagonizam experiências inesquecíveis, que reportam e promovem aquando do seu regresso às suas terras de origem...suscitando o interesse de familiares, amigos e colegas.

    Estas ligações podem ser também equacionadas ao nível dos contactos perspetivados, para o futuro, com os países africanos de língua oficial portuguesa, na medida em que muitos desses estudantes – a estudarem no Politécnico da Guarda – vão ser quadros técnicos da administração ou dinamizadores do tecido económico e empresarial das suas regiões.

    Acarinhar e apoiar este multifacetado universo estudantil que, ano após ano, renova e anima a cidade é contribuir para a afirmação da marca da Guarda dentro e fora de fronteiras; apoio que deixa lançadas pontes para o futuro e laços afetivos que devem ser valorizados. (Helder Sequeira) 

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:24

EuroWorkshop “The Lithium Resources in Portugal"

por Correio da Guarda, em 20.09.18

LithiumEuroWokshop2018.jpg

     No Instituto Politécnico da Guarda (IPG) decorrerá de hoje (20) a 22 de setembro de 2018, o EuroWorkshop “The Lithium Resources in Portugal”, organizado pela Associação Portuguesa de Geólogos em colaboração com o IPG e a Federação Europeia de Geólogos.

    Com a realização deste EuroWorkshop, pretende-se dar a conhecer o importante papel que Portugal poderá ter na investigação e prospeção, bem como na eventual, exploração de lítio à escala mundial.

   Entre os diversos temas a abordar, destacam-se as principais ocorrências de lítio já conhecidas em Portugal, os aspetos legais associados a pedidos de atribuição de direitos de prospeção & pesquisa e de exploração, o papel das empresas de extração de minerais industriais, os avanços tecnológicos relativos ao seu processamento mineral e metalúrgico, o impacto ambiental relacionado com a sua prospeção e exploração e o aproveitamento geoturístico deste recurso endógeno da região da Guarda.

   O referido evento incorpora, ainda, uma visita de estudo a explorações mineiras de minerais industriais litiníferos, atualmente em atividade na região da Guarda (Gonçalo), e a antigas minas de estanho, feldspato e quartzo, que se encontram em apreciação para a pesquisa e prospeção de lítio na região de Viseu.

   Este EuroWorkshop é organizado no âmbito do Projeto “A Geologia como Base da Qualidade de Vida? A Sustentabilidade do Lítio na Povoação de Gonçalo”

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:01

Festival Internacional de Cinema

por Correio da Guarda, em 19.09.18

Ci.jpg

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:00

Jornadas sobre Fotografia

por Correio da Guarda, em 07.09.18

Cortejo - Jornadas de Fotografia.jpg

     O Instituto Politécnico da Guarda (IPG) e o Fotoclube da Guarda (FCG) vão promover, no próximo dia 13 de Outubro, as II Jornadas de Fotografia da Guarda.

    Esta iniciativa pretende evidenciar o papel da fotografia na sociedade contemporânea e divulgar trabalhos fotográficos ou experiências em várias áreas.

     As referidas jornadas se por um lado pretendem afirmar um eminente contributo formativo (e pedagógico), por outro procuram estabelecer/consolidar ligações com pessoas pertencentes ao mundo da fotografia (profissionais e amadores).

     O programa contempla comunicações sobre “Fotografia de Natureza” (por Eduardo Flor), “Será a nossa melhor fotografia aquela que nunca iremos fazer? A experiência de um fotojornalista” (por Miguel Pereira da Silva), “A utilização de drones em fotografia” (Maurício Matos), “Fotografia de paisagem” (por Miguel Serra), “Do outro lado da câmara” (por Filipa Barroso/Miss Portuguesa), “Fotografia de Rua” (por Carlos Neves) a apresentação de um trabalho intitulado “The Portuguese Prison Photo Project”(por Luis Barbosa /Fujifilm), o workshop “What to Frame” (por Jonh Gallo /Olympus) e uma exposição fotográfica que vai estar patente na Escola Superior de Tecnologia e Gestão do Instituto Politécnico da Guarda.

    As inscrições são gratuitas (mas obrigatórias e limitadas à capacidade do auditório) e podem ser feitas aqui

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:45

Um vasto campo de estudo

por Correio da Guarda, em 05.09.18

Rua da Guarda - Foto Helder Sequeira.jpg

 

     Na Guarda, ao longo dos últimos anos, tem sido incrementado o debate sobre questões toponímicas, com particular incidência nesta cidade.

    O Fórum sobre Toponímia, que no próximo mês de Outubro terá nova edição, acentuou, desde o início, o muito que há a fazer no âmbito desta temática, bem como a diversidade de estudos por ela suscitados; teve, aliás, consequências práticas através do lançamento de um concurso de toponímia e a escolha do modelo de novas placas, como é do conhecimento geral.

    A investigação em torno deste tema permite um enriquecimento cultural e o reforço da identidade citadina; por outro lado, não deixa de constitui uma atenção permanente perante situações que exigem uma adequada e correta intervenção.

    Independentemente das conjunturas políticas e sociais, devemos pugnar por uma Guarda da memória, contribuindo para que a cidade preserve a sua história, dignifique os seus valores, honre os seus pergaminhos e saiba construir pontes sólidas para o futuro, fidelizando paixões, conquistando novos visitantes.

   As cidades são como os homens; têm ou não carácter – e a tê-lo importa preservá-lo”, como escreveu Eugénio de Andrade. A Guarda é muito mais que o património edificado; é memória, é somatório de vidas, experiências, é (deve ser) um pulsar coletivo.

    É imperativo de consciência e cidadania assumir-se uma consciência critica, uma intervenção constante em prol do nosso espaço geográfico e afetivo, espaço de vivências. “O passado é, por definição, um dado que coisa alguma pode modificar. Mas o conhecimento do passado é coisa em progresso, que ininterruptamente se transforma e se aperfeiçoa” e, como acrescentava Marc Bloch, “a incompreensão do presente nasce fatalmente da ignorância do passado”...

    Ao longo do tempo foram muitas as alterações toponímicas introduzidas na nossa cidade. Como escreveu Pinharanda Gomes, “na Guarda, e no decurso do nosso século [vinte], tem-se cometido, repetidas vezes, aleatórias modificações de toponímicos, dificultando ainda mais as tarefas dos que, por exemplo, dedicados a pesquisas arqueológicas, poderiam atacar desde logo o sítio exato, caso a memória do nome se mantivesse”.

    Um dos casos mais evidentes é a Rua Francisco de Passos que continua a ser designada, pela generalidade dos guardenses, como Rua Direita. O seu nome evoca o Governador Civil da Guarda que desempenhou funções entre 11 de Junho de 1926 e 25 de Agosto do ano seguinte. Esta rua, recorde-se, constituiu a principal ligação da urbe medieval, unindo a cidadela do Torreão (também conhecida por Torre Velha da fortaleza, edificada provavelmente no século XII) à Alcáçova existente junto às portas da Covilhã (na zona em frente da Escola de Santa Clara).

   As alterações toponímicas, como já aqui escrevemos noutra ocasião, poderiam ser minimizadas caso fosse inserida a anterior designação, como aliás acontece noutras cidades (e como está previsto nas normas relativas às futuras placas), sobretudo com um significativo passado histórico.

    “Restaurar é restituir. A restituição da toponímia é um ato de honestidade cultural, de devolução do património à comunidade, de abandono de opções adventícias, por vezes decorrentes das situações políticas, e, por fim, de entrega aos arqueólogos e aos historiadores, de uma nova fonte documental para historiografia a fazer”, tal como observou Pinharanda Gomes.

    A toponímia da Guarda é um vasto campo para estudo e investigação e pode levar-nos à (re)descoberta de múltiplas facetas do seu passado, validado por mais de oito séculos de história, enquanto urbe.

   É importante que sejam implementadas correções e suscitado o envolvimento dos cidadãos na salvaguarda destes “pontos de memória”. Saibamos assumir a nossa responsabilidade coletiva, privilegiando todos os contributos idóneos em favor dos reais e verdadeiros interesses da cidade, de modo a que não se apague o espírito e a magia da Guarda. (Helder Sequeira)

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:20


Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.




Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D

Contacto:

correiodaguarda@sapo.pt correio.da.guarda@gmail.com



Google +


Referenciar citações

Protected by Copyscape Website Copyright Protection