Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Guarda em agenda

por Correio da Guarda, em 31.08.13

 

 

http://issuu.com/agendaguarda/docs/agenda-guarda_setembro_2013

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:01

Região do Douro promovida nos EUA

por Correio da Guarda, em 30.08.13

 

     Despertar o interesse dos principais mercados emissores de turistas, nos EUA, é o objectivo de uma comitiva do Douro que vai estar nos Estados Unidos da América do Norte, entre 4 e 10 de Setembro.

 

     Durante esta missão técnica, denominada “O Douro no Mundo”, haverá encontros com mais de 50 operadores turísticos interessados no binómio Gastronomia e Vinhos, nos Patrimónios da Humanidade, na História, no Judaísmo, nas Aldeias Históricas e nas Aldeias Vinhateiras.

 

     O “Douro e Estrela – In Tourism”, entidade dinamizadora desta iniciativa, aproveitará essas reuniões para apresentar e comercializar propostas de circuitos turísticos e encontrar parceiros interessados em comercializar produtos da fileira agro-alimentar (como vinhos, azeites ou enchidos), apurou o Correio da Guarda.

 

     Co-promovido pela Associação dos Empresários Turísticos do Douro e Trás-os-Montes (AETUR) e pela Associação Empresarial da Região da Guarda (NERGA), o “Douro e Estrela – In Tourism” convidou 25 prescritores, oriundos de 11 países, para visitar o território duriense em Junho.

 

     "Agora, cruza o Atlântico para afirmar o Douro como um destino turístico apetecível para os mercados externos", foi referido a propósito desta acção.

 

     “O Douro no Mundo” inclui uma viagem às cidades de Washington, Nova Iorque e Newark [Nova Jérsia] para consolidar a imagem do Douro através dos seus produtos turísticos prioritários (touring cultural, turismo de natureza, gastronomia e vinhos).

 

     Numa lógica de cooperação e de promoção alargada, o Museu do Douro junta-se a esta iniciativa do “Douro e Estrela – In Tourism”, apresentando a exposição itinerante “Douro Património Mundial”, que reúne duas dezenas de fotografias que consagram a beleza paisagística.

 

     “O Douro no Mundo” conta ainda com o apoio da Estrutura de Missão do Douro, da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte (CCDRN), da Embaixada de Portugal em Washington, do Consulado Geral de Portugal em Newark, AICEP, Turismo de Portugal, Agências de Promoção Externa (Norte e Centro), TAP, Comunidade Portuguesa em Newark e, ainda, de operadores turísticos, opinion-makers, agentes e distribuidores norte-americanos.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:02

Café a meias no TMG

por Correio da Guarda, em 29.08.13

 

     A próxima tertúlia “Café a meias”, promovida pelo Teatro Municipal da Guarda (TMG), terá lugar no dia 13 de Setembro, pelas 22h.

     Esta iniciativa, que pretende proporcionar uma partilha de livros, discos, filmes e outros prazeres, terá como convidados Carlos Baía e Rui Correia.

    Ambos vão partilhar com o público do Café Concerto do TMG as suas escolhas.

    A entrada é livre.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 02:02

Sortelha: Muralhas com História

por Correio da Guarda, em 28.08.13

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:28

Correio da Guarda

por Correio da Guarda, em 27.08.13

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:20

Almeida evoca terceira invasão francesa

por Correio da Guarda, em 26.08.13

 

     “Território, Raia e Fronteira – Sistema de Fortificação” é o tema do seminário internacional que será realizado em Almeida nos próximos dias 30 e 31 de Agosto.

     Esta iniciativa decorrerá em simultâneo com as comemorações do cerco daquela vila, ocorrido na terceira invasão francesa; as actividades terão início na sexta-feira e prolongam-se até domingo, 1 de Setembro.

    A história de Almeida cruza-se com as célebres, quanto dramáticas, invasões francesas. Destas, a terceira incursão conduzida por André Massena foi a que deixou marcas mais profundas na denominada “Estrela de Pedra”.

    Após a conquista de Ciudad Rodrigo (Espanha), em Junho de 1810, pelas tropas francesas o objectivo do exército invasor era o domínio da praça portuguesa, que teria cerca de 2000 habitantes e estava guarnecida com 5 000 soldados e 115 peças de artilharia.

    Com a aproximação das forças francesas, o comando do exército anglo-luso apelou aos habitantes para abandonarem as suas casas e levarem os seus haveres.

    Nos primeiros dias de Agosto de 1810 o Marechal Massena mandou avançar o Oitavo Corpo do exército francês, sob o comando de Junot, dando início ao cerco de Almeida, a 10 de Agosto, cuja guarnição militar era chefiada pelo coronel inglês Guilherme Cox, sendo Tenente-Rei o almeidense Francisco Bernardo da Costa.

    O cerco decorria há 17 dias quando, ao cair da noite, uma granada francesa provocou uma explosão em cadeia que destruiu o paiol principal, onde estavam armazenadas 75 toneladas de pólvora; centenas de mortos e enormes danos no interior da fortaleza foi o balanço imediato da tragédia. Na manhã seguinte, 27 de Agosto de 1810, Massena exigiu do comandante inglês a rendição imediata da praça, o que acabou por suceder nessa noite.

   O programa desta recriação histórica integra a realização de um mercado oitocentista (que abrirá ao público a partir das 19 horas de sexta-feira), uma mostra e desfile dos trajos oitocentistas, um acampamento histórico e oficinas pedagógicas, a exposição “Mostra do Espólio das escavações do Castelo de Almeida”, a batalha do assalto a fortaleza (dia 31 de Agosto, a partir das 22 horas) e a recriação de novo episódio bélico ma manhã de domingo, pelas 10 horas (partida do Baluarte de S. Pedro em combate contínuo até ao Baluarte de Santo António), entre outras actividades distribuídas pelos três dias (H.S.).

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:06

Gárgula da Sé Catedral da Guarda (3)

por Correio da Guarda, em 25.08.13

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:27

Vandalismo...

por Correio da Guarda, em 24.08.13

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:42

Bombeiros e Comunidade

por Correio da Guarda, em 23.08.13

 

     A cíclica catástrofe dos incêndios, nos períodos de estio, ou tradicionalmente mais quentes, tem provocado mortes, inúmeros prejuízos, depauperado o património florestal desta região e do país.

     Ao longo dos anos desapareceram importantes e ricas parcelas de manchas verdes e outrossim de espécies autóctones, sem que tenha havido, pelo menos de forma eficaz, sustentada e gradual, a substituição das árvores desaparecidas; permanece, assim, numa grande extensão do território do distrito da Guarda o desolador panorama de áreas enegrecidas e agrestes, erguendo os gestos trágicos de uma floresta extinta.

    As outrora anunciadas, e rapidamente esquecidas, medidas de reflorestação mostraram, na prática, a inconsistente persistência das intenções oficiais, relegando sempre para os períodos da tragédia a retórica circunstancial das boas e pragmáticas medidas, palavras mortas logo após se apagarem as luzes da ribalta.

    E não é difícil fazer o confronto entre o património florestal de ontem e a realidade de hoje, pois as evidências estão ao alcance dos nossos olhares, por mais restritos que sejam alguns horizontes e desfocadas as memórias de alguns…

    É trágica a falta de intervenção, real e sistemática, neste sector, como se a floresta e o ambiente não fossem duas importantes e insubstituíveis riquezas do nosso país.

    Como o são as vidas daqueles que – como aconteceu nas últimas semanas – envergando as fardas dos soldados da paz se empenham numa luta difícil em prol da comunidade.

    E por essas vidas, pelas vidas dos nossos Bombeiros, urge redobrar os cuidados individuais e colectivos, desencadeando uma tolerância zero contra a indiferença e o comodismo, actuando activa e eficazmente na defesa do nosso património florestal; assumindo medidas preventivas, respeitando a legislação, demonstrando civismo e respeito pelos outros.

     E aqui poderíamos aludir à importância da mudança de comportamentos e atitudes. Um breve exemplo: já repararam na incrível quantidade de lixo, garrafas, plásticos, papéis que diariamente se vão despejando nas bermas das nossas estradas (e mesmo em zonas de floresta), com vegetação seca logo ali ao lado?

    A prevenção passa também por se evitarem estes comportamentos que demonstram falta de educação, civismo, desrespeito pelo ambiente e por quem, em caso de incêndios, é chamado para o combate (do qual, como ainda ontem de verificou com uma jovem bombeira, nem se sempre se regressa…).

 

 

    O apoio aos bombeiros não deve ser apenas manifestado nas datas festivas, de aniversário ou da entrega de mais uma viatura; antes deve ter uma demonstração prática no dia-a-dia, para que não se perca o espírito do voluntariado e da solidariedade.

    A prevenção tem de começar, desde logo, na percepção clara dos riscos, do perigo, numa perfeita consciencialização sobre a importância da floresta e da qualidade ambiental.

    Há, assim, uma grande responsabilidade por parte dos cidadãos, para além das questões que são do foro das estruturas, serviços, técnicos, especialistas e elementos ligados à segurança, investigação, justiça, bombeiros e protecção civil. Há que demonstrar, com atitudes e objectividade, a gratidão para com os nossos bombeiros!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:27

Semáforos "apoiam" ponte pedonal...

por Correio da Guarda, em 22.08.13

 

 

     A ponte pedonal junto ao Polis é já uma marca daquela zona da cidade da Guarda.

     Por motivos diversos, durante alguns anos foi objecto de muitas referências e destaques informativos; contudo a importância de uma estrutura, desta natureza, para facilitar a circulação pedonal na travessia de uma artéria com intenso tráfego automóvel nunca esteve em causa, como é óbvio.

     Estranhamente, permanecem em funcionamento os semáforos que existiam antes da sua construção e entrada em funcionamento, provocando, por vezes, o congestionamento do trânsito automóvel que se dirige e provém do acesso à A25.

    A existência dos referidos semáforos, e igualmente as marcas da passadeira, por certo continuam a incentivar a passagem de muitos transeuntes, que estariam mais seguros caso utilizassem a ponte pedonal; para isso foi construída…

    Será necessário nomear algum Grupo de Trabalho para estudar como se removem os semáforos e, pedagogicamente, se incentivarem as pessoas a utilizar – como devem – a ponte pedonal?...

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:18

Pág. 1/4



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.




Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D

Contacto:

correiodaguarda@sapo.pt correio.da.guarda@gmail.com



Google +


Referenciar citações

Protected by Copyscape Website Copyright Protection




Error running style: Style code didn't finish running in a timely fashion. Possible causes: