NOTÍCIAS DA GUARDA e REGIÃO | APONTAMENTOS | REGISTOS DIVERSOS

Terça-feira, 27 de Novembro de 2012
Feriado municipal da Guarda

 

     A atribuição, por D. Sancho I, da carta de foral à Guarda, em 1199, é a efeméride assinalada no feriado municipal.

     Tradicionalmente, e após o abandono da data de 3 de Maio, o feriado municipal da Guarda era comemorado a 26 de Novembro, evocando assim a data de entrega do foral sanchino. A divergência sobre a data de atribuição da carta de foral foi expressa, pela primeira vez, num artigo (de Manuel Luis dos Santos) publicado, em 1985, no jornal "Notícias da Guarda".

     A partir dessa altura alargou-se o interesse pelo estudo da questão e não faltaram argumentos sobre a prevalência de 26 de Novembro; por outro lado, a favor do dia 27 deste mesmo mês os argumentos manifestaram igualmente a sua solidez.

     De facto, o documento medieval da outorga da carta de foral refere que "foi feita esta carta em Coimbra no dia Quinto antes das Calendas de Dezembro de 1237, no ano do nosso reinado." Assim, e como foi sustentado pelos investigadores que defenderam a nova data, o dia V antes das Calendas de Dezembro é o dia 27 de Novembro de 1237, o que convertido à data cristã (menos 38 anos) cai sobre o ano de 1199. A data de 27 de Novembro acabou, assim, por ser institucionalizada, há alguns anos atrás, como feriado municipal.

     Se é verdade que a outorga da carta de foral constitui um marco de referência na história desta terra, a sua origem (luso-romana, visigótica ou medieval) é uma questão à qual não foi dada ainda resposta definitiva e segura; sabe-se, isso sim, que lusitanos, romanos e visigodos deixaram por aqui traços indeléveis da sua passagem, testemunhos diversificados, igualmente espalhados pelo distrito.

    O ano de 1199 marca um período novo e mais conhecido da história guardense. Através da carta de foral os habitantes recebiam diversos privilégios e o incentivo ao povoamento desta zona, desejado pelo monarca português.

     À carta de foral da Guarda, bem como a outro importante documento conhecido por "Costumes da Guarda”, dedicou Alexandre Herculano a sua atenção, sendo realçado o contributo para o conhecimento do período medieval português.

     A história da Guarda encerra muitas e diversificadas páginas, onde emergem a sua importância militar, a sua projecção religiosa, o passar dos séculos e de vultos que sobressaíram na vida eclesiástica, política, literária ou científica.

 

     Helder Sequeira

 

 



publicado por Helder Sequeira às 23:58
link do post | comentar | favorito
|

Sábado, 18 de Setembro de 2010
500 anos foral de Longroiva

     O quinto centenário da atribuição do foral manuelino de Longroiva (concelho da Meda) vai ser assinalado amanhã naquela localidade.

     O programa comemorativo inicia-se pelas 11 horas, com uma missa na Igreja Matriz, onde estarão presentes elementos da Ordem dos Templários; seguir-se-á uma visita pelo centro histórico de Longroiva.

 

    

      No período da tarde, a partir das 14 horas, terá lugar na Casa Municipal da Cultura da Meda o lançamento da publicação fac-similada do foral atribuído por D. Manuel I, em 1 de Junho de 1510. Este acto antecede, no mesmo espaço, de um colóquio que terá como tema "Longroiva: 1510-2010" e o Prof. Adriano Vasco Rodrigues como o principal orador.

     Pelas 17 horas, em Longroiva, iniciar-se-á a recriação histórica da atribuição do foral, efeméride que os CTT vão também evidenciar através da edição de um selo comemorativo.

     Até ao final do ano via estar patente, no Arquivo Municipal da Meda, exposição documental sobre a carta de foral atribuída pelo Rei D. Manuel I.

     Aquela povoação do concelho da Meda tem origens remotas, havendo indícios que o local registou já povoamento nos períodos do Paleolítico e Neolítico.

 



publicado por Helder Sequeira às 01:45
link do post | comentar | favorito
|

Quarta-feira, 8 de Setembro de 2010
Forais de Pinhel

 

     A obra Os Forais de Pinhel foi recentemente apresentada naquela cidade, com edição da Câmara Municipal.

     No livro são reproduzidas duas das três cartas de foral atribuídas a Pinhel: o foral de 1209, outorgado por D. Sancho I (mais tarde confirmado por D. Afonso II e depois por D. Dinis), e o Foral de 1510, mandado lavrar por D. Manuel I e confirmado em 1684 por D. Pedro II.

     A edição deste trabalho contou com a colaboração de Paula Pinto Costa, docente na Faculdade de Letras da Universidade do Porto.

     Para o Presidente da Câmara Municipal de Pinhel, António Ruas, trata-se de um livro «com um significado muito especial para Pinhel e para os pinhelenses». O autarca evidenciou o trabalho daquela docente universitária, através do qual se viabilizou um maior conhecimento „sobre Pinhel e os seus costumes».

     Paula Costa referiu, no decorrer da apresentação, que os forais «são património de todos e, como tal, temos a obrigação de os conservar e de os dar a conhecer».

     Aquela investigadora diria depois que «os forais de Pinhel reflectem, sem dúvida, a história desta região da Beira, mas também são elementos que ajudam a explicar fenómenos à escala nacional. Neste sentido, estudá-los equivale a reflectir sobre a história de Portugal, em geral, e sobre a de Pinhel, em particular».

 



publicado por Helder Sequeira às 23:16
link do post | comentar | favorito
|

Sexta-feira, 22 de Janeiro de 2010
Foral manuelino evocado em Manteigas

 

“Reinventando a nossa História” é o tema do concurso que o Arquivo Municipal de Manteigas vai promover no âmbito das comemorações do feriado concelhio, a 4 de Março.
Este concurso é destinado aos alunos das escolas do concelho e tem como base o Foral Manuelino que foi concedido à vila de Manteigas em 1514.
Usando a imaginação, e após a leitura daquele documento, os concorrentes podem apresentar quer uma ilustração, quer um conto ou um poema que referencie o foral.
 


publicado por Helder Sequeira às 21:09
link do post | comentar | favorito
|

Quinta-feira, 27 de Novembro de 2008
809º aniversário da Guarda

 

Na Guarda é hoje assinalado o 809º aniversário da atribuição, por D. Sancho I, da carta de foral a esta cidade.
Tradicionalmente, e após o abandono da data de 3 de Maio, o feriado municipal da Guarda era comemorado a 26 de Novembro, evocando assim o nascimento oficial da cidade.
A divergência sobre a data de atribuição da carta de foral foi expressa, pela primeira vez, num artigo publicado, em 1985, no jornal "Notícias da Guarda".
A partir dessa altura alargou-se o interesse pelo estudo da questão e não faltaram argumentos sobre a prevalência de 26 de Novembro, por outro lado, a favor do dia 27 deste mesmo mês.
Contudo, o documento medieval da outorga da carta de foral refere que "foi feita esta carta em Coimbra no dia Quinto antes das Calendas de Dezembro de 1237, no ano do nosso reinado."
Assim, e como foi sustentado pelos investigadores que defenderam a nova data, o dia V antes das Calendas de Dezembro é o dia 27 de Novembro de 1237, o que convertido à data cristã (menos 38 anos) cai sobre o ano de 1199.
Há oito anos foi, finalmente, institucionalizada a data de 27 de Novembro como feriado municipal.
Se é verdade que a outorga da carta de foral, por D. Sancho I, constitui a certidão de nascimento desta terra, a sua origem (luso-romana, visigótica ou medieval) é uma questão a que não foi dada ainda resposta definitiva e segura.
Sabemos, isso sim, que lusitanos, romanos e visigodos deixaram por aqui traços indeléveis da sua passagem, testemunhos diversificados, espalhados igualmente pelo Distrito.
Mas o ano de 1199 marca, de facto, um período novo e mais conhecido da história guardense; através da carta de foral os habitantes recebiam diversos privilégios e o incentivo ao povoamento desta zona, bem desejado pelo monarca português.
À carta de foral da Guarda, bem como a outro importante documento conhecido por "Costumes da Guarda" dedicou Alexandre Herculano a sua atenção, sendo realçado o seu contributo para o conhecimento do período medieval português.
A história da Guarda encerra muitas e diversificadas páginas, onde emergem a sua importância militar, a sua projecção religiosa, o passar dos séculos e de vultos que sobressaíram na vida religiosa, política ou literária. (H.S.)
 
 


publicado por Helder Sequeira às 00:04
link do post | comentar | favorito
|

Domingo, 23 de Novembro de 2008
Última emissão de "Guarda: Rádio Memória"

 

No Teatro Municipal da Guarda (TMG) poderá assistir hoje, a partir das 16 horas, à última sessão do espectáculo "Guarda: rádio memória", integrado no programa comemorativo do 809º aniversário da atribuição de foral a esta cidade.
Trata-se de um espectáculo comunitário e de celebração que conta com a participação de mais de três centenas de actores, bailarinos, músicos e colectividades da Guarda, e que tem o imaginário colectivo da cidade como pano de fundo.
O espectáculo tem por fio condutor uma emissão em directo desde o "estúdio" da Rádio Altitude, que comemora também este ano os seus 60 anos (a inauguração oficial da Rádio ocorreu em 29 de Julho de 1948). 

 



publicado por Helder Sequeira às 00:47
link do post | comentar | favorito
|

Sexta-feira, 21 de Novembro de 2008
Rádio, Guarda, Memória: emissão especial

 

No Teatro Municipal da Guarda (TMG) terá hoje lugar a estreia do espectáculo "Guarda: rádio memória", integrado no programa comemorativo do 809º aniversário da atribuição de foral a esta cidade.
Trata-se de um espectáculo comunitário e de celebração que conta com a participação de mais de três centenas de actores, bailarinos, músicos e colectividades da Guarda, e que tem o imaginário colectivo da cidade como pano de fundo.
O espectáculo, como adianta uma nota informativa do TMG, tem por fio condutor uma emissão em directo desde o "estúdio" da Rádio Altitude, que comemora também este ano os seus 60 anos (a inauguração oficial da Rádio ocorreu em 29 de Julho de 1948).
Através desta emissão especial imaginária, o espectador é transportado para acontecimentos marcantes, divertidos ou trágicos da história da cidade: uns reais e outros inventados.
«Neste espectáculo “entram” Lusitanos e Romanos, quando a Guarda era só… o Tintinolho. Através desta peça se há-de entender também quem foi Álvaro Gil Cabral e o que fez para que continuássemos portugueses. Sabe-se também o que é que Sousa Martins tem a ver com a nossa terra. José Neto, um pastor escrevinhador é para nós tão importante como qualquer herói com estátua e tudo. A fábrica Renault (fundada em Junho de 1964) não pertence já e por direito próprio ao nosso património? E Abril, o dos sonhos mil, não tem que ser recordado, para que acreditemos que a democracia se há-de cumprir… todos os dias? Para esta peça convidámos também o presidente Alberto Dinis da Fonseca e… D. Quixote, que abandonou o idealismo para se dedicar ao negócio pragmático…dos ventos, ou seja, da energia eólica. O sonhador é, agora, Sancho Pança, aliás, Alberto, o visionário. Que voltas a vida não dá, não é? Fiquem também a saber que há uma mulher chamada Guarda Maria que recorre aos conselhos de orientação sexual, por ser, entre outras coisas, fria na cama. Humor, claro. Humor que marca todo o espectáculo, e pretende ser crítico», descreve o coordenador geral do espectáculo, Américo Rodrigues.
De referir que “Guarda: rádio memória” é uma co-produção do Teatro Municipal da Guarda e do Trigo Limpo Teatro ACERT para a Câmara Municipal da Guarda a propósito do 809º aniversário da cidade.
O espectáculo tem a coordenação geral de Américo Rodrigues que assina também a dramaturgia juntamente com José Rui Martins, a partir de textos seus, de António Godinho, Helder Sequeira, Honorato Esteves, José Rui Martins, Norberto Gonçalves, Osório de Andrade e Rui Isidro.
A encenação é de José Rui Martins, a direcção musical é de César Prata e a cenografia é da autoria de Marta Fernandes da Silva e Pedro Santos (Teatro e Marionetas de Mandrágora.
Este espectáculo vai subir ao palco do grande auditório do TMG hoje, pelas 21h30, amanhã (à mesma hora) e no domingo, dia 23 de Novembro, pelas 16 horas.
Um espectáculo a não perder.


publicado por Helder Sequeira às 09:10
link do post | comentar | favorito
|

Segunda-feira, 10 de Novembro de 2008
Data do foral...

 

 
Recuada no espaço da Praça Velha, a estátua de D. Sancho I merece ainda a curiosidade dos forasteiros e, obviamente, dos residentes na cidade (alguns, pelo menos); quer uns, quer outros, ficam agora na dúvida relativamente à data da atribuição do foral à Guarda.
A falta de um número levantou já a questão se não teria havido mudança de data…talvez para se aproximar a efeméride de  um dia mais próximo das festinhas das Bruxas ou das abóboras…quem sabe!?...
Vamos lá, será que ninguém com responsabilidade deu conta que falta ali um “sete”?...

 



publicado por Helder Sequeira às 01:10
link do post | comentar | favorito
|

mais sobre mim
pesquisar
 
Outubro 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9


25

26
27
28
29
30
31


Hora local
relojes web gratis
posts recentes

Feriado municipal da Guar...

500 anos foral de Longroi...

Forais de Pinhel

Foral manuelino evocado e...

809º aniversário da Guard...

Última emissão de "Guarda...

Rádio, Guarda, Memória: e...

Data do foral...

arquivos

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

links
tags

todas as tags

Visitantes
free html visitor counters
hit counter
Referenciar citações
Protected by Copyscape Website Copyright Protection
Google +
Bem- Vindo
blogs SAPO
subscrever feeds