NOTÍCIAS DA GUARDA e REGIÃO | APONTAMENTOS | REGISTOS DIVERSOS

Sexta-feira, 27 de Novembro de 2015
Rotunda do Anjo da Guarda

Rotunda do Anjo - Guarda - HS.jpg

 



publicado por Helder Sequeira às 22:02
link do post | comentar | favorito
|

Terça-feira, 24 de Novembro de 2015
Sara Tavares no TMG

 

SARA_TAVARES.jpg

      Sara Tavares vai atuar no Teatro Municipal da Guarda, no próximo dia 27 de Novembro, no âmbito do programa comemorativo do feriado municipal da Guarda que assinala o 816º aniversário da atribuição do foral à Guarda, por D. Sancho I.

     O espetáculo tem lugar no Grande Auditório, a partir 21h30. «O que poderemos esperar deste espetáculo? Muita intimidade, muitas emoções e muita partilha do palco para o público e do público para o palco. Todos os espetáculos são diferentes… e todos os espetáculos são iguais na sensação que trazemos para casa depois de assistir; como já ouvimos dizer "é como sair de alma e barriga cheias"», garante a produção do espetáculo.

    Sara Tavares assume-se definitivamente como uma das cantoras e compositoras que mais importa ouvir na Lisboa mulata do século XXI. A artista foi nomeada para os prestigiados prémios "World Music" da BBC Radio 3 e tem somado distinções desde o início da carreira.

    É das poucas artistas portuguesas que não cantam fado a conquistar os palcos internacionais. A música de Sara Tavares faz uma síntese de várias coordenadas geográficas, fruto de um processo e de uma vivência que a artista foi aprofundando ao longo da sua carreira de 20 anos e dos seus quatro discos a solo: Mi Ma Bô (1999), Balancê (2005), Alive in Lisboa (2008) e Xinti (2009).

    Fonte: CMG

 



publicado por Helder Sequeira às 20:20
link do post | comentar | favorito
|

Quarta-feira, 29 de Julho de 2015
Rádio Altitude: 67º aniversário

 

     “Altitude não significa apenas uma certa posição física – situação de um ponto acima do nível do mar; traduz também uma posição moral – elevação da alma acima do comum, acima do charco lodoso ou da planíce raza, onde pululam a grosseria e a mediocridade”. Estas palavras de Ladislau Patrício foram escritas, em 1938, a propósito do seu livro “Altitude – O espírito na Medicina”.

    Na década seguinte Altitude seria o nome dado a esta rádio; emissora cuja atividade do surgiu, como é do domínio público, no seio do Sanatório Sousa Martins, cerca de 1946. Nessa altura, as rudimentares emissões circunscreviam-se ao pavilhão onde estava concentrado o grupo de doentes pioneiros deste projeto; apenas com a construção de novo emissor foi ganhando dimensão a aventura radiofónica.

    Sabe-se que, no ano seguinte, Ladislau Patrício diretor do Sanatório, assinou, a 21 de Outubro, o primeiro regulamento desta emissora, onde estavam definidas orientações muito objetivas sobre o seu funcionamento.

    Em finais de 1947 as suas emissões já eram escutadas na malha urbana da Guarda, que seguiu, com particular entusiasmo, o início oficial das emissões regulares, assinalado a 29 de Julho de 1948.

     Comemora-se pois, neste ano, o sexagésimo sétimo aniversário da rádio a quem, um ano depois foi atribuído o indicativo CSB 21; identidade difundida por várias décadas, a partir do alto da serra, “eterna como o sol que alumia o mundo”; para citar Nuno de Montemor; este escritor, diga-se, fez parte do grupo inicial de ouvintes da rádio. Sobre a rádio deixou, aliás, as suas impressões nas páginas de outro pilar informativo do Sanatório: o jornal Bola de Neve.

Rádio Altitude - símbolo da primeiras décadas -

     A propriedade do primeiro emissor pertenceu, inicialmente, à Caixa Recreativa do Internados no Sanatório Sousa Martins e, mais tarde, com a sua extinção, ao Centro Educacional e Recuperador da unidade hospitalar vocacionada para o tratamento da tuberculose. Com a criação do Centro Educacional e Recuperador dos Internados no Sanatório Sousa Martins (CERISSM) pretendeu-se auxiliar os doentes, especialmente no que dizia respeito “à sua promoção social e ocupação dos tempos livres”.

     Aliás, foi no seio dos sanatórios que surgiram interessantes projetos radiofónicos – como seja a Rádio Pólo Norte, no Sanatório do Caramulo, e a Rádio Pinóquio, no Sanatório das Penhas da Saúde, Covilhã, para referirmos os mais próximos.

    O CERISSM foi uma autêntica instituição de solidariedade; para além de viabilizar a afirmação e implantação da Rádio Altitude desenvolveu uma vasta obra assistencial, sob o impulso do médico Martins de Queirós, o quarto e último diretor do Sanatório da Guarda.

    Em 1961, mediante autorização oficial, o RA passou a ter como suporte económico-financeiro as receitas publicitárias que em muito contribuiriam para o auxílio dos doentes mais carenciados. As emissões evoluíram, ao longo das primeiras décadas em função das disponibilidades técnicas, dos recursos humanos e financeiros mas encontrando sempre no, crescente auditório, uma grande simpatia e um apoio incondicional.

    Até 1980 o Rádio Altitude emitiu na frequência de 1495 Khz, em onda média (abrangendo não só o distrito da Guarda mas igualmente os distritos de Viseu e Castelo Branco e algumas das suas áreas limítrofes), altura em que a sua sintonia passou a ser feita no quadrante dos 1584 khz. Após 1986, e com a liberalização do espectro radioelétrico passou também a desenvolver as suas emissões em frequência modulada, em 107.7 Mhz, a qual foi alterada, em 1991, para os 90.9 Mhz.

    Em 1998,e depois de ter sido determinada a extinção do Centro Educacional e Recuperador dos Internados no Sanatório Sousa Martins, foi decidida a realização de uma consulta pública, com vista à “transmissão da universalidade designada Rádio Altitude”, considerada a “única estrutura em funcionamento do ex-CERISSM”.

    A estação emissora entrou assim, com a sua aquisição por parte da Radialtitude–Sociedade de Comunicação da Guarda, num capítulo novo da sua existência, mantendo a ligação física ao antigo espaço sanatorial.

RA de HS.jpg    O Rádio Altitude – que assinala hoje o seu 67º aniversário – possui um historial ímpar que importa reter, e divulgar, contribuindo, assim, para aumentar a cadeia de afetos, originada em finais da década de quarenta do passado século.

    O passado e o património do Rádio Altitude fazem parte das múltiplas memórias da Guarda, assumindo-se como elos indissociáveis da história da Cidade da Saúde. Valorizar o presente, refletir sobre a importância social desta emissora, será um bom incentivo para quantos ali trabalham e dão continuidade a uma matriz radiofónica, de inquestionável originalidade e longevidade.

estúdio ra.jpg

   Parabéns e votos de boa Rádio!

 



publicado por Helder Sequeira às 00:30
link do post | comentar | favorito
|

Segunda-feira, 18 de Maio de 2015
Um Sanatório abandonado...

Sanatório Guarda.jpg

     Hoje ocorre a passagem do 108º aniversário da inauguração do Sanatório Sousa Martins, na Guarda, durante décadas conhecida como “Cidade da Saúde”.

    Esta designação em muito se ficou a dever ao Sanatório que a marcou, indelevelmente, ao longo de décadas, no século passado.

   A Guarda foi uma das cidades mais procuradas de Portugal; a afluência de milhares de pessoas à cidade deixou inúmeros reflexos na sua vida económica, social e cultural. A sua apologia como localidade “eficaz no tratamento da doença” foi feita por distintas figuras da época, pois era “a montanha mágica” junto à Serra.

    Muitas pessoas (provenientes de todo o país e mesmo do estrangeiro) subiam à cidade mais alta de Portugal com o objetivo de usufruírem do clima de montanha, praticando, assim, uma cura livre, não sendo seguidas ou apoiadas em cuidados médicos.

    As deslocações para zonas propícias à terapêutica “de ares”, e a consequente permanência, contribuíram para o aparecimento de hotéis e pensões, dado não haver, de início, as indispensáveis e adequadas unidades de tratamento; situação que desencadeou fortes preocupações nas entidades oficiais da época.

    Em 1881 a Sociedade de Geografia de Lisboa promoveu uma Expedição Científica à Serra da Estrela, sendo integrada, entre outros, pelo médico Sousa Martins Dessa expedição resultou a elaboração de relatórios das várias secções científicas.

Sousa MARTINS - foto Hs.JPG

      A iniciativa teve, igualmente, o mérito, e através dos esforços de Sousa Martins, de chamar a atenção dos meios científicos e clínicos de então para as condições que esta região oferecia para o tratamento da tuberculose.

     Quatro anos depois realizou-se o primeiro Congresso Português sobre Tuberculose onde Lopo de Carvalho (que viria a ser o primeiro Director do Sanatório Sousa Martins, e pai de outro conceituado clínico) discursou sobre os processos profiláticos usados na Guarda.

     Este médico foi um dos mais fervorosos defensores da criação do Sanatório que seria inaugurado a 18 de Maio de 1907, com a presença do rei D. Carlos e da Rainha D. Amélia. A autoria do projeto dos edifícios pertence a Raul Lino.

Pavilhão D.jpg

      O fluxo de tuberculosos superou, largamente, as previsões, fazendo com que os pavilhões do Sanatório Sousa Martins se tornassem insuficientes perante a procura; o Pavilhão 1 (designado também de Lopo de Carvalho, e onde funciona atualmente a sede e administração da ULS da Guarda) teve de ser aumentado um ano depois, duplicando a sua capacidade.

     Um novo pavilhão, que se juntou aos três já existentes, foi inaugurado em 31 de Maio de 1953; com este novo edifício – onde funcionam a Medicina Interna, Obstetrícia, Cardiologia e Pediatria – o Sanatório Sousa Martins ganhou maior dimensão, assumindo-se, ainda mais, como uma “povoação” auto-suficiente, dentro da própria cidade. Este edifício – do qual foram já transferidos a maioria dos serviços, para o novo bloco hospitalar – assinala, no corrente ano, o seu 62º aniversário,

     Após o 25 de Abril de 1974, o Sanatório Sousa Martins entrou na fase final da sua existência. Em Novembro do ano seguinte aquele Sanatório foi integrado no Hospital Distrital da Guarda; após 68 anos de existência, esta instituição de saúde conclui a sua eminente função social.

    Recorde-se que o antigo Sanatório Sousa Martins, na Guarda, foi classificado como conjunto de interesse público, através de portaria da portaria 39/2014, do Secretário de Estado da Cultura; nela é referido que a classificação do antigo Sanatório reflete os critérios relativos ao “carácter matricial do bem, ao génio do respetivo criador, ao seu interesse como testemunho notável de vivências ou factos históricos, ao seu valor estético, técnico e material intrínseco, à sua conceção arquitetónica, urbanística e paisagística, à sua extensão e ao que nela se reflete do ponto de vista de memória coletiva, e às circunstâncias suscetíveis de acarretarem diminuição ou perda da perenidade ou da integridade do bem”.

ZONA Sanatório.jpg

     Certo é que os antigos e emblemáticos pavilhões do Sanatório Sousa Martins são hoje elucidativa expressão de abandono e degradação.

Pavilhão D. António de Lencastre - foto Helder S

 

Pavilhão A Lencastre - Sanatório-7-2014 (20).JPG

 

Pavilhão A Lencastre - Sanatório-7-2014 (8).JPG

 

Pavilhão A Lencastre - Sanatório-7-2014 (31).JPG

 

     Esperemos que estas breves notas suscitem, nos responsáveis e decisores, um atenta reflexão, que reforce a necessária determinação em salvaguardar a memória e um património ímpar da cidade mais alta de Portugal. É lamentável este estado de abandono a que foi votada a estrutura física de uma das mais proeminentes instituições da Guarda do século XX. (Helder Sequeira)

 



publicado por Helder Sequeira às 00:01
link do post | comentar | favorito
|

Quinta-feira, 9 de Abril de 2015
Escola Superior de Saúde da Guarda: 50º aniversário

 

     A Escola Superior de Saúde do Instituto Politécnico da Guarda vai promover alguns eventos que pretendem assinalar o seu 50º aniversário.

     O programa iniciou-se na passada terça-feira, data em que se dinamizou a atividade do Dia Mundial da Saúde. Ao longo do ano estão previstas várias iniciativas como uma sessão comemorativa dos cinquenta anos da Escola Superior de Saúde, agendada para 16 de Julho, e a apresentação do livro “ESS: 50 anos de História”.

     Uma visita encenada ao parque da Escola Superior de Saúde e as Jornadas de Educação e Investigação em Saúde, sob o mote”50 anos de formação em Enfermagem, 10 anos de formação em Farmácia” são outras atividades calendarizadas.

Escola Superior de Saúde da Guarda - IPG.jpg

      Recorde-se que a Escola Superior de Saúde da Guarda foi criada, como Escola de Enfermagem, em Julho de 1965. Inicialmente, ministrou o Curso de Auxiliares de Enfermagem e anos depois o Curso de Enfermagem Geral.

     Em 1988 o ensino de enfermagem foi integrado no ensino superior politécnico, tendo sido reconvertida em Escola Superior de Enfermagem em Setembro de 1989.

     A Escola iniciou no ano seguinte o Curso Superior de Enfermagem, que conferia o grau de Bacharel. Pela Portaria n.º 311/96, de 27 de Julho foi criado o Curso de Estudos Superiores Especializados em Enfermagem de Saúde Infantil e Pediátrica. Em Outubro de 1999, iniciou o Curso de Licenciatura em Enfermagem e em Março de 2000 passou a lecionar o Curso de Complemento de Formação em Enfermagem.

     Foi integrada no Instituto Politécnico da Guarda um ano depois; pela Portaria n.º 220/2005, de 24 de Fevereiro foi criado o Curso de Pós-Licenciatura de Especialização em Enfermagem Médico-Cirúrgica.

     Em Março de 2005 a Escola Superior de Enfermagem da Guarda foi convertida em Escola Superior de Saúde da Guarda.

 



publicado por Helder Sequeira às 22:50
link do post | comentar | favorito
|

Quinta-feira, 27 de Novembro de 2014
815º aniversário da Guarda

D. Sancho I -  Foto Helder Sequeira.jpg

      A atribuição, por D. Sancho I, da carta de foral à Guarda, em 1199, é a efeméride assinalada hoje, dia do feriado municipal.

     Tradicionalmente, e após o abandono da data de 3 de Maio, o feriado municipal da Guarda era comemorado a 26 de Novembro, evocando assim o nascimento, oficial, da cidade. A divergência sobre a data de atribuição da carta de foral foi expressa, pela primeira vez, num artigo publicado, em 1985, no jornal "Notícias da Guarda".

     A partir dessa altura alargou-se o interesse pelo estudo da questão e não faltaram argumentos sobre a prevalência de 26 de Novembro; por outro lado, a favor do dia 27 deste mesmo mês os argumentos manifestaram igualmente a sua solidez.

     De facto, o documento medieval da outorga da carta de foral refere que "foi feita esta carta em Coimbra no dia Quinto antes das Calendas de Dezembro de 1237, no ano do nosso reinado." Assim, e como foi sustentado pelos investigadores que defenderam a nova data, o dia V antes das Calendas de Dezembro é o dia 27 de Novembro de 1237, o que convertido à data cristã (menos 38 anos) cai sobre o ano de 1199. A data de 27 de Novembro acabou, assim, por ser institucionalizada, há alguns anos atrás, como feriado municipal.

     Se é verdade que a outorga da carta de foral constitui um marco de referência na história desta terra, a sua origem (luso-romana, visigótica ou medieval) é uma questão à qual não foi dada ainda resposta definitiva e segura; sabe-se, isso sim, que lusitanos, romanos e visigodos deixaram por aqui traços indeléveis da sua passagem, testemunhos diversificados, igualmente espalhados pelo distrito.

    O ano de 1199 marca um período novo e mais conhecido da história guardense. Através da carta de foral os habitantes recebiam diversos privilégios e o incentivo ao povoamento desta zona, desejado pelo monarca português.

      À carta de foral da Guarda, bem como a outro importante documento conhecido por "Costumes da Guarda”, dedicou Alexandre Herculano a sua atenção, sendo realçado o contributo para o conhecimento do período medieval português.

     A história da Guarda encerra muitas e diversificadas páginas, onde emergem a sua importância militar, a sua projecção religiosa, o passar dos séculos e de vultos que sobressaíram na vida eclesiástica, política, literária ou científica. (HS)

 

 



publicado por Helder Sequeira às 07:33
link do post | comentar | favorito
|

Sexta-feira, 14 de Novembro de 2014
Guarda: 815º aniversário

815 Aniversário.jpg

 



publicado por Helder Sequeira às 17:54
link do post | comentar | favorito
|

Quarta-feira, 27 de Novembro de 2013
Guarda: 814º aniversário


     A atribuição, por D. Sancho I, da carta de foral à Guarda, em 1199, é a efeméride assinalada hoje, dia do feriado municipal.

     Tradicionalmente, e após o abandono da data de 3 de Maio, o feriado municipal da Guarda era comemorado a 26 de Novembro, evocando assim o nascimento, oficial, da cidade. A divergência sobre a data de atribuição da carta de foral foi expressa, pela primeira vez, num artigo publicado, em 1985, no jornal "Notícias da Guarda".

     A partir dessa altura alargou-se o interesse pelo estudo da questão e não faltaram argumentos sobre a prevalência de 26 de Novembro; por outro lado, a favor do dia 27 deste mesmo mês os argumentos manifestaram igualmente a sua solidez.

     De facto, o documento medieval da outorga da carta de foral refere que "foi feita esta carta em Coimbra no dia Quinto antes das Calendas de Dezembro de 1237, no ano do nosso reinado." Assim, e como foi sustentado pelos investigadores que defenderam a nova data, o dia V antes das Calendas de Dezembro é o dia 27 de Novembro de 1237, o que convertido à data cristã (menos 38 anos) cai sobre o ano de 1199. A data de 27 de Novembro acabou, assim, por ser institucionalizada, há alguns anos atrás, como feriado municipal.

     Se é verdade que a outorga da carta de foral constitui um marco de referência na história desta terra, a sua origem (luso-romana, visigótica ou medieval) é uma questão à qual não foi dada ainda resposta definitiva e segura; sabe-se, isso sim, que lusitanos, romanos e visigodos deixaram por aqui traços indeléveis da sua passagem, testemunhos diversificados, igualmente espalhados pelo distrito.

    O ano de 1199 marca um período novo e mais conhecido da história guardense. Através da carta de foral os habitantes recebiam diversos privilégios e o incentivo ao povoamento desta zona, desejado pelo monarca português.

      carta de foral da Guarda, bem como a outro importante documento conhecido por "Costumes da Guarda”, dedicou Alexandre Herculano a sua atenção, sendo realçado o contributo para o conhecimento do período medieval português.

     A história da Guarda encerra muitas e diversificadas páginas, onde emergem a sua importância militar, a sua projecção religiosa, o passar dos séculos e de vultos que sobressaíram na vida eclesiástica, política, literária ou científica. (HS)

    

      Programa comemorativo


     O programa comemorativo do 814º aniversário da cidade da Guarda inicia-se hoje pelas 10h30, com o hastear da bandeira na Praça do Município.

     Posteriormente, na Sala António Almeida Santos da CMG, decorrerá uma sessão solene em que vão intervir, o presidente da Câmara Municipal da Guarda, Álvaro Amaro, e o presidente da Assembleia Municipal da Guarda, Fernando Carvalho Rodrigues.

     O programa integra ainda a conferência "Turismo e desenvolvimento: novos desafios", que antecederá a assinatura do protocolo com a Entidade Regional de Turismo do Centro.

     No período da tarde, pelas 15h30, na Igreja da Misericórdia, terá lugar um concerto comemorativo do Dia da Cidade, pelo Conservatório de Música de São José da Guarda.

     No Museu da Guarda, a partir das 18 horas, decorrerá um Concerto da Orquestra de Guitarras do Conservatório de Música de São José da Guarda, com direção de Hugo Simões.

    No Teatro Municipal da Guarda, a partir das 21h30, realizar-se-á um concerto de Cristina Branco, onde será apresentado o mais recente álbum desta fadista, intitulado "Alegria".


 



publicado por Helder Sequeira às 00:01
link do post | comentar | favorito
|

Segunda-feira, 29 de Julho de 2013
Correio da Guarda: quinto aniversário



publicado por Helder Sequeira às 00:01
link do post | comentar | favorito
|

Sábado, 8 de Junho de 2013
Fotoclube da Guarda

     Foto: Vasco Pires

 

     É um grupo discreto, sem formalismos, que em muito tem contribuído para a promoção desta cidade e, sobretudo, incrementado o gosto pela fotografia.

     Tem olhado a Guarda, a região, o país através de diversas objetivas e sensibilidades, denotando heterogeneidades mas não abdicando de apontar exemplos qualitativos, trabalhos de cativante beleza e técnica cuidada.

    Em apenas um ano, o Fotoclube da Guarda alcançou uma notória projecção e uma enorme simpatia; tem agido de forma pedagógica, colaborado com pessoas e instituições, partilhado o saber dos seus membros, captando colaborações, promovido interessantes iniciativas, fomentando um convívio que tempera e consolida a sua presença.

    O Fotoclube da Guarda é, de facto, um bom exemplo de como, partindo de um denominador comum – o gosto/paixão pela arte fotográfica – um grupo de cidadãos pode ter uma intervenção eficaz em prol da comunidade; nota tanto mais importante quanto esse mesmo grupo (fundador) tem, de forma simples, informal, desenvolvido um importante registo de patrimónios, afectos, tradições, paisagens, (re)cantos das nossas terras, rostos das gentes beirãs, da fauna, flora, do artesanato, da vida regional…

    Só por isto o Fotoclube da Guarda seria merecedor do nosso aplauso; contudo sublinha igualmente a importância do convívio geracional, da sã camaradagem, da partilha de conhecimentos e experiências, lançando desafios, suscitando a (re)descoberta de múltiplas imagens que o ritmo da vida quotidiana deixa escapar tantas vezes. Apela a olhares atentos e à sua eternização na fotografia.

    Parabéns a quantos pensaram e concretizaram o Fotoclube.

    É mais um F de Guarda, letra de Fotografia, Fidelidade (à arte) e Futuro (pela sua continuidade e projectos).

    Parabéns Fotoclube da Guarda!

 

 

 



publicado por Helder Sequeira às 00:25
link do post | comentar | favorito
|

mais sobre mim
pesquisar
 
Agosto 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9

14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


GUARDA
correiodaguarda@sapo.pt
posts recentes

Rotunda do Anjo da Guarda

Sara Tavares no TMG

Rádio Altitude: 67º anive...

Um Sanatório abandonado.....

Escola Superior de Saúde ...

815º aniversário da Guard...

Guarda: 815º aniversário

Guarda: 814º aniversário

Correio da Guarda: quinto...

Fotoclube da Guarda

arquivos

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

links
tags

todas as tags

Visitantes
-
-
Referenciar citações
Protected by Copyscape Website Copyright Protection
Google +
Bem- Vindo
blogs SAPO
subscrever feeds